Redação

17.05.2020 | 0:29

Marcopolo usará grafeno para reduzir peso de ônibus

Segundo a Marcopolo, o novo material, que é muito resistente e flexível, será utilizado na produção de componentes para, além de reduzir o peso, aumentar a resistência estrutural dos ônibus

Marcopolo usa grafeno para reduzir peso e aumentar a resitência de ônibus
Crédito: Marcopolo/Divulgação

A Marcopolo utilizará grafeno para produzir componentes de ônibus. O testes com o material, que é duro e, ao mesmo tempo, flexível começam ainda este ano. O objetivo da empresa, que fabrica carrocerias para ônibus, é reduzir o peso total do veículo e ampliar a resistência estrutural.

Com isso a Marcopolo dará um grande passo rumo ao futuro. Um os maiores desafios da indústria é reduzir a tara dos veículos. No momento em que as fabricantes apostam cada vez mais em sistemas de propulsão elétricos e híbridos, a redução de peso é fundamental. Sobretudo porque as baterias atuais agregam muito peso ao veículo.



De acordo com o diretor de engenharia da Marcopolo, Luciano Resner, o programa está em fase de estudos de engenharia. O plano é concluir a fase de desenvolvimento e iniciar os testes até o fim deste ano.

“Firmamos uma parceria com a Universidade de Caxias do Sul” afirma o executivo. Ele afirma que o centro de ensino gaúcho apoiará a empresa no desenvolvimento do material para produção em escala industrial. “Iniciamos os estudos que permitirão determinar qual quantidade ideal de grafeno na composição dos materias”, diz Resner.

LEIA TAMBÉM: Mercedes-Benz lança ônibus O500 mais potente e com PBT maior

O engenheiro informou que os testes de ensaios são químicos, térmicos e mecânicos. Há também avaliações de durabilidade e confiabilidade do produto. Os ensaios espelham condições reais de utilização dos ônibus pelos clientes.

Marcopolo aposta em vários materiais

A Marcopolo realiza estudos e pesquisas com o grafeno também associado ao aço e a outros tipo de polímeros. O objetivo também é reduzir o peso de componentes dos ônibus.

Resner conta que os trabalhos mostram que a liga com grafeno e aço proporciona redução de peso e melhoria das características mecânicas. “Estamos desenvolvendo aplicação na pintura, com a adição de grafeno em tintas para reduzir o número de camadas.” Segundo o engenheiro, a novidade reduzirá custos ao melhorar as características do material contra a corrosão.

A Marcopolo avalia a substituição de componentes metálicos por polímeros com grafeno. Os componentes que poderão ser substituídos estão ligados ao acabamento. É o caso da estrutura do porta-pacotes e descansa-pernas dos ônibus. Outra possibilidade são itens estruturais, como as poltronas.

“Deveremos iniciar testes de campo no segundo semestre deste ano”, afirma Resner. O engenheiro informa que a empresa deve apresentar novidade ao mercado já em 2021.

Sobre o grafeno

O grafeno é um material leve e resistente. É 200 vezes mais resistente que o aço e supera o diamante. Também é um material fino, com espessura de um átomo. Sua estrutura é 1 milhão de vezes menor que a de um fio de cabelo. Além disso, é maleável, resistente ao impacto e à flexão e funciona como um excelente condutor térmico e elétrico.

O grafeno foi isolado pela primeira vez em 2004, na Inglaterra, pelos cientistas Andre Geim e Konstantin Novoselov. A pesquisa rendeu o Prêmio Nobel de Física à dupla em 2010. Para comparação, uma folha de grafeno com 1 m² pesa 0,0077 gramas e é capaz de suportar cargas de até quatro quilos.

Notícias relacionadas