Andrea Ramos

10/09/2020 - 12 minutos de leitura.

Scania lança caminhão G 540 10×4 para operações pesadas

Novo Scania G 540 10×4/6 XT tem capacidade de carga líquida de 55 t, a maior da categoria, é voltado a operações pesadas e tem preço a partir de R$ 950 mil

Scania lança caminhão 10x4 para operações pesadas
Crédito: Scania/Divulgação

A Scania lançou nesta quinta-feira (10) o caminhão G 540 10×4/6 XT Heavy Tipper no Brasil. O modelo, voltado a operações pesadas, tem como principal atributo a capacidade de carga líquida de 55 toneladas, a maior da categoria. O preço sugerido parte de R$ 950 mil.

O G540 10×4/6 significa que o caminhão tem 10 pontos de apoio, dos quais quatro são tracionados. E número “6” indica que o terceiro eixo direcional fica à frente dos eixos de tração. O sistema é acionado de forma mecânica, o que, segundo informações da Scania, aumenta a robustez do conjunto. Na prática, também amplia a disponibilidade do veículo. Esse eixo, aliás, é produzido pela própria Scania.



O Scania G 540 10×4/6 amplia a gama XT Heavy Tipper, que até então contava com as versões 6×4 e 8×4. A capacidade de carga líquida dos demais modelos é de 44 toneladas. No novo caminhão, o peso bruto total (PBT) é de 69 t e a capacidade máxima de tração (CMT) é de 210 t.

De acordo com informações da Scania, na comparação com os concorrentes 8×4 à venda no Brasil, o novo 10×4 possibilita até 15% de redução no custo operacional por tonelada. Isso porque são necessários menos veículos para movimentar o mesmo volume de carga.

O fato é que essa tração entregue de prateleira é exclusividade da Scania no mercado brasileiro. Entre as opções, a Volkswagen Caminhões e Ônibus (VWCO) oferece uma versão do Constellation com tração 10×4, mas por encomenda. O caminhão feito pela marca alemã em Resende (RJ) tem PBT técnico de 48,7 t e CMT de 63 t.

Segundo executivos da Scania, o G 540 10×4/6 é um modelo próximo aos da linha amarela em termos de capacidade de carga líquida. Mas, como o novo caminhão tem dimensões compactas, assim como menor tara, seus custos operacionais também são vantajosos.

Outro destaque é o reduzido custo de manutenção. Gerente de pré-vendas da Scania Brasil, Paulo Genezini explica que  os componentes do novo modelo, incluindo trem de força e eixos, são produzidos pela Scania. Os caminhões da linha amarela, por sua vez, são importados. Portanto, todos os preços são fixados em dólar.

Todos os componentes do caminhão 10×4 são Scania

O Scania G 540 10×4/6 é equipado com motor DC13 de 13 litros. O seis-cilindros em linha conta com com a tecnologia XPI, de alta pressão de injeção. A potência é de 540 cv e torque máximo, de 275,5 mkgf, é entregue entre 1.000 e 1.300 rpm. A transmissão é a GRSO 935, automatizada e com sistema Opticruise de 14 velocidades.

Essa transmissão, segundo Genezini, tem um torque de 357 mkgf. Isso significa que há boa oferta de força para atuar em qualquer situação. “Uma novidade é o lay shaft brake (freio do eixo secundário)”, afirma o executivo. De acordo com ele,  esse sistema reduz o tempo necessário para trocas de marcha.

O novo caminhão sai de fábrica com o retarder Scania. A força de frenagem é de 418 mkgf e há desacoplamento do rotor do trem de força. O dispositivo funciona quando o sistema não estiver acionado, de modo a economizar combustível. Isso, de acordo com a fabricante, garante frenagens mais eficientes. A distância entre os eixos é de 5.570 mm e o raio de giro é de 13 metros.

Todos os modelos 10×4 sairão de fábrica com preparação para a instalação de implementos. O objetivo é reduzir eventuais falhas durante o processo de implementação. Além disso, essa solução permite reduzir o tempo necessário para a entrega do veículo.

Itens de série e opcionais

De série há também controle eletrônico de tração e hill-hold (evita que o caminhão volte em saídas em aclives). Outros itens que já vêm de fábrica são o eixo traseiro com diferencial duplo e o para-choque de aço com ângulo de ataque de 29°. Além de proteção nos faróis, espelhos retrovisores reforçados e pino de reboque frontal com capacidade de 40 t.

Outros equipamentos interessantes são os limpadores de para-brisa na posição vertical, indicadores de torque dos parafusos das rodas, degrau articulado na cabine e preparação para o inclinômetro para a estrutura física e elétrica do implemento.

Entre os opcionais, o Scania G 540 Heavy Tipper 10×4 pode ter air bag no volante e lateral do tipo cortina (protege em caso de tombamento). O caminhão também pode receber um sistema semelhante a um bafômetro. O dispositivo bloqueia a partida do motor se o motorista tiver ingerido bebida alcoólica.

A bordo da cabine G

A cabine G entrega o mesmo nível de conforto oferecido nas cabines rodoviárias. Os assentos contam com regulagem de altura e profundidade. Isso permite escolher a melhor posição de condução, independentemente do biotipo do motorista.

Chama a atenção a tela de 7 polegadas do painel de instrumentos. Para facilitar a leitura e o acesso aos vários comandos, o painel é curvado. Com isso o motorista não precisa ficar mudando de posição nem esticando os braços. Os comandos da caixa de transmissão e do freio retarder, por exemplo, estão posicionados na alavanca à direita do volante. Na prática, é possível manter as mãos no volante praticamente o tempo todo.

O acabamento interno também mereceu atenção especial. Os revestimentos de painel, portas e bancos são feitos com materiais de fácil limpeza. Esse tipo de solução é particularmente útil em um veículo focado sobretudo em operações no fora de estrada.

Mercado para os super pesados

O segmento de caminhões pesados off-road inclui os 6×4, normalmente utilizados em operações de apoio, e os 8×4, configuração que lidera as vendas desse tipo de modelo no País. Em média, são emplacadas mais de 1.000 unidades por ano no mercado brasileiro.

É um setor com capacidade para absorver entre 1,2 mil e 1,5 mil unidades por ano. De acordo com informações da Scania, o novo caminhão deverá ter cerca de 200 unidades emplacadas anualmente. Os primeiros caminhões G 540 10×4 serão entregues em 2021.

“Apesar da pandemia, em 2020 o segmento de mineração se manteve estável, aquecido e propiciando grandes negócios para a Scania”, diz o diretor de vendas de soluções da Scania no Brasil, Silvio Munhoz. Ele acrescenta que os projetos de grandes construções também vêm sendo retomados tanto pelo setor público quanto pela iniciativa privada

“Agosto foi o melhor mês na mensuração dos 30 últimos meses de vendas de produtos da gama off-road”, conta Munhoz. De acordo com ele, a Scania emplacou mais de 350 unidades. “Estamos confiantes no potencial desses mercados para os próximos anos”, afirma.

Scania e os caminhões vocacionais

A Scania ingressou no segmento de veículos feitos exclusivamente para o segmento off-road no Brasil em 1999. O primeiro modelo do tipo lançado foi um caminhão da Série 4, com tração 8×4. O modelo foi pioneiro no País com essa configuração de tração e motor de 360 cv.

Em 2007, a marca também foi pioneira com o lançamento de um caminhão com tração 10×4. O modelo fazia parte das Séries P, G e R, gama anterior à nova geração e foi vendido até 2016. Em 2012, a Scania lançou no País uma nova geração off-road das Séries P, G e R. Entre os destaques, esses modelos ganharam nova grade, maior ângulo de ataque e mais opções de itens de série e opcionais.

Em 2017, a marca apresentou a gama Heavy Tipper, com as versões 6×4 e 8×4. Em 2018, a linha vocacional XT chegou juntamente com uma nova geração de caminhões da Scania. Essa família é composta pelos modelos 6×4, 8×4. Agora, foi ampliada com o lançamento do novo 10×4/6.

Notícias relacionadas