Você está lendo...
Fiat Scudo: prós e contras do novo furgão para entregas urbanas
Avaliação

Fiat Scudo: prós e contras do novo furgão para entregas urbanas

Avaliamos a versão Cargo com motor a diesel, de entrada do Fiat Scudo, que se destaca pela versatilidade e tem comportamento parecido com o de carros de passeio

Andrea Ramos

02 de ago, 2022 · 11 minutos de leitura.

Teste: Fiat Scudo
Teste: Fiat Scudo
Crédito:Daniel Teixeira/Estadão
Teste: Fiat Scudo

O Fiat Scudo foi lançado no Brasil em três versões. A Cargo, fechada, e a Multi, envidraçada, com motor 1.5 turbodiesel. Já o eScudo é elétrico. O furgão montado no Uruguai tem preços a partir de R$ 193.431. Ou seja, desde a estreia, há pouco mais de um mês, a tabela subiu R$ 5.941. Trata-se do mesmo modelo batizado pela Citroën de Jumpy e pela Peugeot de Expert. Os três são feitos sobre a mesma base e têm as mesmas dimensões. Aliás, a altura de 1,94 metro é um dos principais trunfos do utilitário, que pode entrar em garagens de shoppings e estacionar em vagas demarcadas para automóveis. Além disso, pode ser conduzido por motoristas com CNH de categoria "B". O Estradão avaliou o Scudo Cargo, o modelo de entrada da nova linha no País.

Leia também: ZF antecipa novidades do Salão de Hannover, o IAA 2022

No visual, o Fiat Scudo se diferencia dos "primos" de Citroën e Peugeot nos detalhes. É o caso do símbolo da marca italiana na grade dianteira. Os faróis, com lâmpadas halógenas, tem regulagem elétrica do facho. Além disso, há luzes de posição de uso diurno. Na cabine, o painel de instrumentos é fácil de ler. Vários porta-objetos permitem guardar volumes pequenos. Um deles, sob o banco dos passageiros, é ideal para mochilas e itens de maior valor, por exemplo. Segundo informações da Fiat, esses nichos somam 42 litros de capacidade.

Teste: Fiat Scudo
Painel é fácil de ler, mas alavanca de câmbio atrapalha quem vai no meio; Fotos: Daniel Teixeira/Estadão

Aliás, o banco do motorista tem ajustes longitudinal e de altura do assento. Já o dos dois passageiros é inteiriço. Quem viajar no meio poderá sentir desconforto após longos períodos. Isso porque a alavanca do câmbio manual de seis marchas é muito deslocada em direção ao motorista. Assim, um eventual terceiro ocupante tem de ficar com as pernas recolhidas.

Scudo Cargo é bem equipado

O Fiat Scudo Cargo tem boa lista de itens de série. Há controlador automático de velocidade, bem como rádio com entrada USB e Bluetooth. Além disso, o modelo traz ar-condicionado, travas, retrovisores e vidros elétricos. Aliás, as janelas têm sistema de fechamento do tipo "um toque". Outros destaques são chave do tipo canivete, tomada de 12V e computador de bordo. O volante, com boa empunhadura, tem ajustes de altura e profundidade e a direção conta com assistência eletro-hidráulica.

No quesito segurança, o novo Fiat Scudo também se destaca. Nesse sentido, há controle eletrônico de estabilidade, freios com ABS e distribuição de frenagem e bancos com três apoios de cabeça ajustáveis. Air bags para motorista e passageiro também vêm de série.


Dirigibilidade se destaca

O Estradão avaliou o Fiat Scudo Cargo durante três dias. O modelo foca entregas de última milha. Em outras palavras, trata-se do transporte de mercadorias do centro de distribuição para o cliente final. Transportamos cerca de 900 kg por um percurso de 100 km na cidade de São Paulo. Assim, foi possível avaliar o comportamento do modelo em seu habitat. Também rodamos quase 300 km com o furgão vazio, em trecho rodoviário. Na média, o computador de bordo registrou consumo de 8,7 km/l de diesel.

Teste: Fiat Scudo
Porta lateral corrediça facilita o embarque e desembarque de carga

Colabora com isso o sistema start&stop, que desliga e religa o motor automaticamente. O recurso funciona em paradas como as de semáforo, por exemplo. Dá para desligar o dispositivo. Basta pressionar um botão localizado na parte inferior do console, abaixo do comando do ar-condicionado. Há ainda auxílio de saída em rampas, algo muito útil sobretudo quando o furgão está carregado.


No dia a dia, a dirigibilidade do Fiat Scudo lembra bastante a de carros de passeio. O câmbio é bem escalonado e os engates são fáceis. As respostas são rápidas. Graças, sobretudo, às dimensões compactas e ao motor 1.5 turbodiesel. Segundo dados da marca, a potência é de 120 cv às 3.750 rpm e o torque máximo, de 30,6 mkgf, fica disponível a partir das 1.750 rpm.

Tração dianteira

Vale lembrar que em janeiro de 2022 entrou em vigor o Proconve P8 para veículos comerciais com peso bruto total (PBT) de até 3,5 toneladas. A nova norma que regula as emissões de poluentes no Brasil é equivalente ao Euro 6. Para atender a legislação, o quatro-cilindros recebeu a tecnologia SCR. Ou seja, o Fiat Scudo tem reservatório de Arla 32.

Um ponto de atenção diz respeito à tração na dianteira. Sobre piso desnivelado e em trechos muito inclinados, as rodas do Fiat Scudo chegaram a patinar quando o furgão estava carregado. É o tipo de comportamento que não ocorre em veículos com tração traseira. Seja como for, bastou dosar a pressão no pedal do acelerador para o furgão voltar a tracionar.


Na estrada, rodando a 100 km/h, em sexta marcha, a rotação do motor ficou em torno das 1.900 rpm. Nesse caso, o nível de ruído a bordo é baixo, de cerca de 68 decibéis. Aliás, o bom isolamento acústico é um dos pontos positivos do modelo. A bordo, dá para conversar tranquilamente, com o furgão carregado ou vazio.

Espaço para carga

As suspensões, do tipo pseudo McPherson na dianteira, e com molas helicoidais na traseira, garantem boa estabilidade em curvas. Os freios são bem dimensionados para o modelo e a sensação de segurança é total. Além disso, a direção progressiva permite manter o furgão sob controle sem sustos. Da mesma forma, isso facilita as manobras de estacionamento em locais estreitos.

Teste: Fiat Scudo
Área para carga tem ganchos para amarração e capacidade de 6,1 m³

Compacto, o Fiat Scudo tem 5,3 metros de comprimento total. Para comparação, são 7 cm a mais que uma picape Toyota Hilux de cabine dupla, por exemplo. De acordo com dados da fabricante, na área de carga é possível transportar objetos de até 2,8 m de comprimento. Além disso, no compartimento traseiro o volume é de 6,1 m³. Outro bom atributo é o sistema de abertura das portas traseiras bipartidas, com ângulo de 180 graus. E, pela porta lateral deslizante, dá carregar e descarregar com empilhadeira.

Veredicto

Na prática, o Fiat Scudo tem os mesmos atributos dos "primos" Jumpy e Expert. Pesa contra o novato o preço R$ 31.441 mais alto que o do Citroën equivalente. Porém, a favor do novato está o fato de ele ser ano/modelo 2023 e contar com uma ampla rede de atendimento.

Nesse sentido, juntamente com o utilitário a marca italiana lançou no Brasil a Fiat Professional. Trata-se de um programa de atendimento específico para clientes de modelos comerciais. Segundo a empresa, há mais de 200 concessionárias dedicadas no Brasil.


Assim, cabe ao consumidor avaliar se vale a pena pagar quase 20% a mais para ter um modelo praticamente igual ao da Citroën.

Teste: Fiat Scudo
Com 5,3 m, modelo é 7 cm mais comprido que uma picape Toyota Hilux de cabine dupla

Ficha Técnica

Fonte: Fiat

Deixe sua opinião