Você está lendo...
Cummins cria motor 'universal' que roda com qualquer combustível
Mercado

Cummins cria motor 'universal' que roda com qualquer combustível

Nova plataforma para veículos comerciais da Cummins vai compartilhar componentes entre si de motores a diesel, a gás natural e até hidrogênio

Redação

10 de mar, 2022 · 5 minutos de leitura.

Cummins desenvolve plataforma de motores unificada para reduzir emissões
Cummins desenvolve plataforma de motores unificada para reduzir emissões
Crédito:Cummins/Divulgação
Cummins desenvolve plataforma de motores unificada para reduzir emissões

Em nome da redução de emissões e também de olho no futuro do mercado de motores a combustão, a Cummins anunciou a criação de uma plataforma universal de motores. Ou seja, todos serão otimizados para usar diferentes tipos de combustíveis, como diesel, gasolina, etanol ou mesmo o hidrogênio, que atualmente é o mais distante da realidade global.

Assim, a nova plataforma é inédita na indústria automobilística, sobretudo entre os veículos comerciais, principal mercado de atuação da Cummins. Ela prevê o compartilhamento de blocos de motores, bem como os seus principais componentes em uma mesma arquitetura. E esse compartilhamento permitirá o uso de vários combustíveis nessa mesma base, que chegará com níveis reduzidos de emissões.

LEIA TAMBÉM
Scania já vendei mais de 600 caminhões a gás no Brasil
Renovação da frota de caminhões vai sair do papel em breve


"Ter uma variedade de opções de motores de baixo carbono é importante. Afinal, atuamos em muitos mercados. Por isso, não há uma solução única. Ou mesmo que funcione para todos os tipos de aplicações", explica o presidente da Cummins, Srikanth Padmanabhan. Com a nova plataforma, a empresa terá, portanto, condições de atender a todos os segmentos.

Motores Cummins vão compartilhar peças

Tal como explicamos aqui, a nova plataforma universal de motores aceitará diferentes combustíveis e, dessa forma, terá também diferentes configurações. Mas todas serão feitas sobre uma base comum. O que significa que esses motores terão várias peças em comum, porém com especificações e calibração para cada combustível.

Essa tecnologia será aplicada aos motores das séries B, L e X. Ou seja, os destinados aos veículos médios e pesados. Eles estarão disponíveis para diesel, gás natural e hidrogênio. "Esta é uma nova maneira de projetar e desenvolver sistemas de propulsão de combustão interna. Mas de baixa emissão. Porém, que atendam às necessidades específicas da indústria de transporte. E se beneficiem da vantagem de terem uma arquitetura única", diz o VP de engenharia de negócios de motores, Jonathon White.


Redução de custos para montadora e clientes

Nesse sentido, a uniformização das peças trará benefícios para a as montadoras. Assim como para os usuários finais. A Cumins diz que, em ambos os casos, haverá redução de custos.

Cummins desenvolve plataforma de motores unificada para reduzir emissões
Cummins/Divulgação

Dessa forma, os diagnósticos e intervalos de manutenção podem ser otimizados. Do mesmo modo, os custos com treinamento técnico ou mesmo com maquinários nos locais de serviço podem baixar. Dessa forma, o usuário final terá redução do custo total de operação (TCO). Além disso, será mais fácil para os fabricantes integrarem uma variedade de tipos de combustível no mesmo chassi.


Essa solução é estrategicamente importante para a Cummins. Sobretudo para buscar a redução dos gases de efeito estufa. E de maneira mais prática e rápida. Segundo informou os executivos da marca.  Nesse sentido, a companhia tem a meta de atingir emissões zero até 2050.

Seja como for, a Cummins produz os motores das séries B (ISB) e L (ISL) no Brasil. Segundo a empresa, a nova solução para esses motores está sendo desenvolvida e testada globalmente. Mas por enquanto não há previsão da entrada da tecnologia na região.

Deixe sua opinião