Mobilidade

ZF faz parcerias para desenvolver células a combustível para ônibus

Projeto HyFleet do qual a ZF faz parte busca soluções para alcançar capacidade de produção de veículos pesados elétricos a células a combustível

Redação

01 de dez, 2021 · 3 minutos de leitura.

ZF e parceiros buscam solução para células de combustível em ônibus
ZF e parceiros buscam solução para células de combustível em ônibus
Crédito:ZF/Divulgação
ZF e parceiros buscam solução para células de combustível em ônibus

ZF, Freudenberg, Flixbus e a ONG Atmosfair se uniram para desenvolver soluções para ônibus elétricos. Assim, criaram o HyFleet, projeto para criar células a combustível para o setor de transporte de passageiros. Segundo as empresas, os testes dos novos sistemas começam em até três anos. A ZF tem ampla experiência no desenvolvimento de transmissões e sistemas eletrificados.

LEIA TAMBÉM: Iveco vende mais de mil caminhões S-Way a gás para a Amazon

Conforme a ZF, a parceria faz parte de um conjunto de ações para a transição para a mobilidade elétrica. Assim, a empresa aposta que a célula a combustível será fundamental para a eletrificação de pesados. Nesse sentido, permite grande autonomia e reabastecimento rápido. Isso porque o sistema produz a energia usada no motor elétrico.

A Freudenberg fornece componentes e sistemas de células a combustível há mais de 20 anos. De acordo com as empresas, a meta é aumentar sua durabilidade e eficiência. Da mesma forma, criar padrões para o cálculo do custo total de propriedade (TCO) de veículos a célula de combustível. Tudo para a área de transporte de passageiros.

ZF destaca apoio do governo alemão

Assim, o HyFleet quer alcançar capacidade de produção em escala. Bem como facilitar a execução de projetos baseados em células a combustível para veículos comerciais. Nesse sentido, os estudos vão permitir o dimensionamento de baterias. Além de criar sistemas de refrigeração e softwares de gerenciamento.

Por sua vez, a Flixbus vai cuidar da parte prática da operação dos ônibus. Por fim, a ONG alemã Atmosfair vai estudar os processos de compensação de emissões de carbono. De acordo com o ZF, o Ministério dos Transportes e Infraestrutura da Alemanha já enviou carta de intenção não vinculativa para financiar o projeto.