Você está lendo...
Transporte de passageiros tem alta no número de empregados e sinaliza recuperação
Notícias

Transporte de passageiros tem alta no número de empregados e sinaliza recuperação

Nos dois primeiros meses do ano, as empresas do setor de transporte rodoviário de passageiros mais contrataram do que demitiram

Redação

10 de abr, 2022 · 3 minutos de leitura.

Transporte de passageiros
Crédito:Mercedes-Benz/Divulgação

Depois de um longo período com saldo negativo de empregos, o setor de transporte urbano de passageiros começa a esboçar reação. De acordo com dados da Confederação Nacional do Transporte (CNT). Assim, as operadoras apresentaram sinais de recuperação no primeiro bimestre. Segundo os números do levantamento, o saldo favorável de empregos no período foi de 497. Em outras palavras, as empresas contrataram 15.377 pessoas. Por outro lado, fizeram 14.880 demissões.

Segundo especialistas, essa melhora indica que há boa perspectiva de retomada de crescimento do setor. Há tempos o setor não apresentava dados tão positivos. A última vez que o saldo acumulado do transporte rodoviário de passageiros urbano esteve no azul o primeiro bimestre do ano foi em 2014. Ou seja, o segmento de transporte de passageiros de longo curso apresentou saldo positivo de 80. Desta maneira, as empresas criaram 4.483 vagas e fizeram 4.403 demissões.

Seja como for, o saldo do transporte rodoviário de fretamento ficou positivo em 2.689 postos de trabalho. No período, ocorreram 9.020 admissões e 6.331 demissões.


Leia também: Caminhoneiros estão no grupo prioritário da vacinação contra a gripe

Transporte rodoviário aquecido

De acordo com informações da CNT, o setor de transporte como um todo fechou o acumulado de janeiro e fevereiro de 2022 com saldo positivo. Prova disso é que no modal rodoviário de carga foram criadas 101.655 vagas de trabalho. Isso nos dois primeiros meses de 2022. Por outro lado, 96.434 profissionais foram desligados no mesmo período. Desta forma, o saldo ficou positivo em 5.221 vagas de trabalho.

Segundo os dados apurados pela Confederação, São Paulo foi o Estado onde os números ficaram mais favoráveis. Ou seja, no período, o saldo positivo foi de 2.507 vagas. Em segundo lugar aparece o Paraná. O Estado abriu 1.634 postos de trabalho.

O Mato Grosso ficou em terceiro, com saldo positivo de 1.422 contratações. Por outro lado, os Estados onde o número de demissões superou o de admissões foram Rio de Janeiro, com saldo negativo de 563, Pará (-519) e Pernambuco (-294).