Mercado

Ônibus: encarroçadores começam 2021 com queda na produção

Foram produzidas 769 carrocerias de ônibus em janeiro de 2021, com queda de 47,9% ante janeiro de 2020. Agora, setor aposta no Programa Caminhos da Escola

Redação

04 de mar, 2021 · 3 minutos de leitura.

Ônibus" >
Crédito:Marcopolo/Divulgação

A produção de carrocerias para ônibus em janeiro de 2021 mostra que o setor está longe da recuperação. Segundo a Associação Nacional das Fabricantes de Õnibus (Fabus), foram feitas 769 carrocerias no primeiro mês do ano. Ou seja: houve queda de 47,9% inferior às 1.477 unidades feitas em janeiro de 2020. Portanto, antes do início da pandemia.

Leia também: Ônibus tem a preferência do brasileiro mesmo com a pandemia

De acordo com a Fabus, a maior parte da produção foi de micro ônibus, com 290 unidades. Depois vêm os urbanos (270), rodoviários (105) e intermunicipais (101). A associação reúne as seguintes marcas: Marcopolo, Comil, Caio Induscar, Mascarello e Busscar.

Você também vai gostar de


Ainda de acordo com os números da Fabus, as fabricantes produziram 16.320 carrocerias em 2020. Esse volume foi 26,4% inferior ao de 2019, quando foram feitas 22.197 carrocerias no País.

Perspectivas são otimistas

Em dezembro de 2020, aliás, o presidente da Fabus, Ruben Bisi disse que acredita na retomada econômica. Contudo, segundo ele, isso só ocorrerá se houver vacinação em massa.

?O mercado interno de ônibus poderá crescer em torno de 10% em 2021. O setor de turismo deve ser reativado quando a vacinação avançar. E isso deverá aumentar a demanda por ônibus?, diz o executivo.

De acordo com Bisi, o setor de fretamento e o Programa Caminho da Escola devem impulsionar a produção nos próximos meses. Contudo, em fevereiro o Ministério da Educação revogou o edital do programa federal desde ano.

Montadoras esperam produzir 19 mil ônibus em 2021

Ou seja: por ora, a compra de 7 mil ônibus est[a suspensa. Seja como for, o edital prevê a aquisição de mil unidades a mais que em 2020. O setor espera que o novo edital saia nas próximas semanas.

O Caminho da Escola também é a grande aposta das montadoras. Segundo a Associação Nacional das Fabricantes de Veículos Automotorres (Anfavea), ele deve impulsionar o setor em 2021.

Nesse sentido, a Anfavea projeta produção de 19 mil unidades. A expectativa é que a maior parte desses ônibus seja destinada ao mercado interno.