Aline Feltrin

19/11/2020 - 6 minutos de leitura.

Mercedes-Benz lança ônibus para fretamento contínuo

Novo ônibus OF 1621 é o primeiro Mercedes-Benz feito no Brasil exclusivamente para fretamento contínuo. As vendas começam em 2021 e ampliarão a liderança da marca, que detém quase 60% de participação no segmento

Ônibus
Crédito: Divulgação/MB

A Mercedes-Benz apresentou seu primeiro chassi de ônibus feito para fretamento contínuo. O modelo, batizado de OF 1621, será vendido a partir de janeiro de 2021. A novidade será fabricada na recém- inaugurada linha de produção com conceito de indústria 4.0, que fica na planta da empresa em São Bernardo do Campo, no ABC paulista.

A marca alemã já vendeu a primeira unidade do novo ônibus para a RimaTur Transportes. A empresa atua no transporte de fretamento contínuo na região metropolitana de Curitiba. Diretor de Vendas e Marketing de Ônibus as Mercedes-Benz, Walter Barbosa diz que há vários outros interessados.

Contudo o executivo não revelou se há  contudo, não revelou se essas negociações já estão fechadas.  “A expectativa é que, a partir de 2021, sejam vendidas de 150 a 200 unidades do modelo por ano”, diz.

Covid-19 fez empresas ampliarem frota de ônibus

A chegada do ônibus OF 1621 ocorre em período de aquecimento do segmento. A procura por fretamento contínuo vêm crescendo desde o início da pandemia do novo coronavírus.

As encomendas de ônibus que operam no transporte de funcionários de empresas cresceram 24%. Enquanto isso, as vendas de urbanos despencaram 40% e as de rodoviários caíram 36%.

Isso é resultado das medidas de distanciamento impostas pela covid-19. Antes da pandemia todos os bancos dos ônibus podiam ser ocupados. Agora, apenas metade pode ser utilizada.

Para se enquadrar na nova realidade, as empresas têm de aumentar suas frotas. Isso implica a compra de novos veículos.

Novo chassi de ônibus vem pronto para encarroçar

Barbosa confirma que o desenvolvimento do OF 1621 visa atender às novas necessidades do mercado. Segundo ele, as empresas de fretamento pediam um ônibus com maior espaçamento entre os bancos. E precisavam de um modelo que não sacrificasse o número de assentos disponíveis. Por isso, o novo Mercedes-Benz tem balanço dianteiro e traseiro mais curtos.

Por meio dessa solução, o tanque para 300 litros de diesel, o reservatório de ARLA e as baterias estão posicionados em locais estratégicos. Assim como sistema de pós-tratamento dos gases do escapamento e a preparação para receber sistema de ar-condicionado.

Assim, não é necessário fazer cortes nas longarinas do cardan para alongar o chassi. Desta forma, o chassi já sai da fábrica pronto para receber a carroceria. “Isso diminui o tempo para encarroçamento e gera menos retrabalho”, diz Barbosa.

OF 1621 pode receber carroceria de até 12,5 metros

Até então, a Mercedes-Benz atendia o mercado de fretamento com micro-ônibus e ônibus rodoviários. As opções eram: LO 916, OF 1519, 0F 1721, OF 1721L, OF 1724, OF 1724 L, OH 1621 L, O 500 M e O 500 R. Mas esses veículos tinham de ser adaptados.

O OF 1621 tem Peso Bruto Total (PBT) de 16,5 toneladas e motor OM 924 LA de 208 cv. O chassi pode receber carrocerias de até 12,55 metros de comprimento.

Isso permite a instalação de até 48 assentos para passageiros. E também dispositivo móvel de poltrona, que garante acessibilidade a cadeirantes e pessoas com mobilidade reduzida.

Mercedes-Benz tem 57% de participação no mercado de fretamento

Com o produto, a Mercedes-Benz deve ampliar ainda mais sua participação de vendas para o mercado de fretamento. Com 688 unidades vendidas em 2020, a empresa detém 57% do segmento. Boa parte dessas vendas foi  feita para o Grupo Comporte.

A empresa encomendou 116 ônibus e 22 vans à marca alemã em 2020. A operadora de transporte de passageiros utiliza esses veículos para fretamento contínuo de clientes corporativos. A compra faz parte dos planos anuais de renovação anual. E permitirá à Comporte atender clientes que exigem que a operação seja feita com veículos cuja ocupação seja de, no máximo, 50% dos assentos.

Diretora comercial de fretamento do Grupo, Izabel Rosalen disse ao Estradão que esses clientes estão atendendo os protocolos de segurança contra o novo coronavírus. A redução da taxa de ocupação evita aglomerações nos ônibus.

Por isso, há casos em que é preciso dobrar a frota para poder transportar o mesmo número de passageiros. Izabel diz que, antes da compra, a empresa tinha de utilizar seus veículos reserva para atender a demanda.

Notícias relacionadas