Mobilidade

Maior feira de ônibus da América Latina; Veja destaques de 2021

Maior evento do transporte de passageiro da América Latina mostra as principais novidades do setor de ônibus em ambiente online

Décio Costa

20 de set, 2021 · 13 minutos de leitura.

Feira e seminário do lançam luz sobre o ônibus na internet" >
Feira e seminário do lançam luz sobre o ônibus na internet
Crédito:Scania/Divulgação
Feira e seminário do lançam luz sobre o ônibus na internet

O segmento de ônibus foi um dois mais afetados pela pandemia. Por isso, naturalmente ganhará destaque nesta semana durante o Seminário Nacional NTU 2021 e a Lat.Bus - Feira Latino-americana do Transporte. No ar entre os dias 21 e 23 de setembro, o evento deste ano será virtual e tem a mobilidade como principal pauta.

Esta é a primeira edição online do evento que é o maior do setor da América Latina. Com o tema "O Novo Transporte Público Coletivo", esta edição pretende fomentar discussões. Por exemplo, especialistas e fabricantes de ônibus debaterão modelos tarifários, bem como financiamentos, contratação de serviços, marco legal do segmento etc.

Você também vai gostar de


O seminário acontece em meio à tão esperada retomada do segmento com o avanço da vacinação. Por isso, a programação é extensa. E o interessado em participar deve se cadastrar na plataforma do evento. Além disso, todo o material estará disponível por 30 dias.

Simultaneamente aos debates, os estandes virtuais estarão de portas abertas com as principais novidades em ônibus. Assim, o operador conta com uma ampla visão não só de negócio, mas também dos produtos. O Estradão traz os pacotes mais relevantes levados pelas marcas, confira a seguir.

Mercedes-Benz

A Mercedes-Benz desembarca na Lat.Bus 2021 com o anúncio de uma oferta de serviço exclusivo para ônibus. A princípio, o Serviço 4.0 ficará disponível para toda a linha da marca a partir do início do ano que vem.

A novidade é baseada em telemetria e conectividade. Assim, monitoramento e diagnose em tempo real estão dentre os principais benefícios para o operador. De acordo com a fabricante, em outubro os testes começam em alguns clientes.

Diretor de vendas de ônibus, Walter Barbosa, conta ser um produto desenvolvido pelo Grupo Daimler simultaneamente para Brasil, Europa e Estados Unidos. ?O gestor terá informações dos eventos georreferenciado com análise online. Certamente trata-se de uma ferramenta capaz de aumentar a disponibilidade do veículo. E consequente reduzir os custos operacionais.?

No estande virtual da marca na Lat.Bus 2021 estarão em evidência os mais recentes lançamentos. Assim, ganha maior destaque eO500U (foto acima), o chassi elétrico que a Mercedes-Benz produzirá em São Bernardo do Campo (SP) a partir do ano que vem.

Além do produto que coloca a fabricante na era da eletrificação, também estarão em destaque o O500 R SuperPadron, chassi urbano para carrocerias de 14 metros. O modelo, a depender da operação, surge para substituir ônibus de 15 ou 18 metros.

Sprinter

Durante o evento, a marca da estrela destaca a sua linha de vans de passageiros Sprinter como a mais completa do mercado. Tanto nos itens de conforto como de segurança. Não por acaso, a família Sprinter, e isso inclui as versões de carga, possui 33% de mercado. Ou seja, de janeiro a agosto, a marca emplacou 6.300 unidades. Logo, participa com 61,3% de market share na categoria de 3,5 t a 5 t de PBT.

Apesar da retração no segmento de passageiros em razão da pandemia, a fabricante vê retomada no segmento de fretamento. Mas com a reabertura das escolas, a marca percebe alguns movimentos de compra. Entretanto, o ano deve encerrar com a maior partipação do segmento de carga. No caso, furgão e chassi-cabine.

Continua depois do anúncio

Seja como for, sobre projeções, para o CEO da Mercedes-Benz Cars & Vans, Jefferson Ferrarez, em 2022 o segmento deverá crescer de 15% a 20%.

Ademais, pegando carona no lançamento do ônibus elétrico, a marca anunciou que estuda a possibilidade de trazer a Sprinter elétrica para o Brasil.

"O produto é realidade em alguns mercados europeus. E há discussões avançadas para levar a tecnologia a outros países como Estados Unidos, China e o Brasil. Porém, estamos acompanhando como está o desenvolvimento estrutural do País para receber os veículos elétricos. Dessa forma, vamos analisar quando deverá ser o melhor momento para trazer a Sprinter elétrica", diz Ferrarez.

Scania

Durante a coletiva de imprensa dos fabricantes na abertura da Lat.Bus 2021, a Scania revelou que o futuro da mobilidade do transporte será eclético. Nesse sentido, para a marca do grifo a eletromobilidade vai chegar. Mas a médio e longo prazos.

?Porém, faz mais sentido haver soluções plurais. Mesmo quando a eletrificação se tornar real. Isso porque as tecnologias serão adaptadas a cada sistema e a cada necessidade do cliente?, diz o gerente de ônibus da Scania para a América Latina, André Oliveira.

Nesse sentido, a Scania já oferece na América Latina as tecnologias como HVO, biodiesel, GNV e biometano para os seus chassis.

Contudo, outro desafio será criar serviços cada vez mais assertivos para o transporte de passageiros. Ou seja, tudo baseado na digitalização. Focando a segurança dos passageiros e o custo total de operação. Bem como serviços financeiros, contrato de manutenção ajustados à necessidade de cada operação, treinamento de motoristas entre outros serviços que já são reais. Mas que tendem a melhorar conforme o avanço tecnológico.

Sobre o ônibus a gás, a Scania destacou a solução na América Latina. Países como Colômbia, Argentina e Peru já há unidades vendidas. No Brasil, a tecnologia está há dois meses sendo avaliada na operação da Turis Silva. Contudo, a Scania não revelou os resultados. Argumentando que ainda são preliminares.

Retomada já é real

Sobre o mercado, a Scania está otimista. Sobretudo pelo avanço da vacinação. Com isso, o gerente de vendas de soluções para mobilidade da Scania, Celso Medonça acredita que haverá retomada mais pujante no turismo. Mas também, como de costume, o cliente fará pré-compras antes da introdução do Proconve P8 (Euro 6).

Nesse sentido, a fabricante destacou seus produtos compostos por 30 modelos. Com capacidades para até 270 passageiros e com até 28 metros de comprimento. Destacou ainda as linhas K 400 6x2 e K 440 8x2 rodoviários. Modelos que representam 60% das vendas do portfólio.

Ademais, Mendonça diz que os ônibus da marca estão rodando 25% mais este ano, quando comparado até o mês de setembro do ano passado. Os dados são com base nos três mil ônibus conectados da marca. E que fornecem mensalmente a quilometragem média.

Volkswagen Caminhões e Ônibus

A Volkswagen Caminhões e Ônibus (VWCO) aproveita a Lat.Bus 2021 para ampliar a oferta na categoria de micro-ônibus. Isso porque, a fabricante traz para o evento o chassi 10.160 OD.

O novo produto, de acordo a marca, foi desenvolvido em parceria com encarroçadores para proporcionar configuração padronizada para entregas mais rápidas. Assim, o veículo chega com capacidade para 36 passageiros. O trem de força traz motor de 162 cv e torque 61,1 mkgf. O propulsor está associado a uma caixa de câmbio manual ZF de cinco velocidades.

Outros modelos

Além disso, a VWCO também destaca o recente chassi Volksbus 15.190 ODS e faz o lançamento comercial do 22.280 ODS. Logo, espera mostra suas capacidades para atender o segmento de ônibus urbano.

Com o 15.190, a proposta é entregar mais conforto pela presença de suspensão pneumática, bem como suportar queda de demanda em operações onde antes atuavam ônibus de 17 toneladas.

Da mesma maneira, o 22.280 ODS passa a ser a opção da marca para serviços de transporte nos quais o articulado ficou grande demais. Assim, o veículo é configurado com um terceiro eixo direcional na dianteira. Com isso, o arranjo permite capacidade para 115 passageiros em carroceria de até 15 metros.

Volvo

A Volvo Bus estreia serviço de arrendamento mercantil na Lat.Bus 2021. Ou seja, lança o ônibus por assinatura. O produto, assim, pretende atender o operador de linha rodoviárias regulares. Ou do turismo com período determinado.

Criado pela Volvo Financial Services (VFS), a oferta surge como novidade pioneira no segmento. Até então oferecida somente para caminhões.

Logo, o mercado de ônibus pode optar por contratos de 24, 36 ou 60 meses. Dessa maneira, o operador paga mensalidade na qual o valor inclui emplacamento e manutenção. Ao fim do período, o empresário tem a possibilidade de comprar o veículo ou mesmo devolver à marca.

De acordo com o diretor da VFS, Valter Viapiana, o serviço é indicado para negócios com contratos pré-determinados. ?Nas operações de fretamento contínuo, por exemplo, é comum trabalhar com períodos definidos pela empresa contratante.?

A fabricante de Curitiba (PR), ainda expõe como estrela para a feira, os recentes lançamentos B420R+ e B450R+. Os chassis rodoviários representam uma nova geração de produtos. Com promessa de economia no consumo de combustíveis.