Mercado

Mercedes-Benz lança chassi de ônibus elétrico eO500U no Brasil

Desenvolvido no Brasil, ônibus elétrico Mercedes-Benz eO500U chega em 2022, será direcionado a operações urbanas e exportado para vários países

Andrea Ramos

25 de ago, 2021 · 7 minutos de leitura.

eO500U é o novo ônibus elétrico da Mercedes-Benz" >
eO500U é o novo ônibus elétrico da Mercedes-Benz
Crédito:Mercedes-Benz/Divulgação
eO500U é o novo ônibus elétrico da Mercedes-Benz

A Mercedes-Benz lançou neste quarta-feira (25) o eO500U, primeiro chassi de ônibus elétrico feito pela marca no Brasil. Trata-se da versão 100% elétrica do O500, que tem motor a diesel. Nesse sentido, a novidade traz tecnologias do ônibus elétrico e-Citaro vendido no mercado europeu.

Segundo a marca, o desenvolvimento começou há cinco anos e contou com investimentos de cerca de R$ 100 milhões. Esse montante faz parte do ciclo de investimentos de R$ 2,4 bilhões que a Mercedes-Benz prometeu fazer no País entre 2018 e 2022.

De acordo com a fabricante, o eO500U será vendido a partir de 2022 com tração 4x2. Além disso, é um padron de piso baixo. Portanto, pode receber carrocerias de até 13,2 metros de comprimento. Ou seja, com capacidade para transportar até 83 passageiros, dos quais 29 sentados.

São Paulo é prioridade

Assim, a Mercedes-Benz informa que o novo modelo é destinado a operações urbanas. Segundo o diretor de ônibus da marca, Walter Barbosa, também haverá versões maiores e menores em breve.

Segundo Barbosa, as vendas começam em São Paulo. ?A cidade tem uma lei que estabelece metas de redução de poluentes?, afirma. Trata-se da lei 16.802, de 2017, que determina os ônibus que rodam na cidade deverão poluir 50% menos até 2027.

Para 2037, a meta é zerar as emissões. Portanto, somente modelos elétricos vão conseguir atender essas exigências. Bem como modelos com célula a hidrogênio, por exemplo.

Mercedes-Benz quer ter 10% do mercado

De acordo com Barbosa, já há negociações em andamento. Sem revelar detalhes, ele diz que esses clientes participaram do desenvolvimento do chassi eO500U.

Em seguida, o ônibus elétrico chegará às demais cidades brasileiras. Primeiramente, nesse grupo estão Rio de Janeiro e Vitória. Como resultado, a marca pretende vender entre 50 e 150 unidades no primeiro ano após o lançamento.

Contudo. a Mercedes-Benz pretende conquistar 10% desse mercado em 2027. "A gente entende que esse é o melhor momento para lançar o veículo. Ele atende as necessidades do País e o mercado já tem maturidade para recebê-lo?, diz Barbosa.

Autonomia de até 300 km

O chassi tem dois motores elétricos nos eixos traseiros. Assim, desenvolvem potência máxima equivalente a 380 cv e constante de 250 cv. Ademais, a versão básica tem quatro pacotes de baterias.

Dessa forma, a autonomia pode chegar a 250 km. Além disso, há opção de seis pacotes de baterias. Logo, garantem autonomia de até 300 km. Segundo a empresa, a recarga do ônibus elétrico é feita em 2,5 horas em sistemas rápidos.

Continua depois do anúncio

Segundo a Mercedes-Benz, o painel de instrumentos é totalmente novo. Dessa forma, está adequado á nova tecnologia. Portanto, traz informações sobre o funcionamento do motor elétrico. Bem como das baterias e dos demais sistemas eletrônicos.

Novo modelo de negócios

?O lançamento do ônibus elétrico representa um novo passo da companhia. Ou seja, em direção ao desenvolvimento de um ecossistema que inclui serviços exclusivos e dedicados?, diz o vice-presidente de vendas e marketing caminhões e ônibus da Mercedes-Benz do Brasil, Roberto Leoncini.

Segundo ele, a marca vai oferecer todo o suporte aos clientes. Nesse sentido, haverá consultoria para as empresas de ônibus e os gestores do transporte coletivo urbano.

Da mesa forma, a empresa atuará na criação da infraestrutura de abastecimento de energia e recarga das baterias. Assim como na gestão de frota com ônibus elétricos.

Do Brasil para o mundo

De acordo com Leoncini, a marca entende que a aposta na eletrificação deveria começar pelos ônibus, e não pelos caminhões. ?O ônibus elétrico impacta mais pessoas e a sociedade do que o caminhão", afirma o executivo.

Segundo ele, no caso de caminhões a operação é mais restrita por causa da falta de infraestrutura. Ou seja, como o ônibus não será recarregado na rua, o investimento pode ser feito de forma pontual.

Seja como for, a Mercedes-Benz do Brasil também vai exportar o ônibus elétrico para outros países da América do Sul. Bem como para mercados da Europa e Oceania.

O modelo revelado à imprensa tinha carroceria Caio. Porém, a fabricante informa que vai trabalhar com as demais encarroçadoras do País. Nesse sentido, informa que já há conversas em andamento.

Portanto, isso cria duas possibilidades para o ônibus elétrico que será exportado. Ou seja, entregar apenas o chassi ou o veículo completa. Essa opção é comum em alguns países europeus.