Você está lendo...
Falta de semicondutores reduz oferta de ônibus para o Caminho da Escola
Mercado

Falta de semicondutores reduz oferta de ônibus para o Caminho da Escola

Programa Caminho da Escola vai arrematar 3.500 ônibus em 2022, a metade do volume do ano anterior, por falta de peças e atrasos na produção

Aline Feltrin

03 de mar, 2022 · 5 minutos de leitura.

Programa Caminho da Escola
Crédito:Divulgação: Volare

A licitação do Programa Caminho da Escola 2022 contemplará a venda de 3.500 unidades de ônibus 0-km. Ou seja, a metade do volume da licitação anterior, que comercializou 7 mil modelos. Nos últimos dois anos, o incentivo do Fundo Nacional de Desenvolvimento da Educação (FNDE) ajudou a reduzir os impactos da demanda menor por ônibus no País.

Seja como for, o presidente da Associação das Fabricantes de Ônibus, a Fabus, Ruben Bisi, disse que essa redução se deve à limitação da capacidade de produção. Sobretudo, por causa da falta de semicondutores. De acordo com Bisi, as fabricantes de chassis solicitaram ao FNDE a redução dos números de ônibus no edital. O objetivo é conseguir produzir o total encomendado pelas secretarias de ensino ainda neste ano.

Consultada pelo Estradão, a Associação Nacional das Fabricantes de Veículos Automotores (Anfavea), confirmou a informação. Contudo, o vice-presidente da entidade, Marcos Saltini, acrescentou que a redução do volume é providencial. Desta maneira, a indústria poderá vender ônibus com motores Euro 5. Assim, não precisará aplicar reajustes nos contratos. "É importante lembrar que, a partir de janeiro do ano que vem, os ônibus terão motor Euro 6. Portanto, terão um preço maior", lembra.


Licitação de 2021

De qualquer maneira, a expectativa da Anfavea é que as montadoras consigam negociar as 3.500 unidades da nova licitação. E também o residual de 6.800 unidades do pregão vigente. Vale relembrar que o pregão de 2021 deveria ser aberto em janeiro. Mas isso ocorreu apenas em junho, por causa dos ajustes feitos no edital. 

LEIA TAMBÉM
Produção de carrocerias de ônibus cai 24,2% no Brasil em 2021


Dessa forma, as primeiras vendas ocorreram em outubro. Assim, foram faturadas 200 unidades. "Vamos completar o restante até o fim do ano. E ainda absorver as novas demandas", diz Saltini. "Mas seria muito difícil se comprometer com um volume maior", pontua.

Vendas fechadas

Enquanto isso, encarroçadoras e fabricantes de chassis atendem à licitação vigente. A Volare, por exemplo, anunciou nesta semana que fechou a venda de 200 unidades de micro-ônibus. Por outro lado, a Mercedes-Benz venceu a licitação para fornecer 2.600 ônibus. De acordo com a fabricante, os veículos já estão em produção.

Boas expectativas

Mesmo com um volume menor, a nova licitação deve continuar a movimentar o mercado de ônibus em 2022. Segundo Bisi, a previsão é que a produção de carrocerias de micro-ônibus para o Caminho da Escola contribua para o crescimento dos pedidos. "Nossa expectativa é uma alta de 20% na produção em 2022", diz. Assim, o volume será de 15 mil ônibus.


De acordo com o presidente da Fabus, esse aumento ocorre por causa da retomada de passageiros. Tanto para o sistema de ônibus urbanos. E por causa do reaquecimento do turismo. "Isso impacta os segmentos de urbano e turismo", diz Bisi. Pelas contas do executivo, a produção de urbanos representa 43% do total. Por outro lado, a de rodoviários 26%.