Redação

17/02/2021 - 4 minutos de leitura.

Coreia do Sul investiga incêndio em um ônibus elétricos da Hyundai

É a primeira vez que um ônibus elétrico da Hyundai pega fogo. Mas, em 2020 a marca fez um recall do SUV elétrico Kona, que tem o mesmo tipo de bateria

Hyundai
Crédito: Divulgação/ Hyundai

Um ônibus elétrico da Hyundai pegou fogo neste segunda-feira (15). O caso aconteceu na cidade de Changwon, na Coreia do Sul.

O Ministério dos Transportes do país está investigando as causas do incêndio. Seja como for, o veículo não transporta passageiros e ninguém se feriu.

O ônibus da Hyundai voltava para a garagem após uma inspeção técnica. O modelo, um Elec City 2009 utiliza baterias LG Energy Solution instaladas no teto.

Leia também: Ônibus da BYD devolverão eletricidade para a rede de Londres

De acordo com sites internacionais de notícias, o prejuízo é de 400 milhões de wons. Na conversão direta esse valor equivale a cerca de  R$ 1,9 milhão.

Hyundai fez recall de SUV elétrico

Este é o primeira registro de incêndio de um ônibus elétrico da Hyundai. Contudo, em outubro de 2020 a marca fez um recall da versão elétrica do Kona na Coreia do Sul.

O SUV compacto utiliza o mesmo tipo de bateria do ônibus. O motivo do recall foi risco de curto-circuito por causa de possíveis falhas na fabricação das células das baterias.

Segundo informações da imprensa sul-coreana, pelo menos 15 Hyundai Kona pegaram fogo. Inclusive alguns casos que já tinham passado pelo recall.

Acidentes com risco de explosão

Seja como for, os ônibus elétricos Hyundai Elec City utilizam bateria de íons de lítio de 128 kWh e 256 kWh. O motor elétrico gera o equivalente a 240 kW e autonomia é de até 290 km.

Além desse modelo, a Hyundai fabrica um ônibus de dois andares totalmente elétrico. Da mesma forma, oferece o micro-ônibus County Electric no mercado sul-coreano.

De acordo com o site Olhar Digital, o mesmo tipo de componente está no Chevrolet Bolt EV. Ele é vendido também no Brasil.

Da mesma forma que o Kona, também passou por recall. Nesse meio tempo, a segunda geração foi lançada nos Estados Unidos.

Hyundai não é a única a enfrentar problemas

A Hyundai não é a única fabricante a enfrentar problemas com seus veículos elétricos. Em 2020, Tesla foi acusada de negligência por vender os sedans elétricos Model S mesmo sabendo que havia falhas de fabricação.

Assim, o modelo apresentava risco de pegar fogo espontaneamente. De acordo com investigações, o alumínio presente em vários componentes é suscetível a rachaduras.

Portanto, em caso de defeito na peça, o líquido de refrigeração poderia cair sobre as baterias. Como resultado, havia o risco de danos à bateria, com redução da durabilidade do componente. Além de, em alguns casos, haver risco de explosão.

Notícias relacionadas