Andrea Ramos

28/09/2020 - 10 minutos de leitura.

Scania lança motor V8 com até 770 cv na Europa

Com essa nova geração de motores V8, que inclui o motor de 770 cv de potência, a Scania é a dona do caminhão mais potente do mundo

Scania apresenta nova geração de motores V8, com potência de até 770 cv
Crédito: Scania/Divulgação

A Scania apresentou nesta segunda-feira (28), na Europa, a nova geração de motores V8. A novidade tem versões com 530 cv, 590 cv, 660 cv e 770 cv de potência. E, graças a atualizações no sistema de pós-tratamento de gases e no turbocompressor, a redução do consumo de combustível foi de até 6% em relação aos motores da geração anterior.

Com o novo V8 de 770 cv, a Scania superou a Volvo e passou a oferecer o caminhão produzido em série mais potente do mundo. Até então esse posto pertencia ao Volvo FH 16 750, com um motor de 16 litros, seis-cilindros em linha com potência de 750 cv.



A nova geração de motores V8 da Scania equipará caminhões direcionados às operações rodoviárias de longa distância. E também em atividades pesadas, seja de uso misto ou off-road. Segundo informações da marca, esses propulsores ​​garantem maior eficiência a esse tipo de transporte.

Scania V8 mudou e ficou mais econômico

Segundo os engenheiros da Scania, o menor consumo de combustível é resultado de um amplo ajuste. E também do desenvolvimento tecnológico da marca. O propulsor recebeu 70 novas peças.

Entre os resultados, o atrito de peças móveis foi reduzido. Além disso, a taxa de compressão aumentou e o sistema de pós-tratamento foi aprimorado. Isso é resultado da adoção de um novo dispositivo de gerenciamento eletrônico do motor (EMS).

Outra novidade é que o fluido AdBlue é injetado duas vezes. Uma ocorre diretamente no coletor de escape e a outra, no silenciador do escapamento. Com isso, a evaporação do AdBlue melhora durante os ciclos, por causa da maior temperatura perto do coletor de saída do escapamento. Isso também contribui para a redução do consumo de combustível, segundo informações da marca.

Os novos motores Scania V8 contam apenas com o sistema de pós-tratamento SCR. Para atender as leis cada vez mais rígidas de controle de emissões, várias fabricantes utilizam dois sistemas. A maioria dos modelos da concorrência traz o SCR e o EGR.

No V8 tudo é novo

A linha de motores V8 também ganhou uma nova bomba de combustível de alta pressão. Entre as vantagens, os elementos de bombeamento são controlados individualmente. A pressão geral e o controle de entrada foram aprimorados e visando mais tempo de atividade e melhor desempenho.

A nova bomba também contribui para reduzir o consumo de óleo do motor. A taxa de compressão e a pressão máxima do cilindro foram ampliadas. Dessa forma, segundo informações da marca, houve melhoria na combustão e no aproveitamento da eficiência do combustível.

Chefe de engenharia do motor Scania V8, Göran Lindh, diz que o aumento da pressão e o aumento da potência requerem que vários componentes dentro do motor sejam refinados e reforçados. E isso incluiu engrenagens, pistões, anéis, cabeçotes de cilindro e válvulas.

“O novo motor passou por melhorias avançadas para reduzir as perdas internas. Especialmente porque também queríamos estender os intervalos de manutenção e durabilidade do reforço. E nós conseguimos conciliar esses objetivos”.

O motor mais potente do mundo é mais leve

O membro mais forte da nova família V8 da Scania é o motor DC16 123, com potência de 770 cv. Ele substitui o modelo anterior de 730 cv. O torque é também poderoso, de 377,5 mkgf.

O motor de 530 cv desenvolve 285,7 mkgf de torque. Já o torque do motor de 590 cv é de 311 mkgf. O motor de 660 cv tem torque de 336,7 mkgf.

“Nessa nova geração, o aumento da potência vem junto com a economia de combustível. Possível de alcançar graças à introdução das tecnologias mais recentes. Como o sistema de pós-tratamento que é somente o SCR. Além disso, o turbocompressor robusto é de geometria fixa e os coletores de exaustão são de banco único”, explica Lindh.

Eliminar certos componentes pesados ​​e simplificar outros reduziu o peso do propulsor em 75 kg na comparação com seu antecessor. Outra novidade é que o motor de 770 cv, para maior capacidade de resposta, tem um turboalimentador de geometria fixa exclusivo com rolamentos de esferas em vez de rolamentos tradicionais.

Para essa nova geração de motores, a Scania também renovou a transmissão Opticruise. Uma novidade é o eixo de engrenagem mais rápido. Por ser produzida de alumínio, a caixa está 60 kg mais leve. Outra conquista importante foi a redução de ruído de 3,5 decibéis.

Infinitas possibilidades entre 530 cv e 770 cv

Os executivos da Scania dizem que, embora a eletrificação do transporte esteja no topo da agenda, o mundo ainda depende dos caminhões movidos a motores a combustão. E é por isso que os novos V8 da Scania desempenham um papel tão importante.

“Um caminhão de longa distância na Europa percorre cerca de 150 mil quilômetros por ano. Com a nova motorização o transportador terá uma economia razoável em combinações mais longas e pesadas. Essa economia pode chegar a ser entre 3 mil e 4 mil litros de diesel por ano”, diz Alexander Vlaskamp, ​​vice-presidente executivo e chefe de vendas e marketing da Scania.

Vlaskamp explica que os clientes estão buscando o melhor custo operacional. E, por essa razão, estão cientes de que quanto maior a carga útil, melhor será a eficiência e isso gera maior receita. Por isso, o V8 será uma ferramenta adequada para quem tem esse perfil.

O executivo ainda acrescenta que na Europa, sobretudo nos países nórdicos, o caminhão V8 é bastante procurado, tanto por quem transporta peso como para aqueles que querem o veículo por serem fãs da “máquina”.

V8 no Brasil

É natural que os caminhões com motores V8 da Scania sejam procurados por frotistas de países em que é possível trafegar com peso bruto total combinado (PBTC) maiores. E o Brasil é um deles. Por aqui são permitidas operações com até 74 t de PBTC. E quando combinado a terrenos acidentados, como operações fora de estrada, a nova motorização também pode contribuir para uma operação mais eficaz.

A Scania do Brasil informou que “por enquanto não haverá nenhuma mudança com relação ao motor V8 no País”.

No Brasil, o motor com maior potência da Scania é o R 620. O modelo chegou na geração passada e a Scania o manteve na atual. Por aqui, o caminhão é utilizado em operações rodoviárias de longas distâncias, sobretudo com muita topografia. E também nas atividades fora de estrada como mineração, construção pesada e transporte de madeira, nas trações 6×4 e 8×4.

O R 620 é equipado com motor DC16, de 16 litros e oito cilindros em V. Ele desenvolve potência de 620 cv a 1.900 rpm, com torque de 306 mkgf entre 1.000 rpm e 1.400 rpm. Esse propulsor permite que o pesado trafegue em alta velocidade sem ultrapassar a faixa verde de rotação.

Notícias relacionadas