Você está lendo...
Renault Master elétrico vem no 2º semestre desafiar e-Expert, e-Jumpy e JAC
Lançamentos

Renault Master elétrico vem no 2º semestre desafiar e-Expert, e-Jumpy e JAC

Master E-Tech, versão 100% elétrica do comercial leve da Renault, chega no 2º semestre na carroceria furgão, que é a mais vendida do modelo

Andrea Ramos

01 de fev, 2022 · 9 minutos de leitura.

Renault Master elétrico chega ao cliente no segundo semestre
Renault Master elétrico chega ao cliente no segundo semestre
Crédito:Renault/Divulgação
Renault Master elétrico chega ao cliente no segundo semestre

A nova geração do Renault Master estreou 30% mais econômica e com visual moderno. Mas não é só. O comercial leve da marca francesa terá uma versão alimentada por baterias nos próximos meses. A Renault confirmou que venderá no Brasil a Master E-Tech, 100% elétrica. As entregas aos clientes começam no 2º semestre deste ano.

O Master elétrico é um dos produtos que integram o plano de eletrificação da Renault no País. O projeto da marca francesa começou em meados de 2013, quando começou a entregar os veículos elétricos Zoe, Twizzy e Kangoo para empresas. Depois disso, em 2018, a montadora começou a vender o hatch elétrico Zoe no varejo, ao público geral.

Com todos os modelos, a Renault contabiliza mais de 500 veículos a bateria em circulação no País. No caso do Master E-Tech, ainda não há detalhes sobre autonomia, ou mesmo capacidades e preço. Mas a versão elétrica do utilitário deverá chegar (importada) com as mesmas especificações da Europa. Ou seja, o Master Z.E., como é chamado por lá.


Renault Master elétrico
Renault/Divulgação

Mais energia

O Master elétrico tem novas baterias com maior capacidade. O conjunto aumentou de 33 kWh para 52 kWh. Dessa forma, tem maior autonomia. Em vez dos 160 km anteriores, roda até 190 km com a carga completa. Além disso, tem carregamento mais rápido. Segundo a Renault, bastam duas horas para encher 80% das baterias em estações de carga rápida. Ou três horas para a carga total. Na versão anterior, eram 4 horas.

Com zero emissões, o Renault Master E-Tech será amigável aos grandes centros. Mesmo em áreas com restrições de tráfego, o utilitário ajudará a reduzir as emissões de gases. Por essa razão, na Europa, ele conta com recursos como câmeras de ré e espelho de ponto cego. Bem como um alerta sonoro de aproximação quando trafega abaixo de 30 km/h.


Assim, no velho continente, o Master elétrico está disponível nas configurações van, chassi-cabine e furgão. Este último tem oito versões, incluindo diferentes comprimentos, alturas e distância entre-eixos.

Renault Master elétrico
Renault/Divulgação

Novo visual da Renault

Quando a Master elétrica desembarcar em terras brasileiras, vai compartilhar das mesmas soluções das versões com motor térmico. Nesse sentido, destaque para o visual mais moderno. Ele é marcado pela grade que tem aparência mais robusta e se une aos faróis. O novo Master também está cheio de novos recursos de segurança.


Tais sistemas, como os controles de estabilidade (ESP) e de tração (TCS), devem estar presentes na versão elétrica. Assim como o assistente de partida em rampas (HSA), o sistema anti-capotamento (RMI), os assistentes de tração de reboque (TSM) e de Aderência Prolongada em Partida (EGD), e o estabilizador de vento lateral (CWS).

Renault Master elétrico chega ao cliente no segundo semestre
Renault/Divulgação

A dúvida fica em relação à cabine. Isso porque o novo Master feito em São José dos Pinhais, no Paraná, manteve o painel da versão anterior. Enquanto isso, na Europa, o comercial leve ganhou painel completamente novo. Aqui, tem volante multifuncional, novas posições de altura e profundidade dos bancos. Bem como uma central multimídia de 7" com conexão com os sistemas Apple CarPlay e Android Auto, e com câmera de ré.


Principais concorrentes

O furgão Master na versão tradicional com motor a combustão representou 56% das vendas de toda linha em 2021, com 5.129 unidades emplacadas. Já a versão chassi-cabine respondeu por 1.454 unidades, e a de passageiros teve 1.199 modelos licenciados. Logo, a aposta elétrica da marca deve se concentrar inicialmente na versão furgão.

Segundo o presidente da Renault do Brasil, Ricardo Gondo, a Master E-Tech virá para atender operações e 4 a 10 m³ de capacidade de carga. Dessa forma, vai disputar mercado com as - também francesas - Peugeot E-Expert e Citroën E-Jumpy. Ambos os utilitários têm 1 t de capacidade de carga ou capacidade volumétrica de 6,1 m³. E são feitos no Brasil na mesma plataforma modular. Logo, compartilham tecnologia e acabamento.

Renault Master elétrico chega ao cliente no segundo semestre
Peugeot/Divulgação

Nesse sentido, os veículos que chegaram em novembro, em uma única versão, custam R$ 329,9 mil. Eles usam baterias de 75 kWh, que garantem autonomia de até 330 km. Além disso, o motor elétrico entrega potência de 100 KW, o equivalente a 136 cv e 26,5 mkgf de torque.

Na lista de equipamentos, os representantes da Citroën e da Peugeot contam com painel de instrumentos com tela digital colorida de 3,5". Nela, há informações como velocímetro e modo de condução, bem como marcha selecionada, nível das baterias e consumo.

Em termos de condução, há três opções disponíveis: modo Eco, com foco na otimização do consumo de energia. Assim como os modos Normal, que traz o equilíbrio entre autonomia e performance, e o Power, cuja função é priorizar o desempenho.


A central multimídia possui tela sensível ao toque de 7", mas, tal como no Master, o equipamento é opcional. E dispõe de espelhamento com Android Auto e Apple Carplay, bem como câmera de ré.

Furgão da JAC tem maior capacidade

Outro potencial competidor é o JAC IEV750V, lançado em junho de 2021. Assim, por causa do peso bruto total combinado (PBT) de 4,6 t, poderá ser o concorrente mais direto do Master E-Tech. Esse veículo conta apenas com uma versão e custa R$ 469,9 mil.

Renault Master elétrico chega ao cliente no segundo semestre
JAC/Divulgação

Assim, o motor elétrico do JAC gera torque de 76,5 mkgf e 163 cv de potência. Além disso, as baterias de 92 kWh garantem autonomia de até 235 km. Porém, com o modo de condução Eco ativado, o modelo roda até 280 km entre as recargas.

O interior do furgão da JAC é o menos rebuscado da categoria. Apesar de externamente lembrar o Sprinter da Mercedes-Benz, o veículo foi desenvolvido entre uma parceria da JAC com a Hyundai na China. Entre as tecnologias, traz o sistema i-Pedal que regenera a bateria, podendo elevar a autonomia em até 20%. E tem modo Eco do sistema de condução.

Vendas de furgões elétricos no Brasil em 2021

Citroën E-Jumpy1
Peugeot E-Expert1
JAC iEV 7506
Fonte: Fenabrave