Redação

11.08.2020 | 20:12

Nikola fará 2.500 caminhões elétricos de coleta de lixo

A norte-americana Nikola Motor anunciou a venda de 2,5 mil caminhões elétricos para empresa de coleta de lixo Republic Services, com entregas a partir de 2023

Nikola vende 2,5 mil caminhões para empresa de coleta de lixo
Crédito: Nikola/Divulgação

A Nikola Motor fechou a venda de 2,5 mil caminhões elétricos para a Republic Services Inc. A empresa é uma das maiores fornecedoras de serviços de coleta, descarte, reciclagem e de energia de resíduos sólidos dos Estados Unidos. De acordo com as duas empresas, os veículos serão desenvolvidos de forma conjunta.

Com o anúncio do negócio, o CEO da Nikola, Trevor Milton, informou, por meio de comunicado, que a empresa tem 14 mil encomendas de caminhões elétricos. A estimativa das duas empresas é que os novos caminhões de lixo sejam entregues a partir de 2023.

LEIA TAMBÉM: Tesla produzirá caminhão elétrico Semi no Texas

“O mercado de coleta de resíduos é um dos mais estáveis do setor. E oferece valorização a longo prazo aos acionistas”, disse o CEO da Nikola, em comunicado. O negócio entre a fabricante e a Republic Inc pode ser expandido para 5 mil caminhões. A possível ampliação será avaliada a partir do ano que vem.

Os caminhões que Nikola fará para a Republic Services terão autonomia para rodar cerca de 240 km. A expectativa é que os motores elétricos gerem o equivalente a 1.000 cv de potência.

Nikola terá opção a célula a combustível

No mundo inteiro, as regras que tratam do limite de emissões de poluentes são cada vez mais severas. Isso vem impulsionam o desenvolvimento de veículos com propulsão alternativa aos motores a combustão interna. A aposta das fabricantes vem sendo a eletrificação.

E é por essa razão que a Republic Services está investido na eletrificação de sua frota. O objetivo da empresa é garantir também uma operação mais silenciosa no uso urbano. Isso porque os veículos elétricos emitem menos ruídos. Além disso, o custo de manutenção é menor que o de modelos equivalentes com motores convencionais.

Os principais fabricantes de veículos têm modelos eletrificados. As opções começam com sistemas híbridos convencionais (motor a combustão e elétrico trabalhando em conjunto). Há ainda os híbridos plug in, cujas baterias são recarregadas na tomada. Os elétricos puros e os a célula a combustível, com motor movido pela eletricidade gerada por reação química.

Nikola tem parceria com Iveco e FPT

Poucas montadoras oferecem tecnologia de célula a combustível para caminhões. É o caso da sul-coreana Hyundai Motor, da japonesa Toyota e da norte-americana Nikola.

Em 2019, a Nikola, a Iveco e a FPT Industrial, marcas da CNH Industrial, se juntaram. O objetivo é acelerar o processo de neutralidade de emissões no transporte de cargas na América do Norte e Europa. A tecnologia adotada é a célula a combustível.

Picapes elétricas vêm aí

A Nikola também pretende lançar uma picape. Batizada de Badger, o modelo deve estrear até 2022 para ser rival da Tesla  Cybertruck. que também não foi lançada ainda. A picape da Nikola deverá ser oferecida em duas versões: elétrica pura e a célula a combustível.

Outra concorrente que promete um modelo no segmento é a Rivian. Batizada de R1T, a picape da marca norte-americana foi apresentada em 2019, durante o Salão de Nova York. Marcas tradicionais, como Chevrolet, Ford e RAM também preparam modelos movidos a eletricidade.

Até a GMC terá representante no segmento. Trata-se da Hummer, que passará a ser uma linha de produtos. O modelo, que terá motor com potência de cerca de 1.000 cv, deve ser apresentado no último bimestre deste ano. As vendas nos EUA começam em meados do ano que vem.

Notícias relacionadas