Lançamentos

Librelato lança nova linha de implementos rodoviários no Brasil

Nova linha de produtos da Librelato chega em 2022 com redução de até 470 quilos na tara e inovações como câmeras e bitolas mais largas

Andrea Ramos, de Criciúma, Santa Catarina

23 de nov, 2021 · 8 minutos de leitura.

Librelato renova sua linha de implementos no Brasil" >
Librelato renova sua linha de implementos no Brasil
Crédito:Librelato/Divulgação
Librelato renova sua linha de implementos no Brasil

A Librelato acaba de apresentar sua nova linha de implementos rodoviários no Brasil. Batizada de Evolut, em alusão ao termo evolução, os equipamentos são mais leves, seguros e conectados, segundo a empresa. Cinco tipos de produtos foram renovados. São eles: rodotrens, graneleiros, basculantes, semirreboques tanques e furgões lonado e de alumínio. Ou seja, todos do segmento de pesados. Aliás, esse é o foco de atuação da Librelato.

Leia também: Novos Volvo FH, FM e FMX já estão sendo feitos no Brasil

Você também vai gostar de


De acordo com a Librelato, com os lançamentos a meta é passar dos atuais 12,3% de participação de mercado para 14% em 2022. Aliás, a produção da nova linha começa no ano que vem. Inicialmente, esses produtos são destinados apenas ao mercado interno. Conforme o CEO da empresa, José Carlos Sprícigo, antes de iniciar as exportações é preciso verificar a legislação de cada país. Do mesmo modo, a chegada da nova gama vai substituir a anterior naturalmente.

Afinal, os produtos trazem inovações importantes. Por exemplo, à Fenatran de 2019 a Librelato levou o Pró-Nio. Trata-se de um composto de aço contendo nióbio. Segundo a fabricante, implementos feitos com esse material seriam bem mais leves. Assim, um semirreboque graneleiro com três eixos e 12,5 metros de comprimento, poderia levar até 780 kg extras graças à redução da tara. O equipamento lançado agora é 400 kg mais leve que o anterior.

Redução no consumo de combustível

Da mesma forma, a linha furgão lonado e alumínio teve redução de cerca de 200 kg de tara. Por sua vez, o rodotrem basculante emagreceu 400 quilos mais leve. Além disso, atualizações no formato melhoraram a aerodinâmica da linha. Portanto, essas mudanças vão garantir redução de até 2% no consumo de combustível do caminhão.

 

No semirreboque tanque, houve redução de 470 kg na versão para até 32 mil litros. Com isso, o ganho no volume transportado foi de 2 mil litros, no caso de gasolina e etanol, e de 600 litros de diesel. Ou seja, houve ganho entre 7% e 10% na capacidade de carga. Esse aumento é resultado também de atualizações no formato de calotas, quebra-ondas e do corpo do tanque. O reservatório traz protetor lateral redesenhado, que facilita o acesso aos registros. Portanto, isso reduz o tempo de descarga.

Da mesma forma, houve alterações no tamanho das bitolas dos eixos dos implementos. No da linha de graneleiros o aumento foi de 100 mm. Segundo a Librelato, com isso houve cerca de 5% de melhora na estabilidade. Os furgões lonado e de alumínio também receberam os novos eixos. Bem com ajustes na distância entre o apoio das molas, que ficou 100 mm maior. De acordo com a empresa, essa solução já havia sido adotada nas atuais famílias do tipo basculante e tanque.

Implementos personalizados

Conforme a Librelato, a espessura do aço utilizado na estrutura do chassi também varia de acordo com a necessidade de cada cliente. Além disso, a linha pesada Evolut tem um sistema conhecido como modular. Assim, dá para montar o implemento de acordo com as características de cada operação. Ou seja, há módulos que podem ser parafusados, em vez de soldados.

Por exemplo, no graneleiro é possível parafusar componentes como o engate "G" nos perfis laterais. Bem como fixar parte dos pneus estepe, para-choque e protetores laterais, entre outros itens. "Dessa forma, o transportador pode ter ganhos com relação à manutenção ?, diz o gerente de engenharia do produto Librelato, Fábio Tronca. Segundo ele, a construção dos módulos foi possível graças a investimentos no desenvolvimento de um sistema de solda robotizada.

Como resultado, o tempo necessário para a solta de partes do implemento foi reduzida em até 30%. Em outras palavras, são cerca de 35 minutos, em média. Outra inovação está ligada a equipamentos eletrônicos. Por exemplo, todos os implementos poderão receber câmeras e sistema automático de acoplamento e desacoplamento. Portanto, o motorista visualizar as manobras na tela do smartphone.

Continua depois do anúncio

Librelato mira Indústria 4.0

Segundo Sprícigo, a Librelato investiu R$ 35 milhões no desenvolvimento da nova linha de produtos. De acordo com ele, isso inclui processos de digitalização e automação. Além disso, a empresa comprou uma máquina com capacidade para cortar 30 metros de aço em poucos minutos. Como resultado, além da modernização da fábrica de Içara (SC), a área construída vai dobrar de tamanho. Ou seja, passará de 30 mil m² para 60 mil m².

Nesse sentido, a Librelato promete investir R$ 198 milhões na planta nos próximos três anos. De acordo com a empresa, R$ 50 milhões serão injetados em 2022. Assim, a companhia vai ampliar bastante a sua capacidade de produção. Atualmente, a empresa fabrica 63 implementos rodoviários por dia. Como resultado dos aportes, a meta e passar a fazer 70 unidades diariamente no próximo ano. E chegar à media de 90 produtos sendo feitos por dia em 2023.

Ao mesmo tempo, a Librelato quer ampliar as vendas de peças de reposição. Nesse sentido, criou o  Box Libreparts, para oferecer itens de giro alto. Com um conceito bastante simples, são contêineres estarão localizados em pontos estratégicos das principais rodovias do País. Ou seja, como postos de combustível com grande movimento de caminhões. Esses boxes ficarão distantes de 100 km a 150 km das loja física da fabricante. Segundo o gerente da Libreparts, Daniel Zilio, 15 unidades do tipo estarão em operação até o fim de 2021.