Notícias

Grupo Daimler tem muito a celebrar em 2021

Para o Grupo Daimler Trucks & Buses 2021 é um ano de comemorações, com várias efemérides importantes de veículos da marca

Redação

19 de mar, 2021 · 10 minutos de leitura.

Setra" >
Setra
Crédito:Mercedes-Benz/Divulgação
Grupo Daimler tem muito a celebrar em 2021

Neste ano, o Grupo Daimler comemora 125 anos do primeiro caminhão, 75 anos do Unimog, 70 anos do ônibus Setra e 25 anos do Actros. Ademais, a marca também lembra os 25 anos dos serviços Omniplus. Logo, 2021 vai ser marcado por comemorações no grupo.

Nesse sentido, a marca Mercedes-Benz, que integra o Grupo Daimler, também celebra 65 anos de presença no mercado brasileiro. A data oficial, 28 de setembro, marca a inauguração da fábrica de São Bernardo do Campo (SP), em 1956. Ademais, a Mercedes-Benz do Brasil, além de dona da maior fábrica da Daimler fora da Alemanha também detém o principal mercado do grupo.

Em 2020, a marca encerrou como líder em vendas de caminhões no Brasil. Dessa forma, conquistou 31% de partic­­­ipação. Assim, garantiu o quinto ano consecutivo no topo do ranking de emplacamentos. Nesse sentido, a empresa aposta no novo Actros para continuar líder nas vendas de caminhões em 2021. E a versão traçada de 510 cv deve puxar o coro.

1896: Daimler concebe o primeiro caminhão

Em 1896, Gottlieb Daimler apresentou o primeiro caminhão do mundo. O modelo equipava rodas de madeira revestidas de ferro. Todavia, como na Alemanha não houve, a venda do modelo ocorreu na Inglaterra. Sua estreia nas estradas necessitou de um membro da tripulação que teve que andar na frente, agitando uma bandeira vermelha para alertar os outros usuários da estrada.

O veículo desenvolvia 4 cv de potência. Seu motor traseiro, de dois cilindros e um deslocamento de 1,06 litros, chamava Phoenix. Porém, o modelo tinha pouco em comum com um caminhão de verdade.

Sistemas modernos

Ou seja, tratava-se de uma carroça convertida, típica daquelas puxadas por cavalos. Seu chassi equipado com feixes de molas foram montados transversalmente na frente. E no formato de molas helicoidais na parte traseira. Logo, a suspensão era necessária não apenas pelo mau estado das estradas. Mas porque o motor era muito suscetível a vibrações.

Entretanto, a última seção do trem de força era moderna. Uma correia transferia a força do motor para um eixo montado transversalmente ao eixo longitudinal do veículo. Cada extremidade do eixo equipava  um pinhão e uma pequena roda dentada. Cada dente do pinhão engrenava com os dentes internos de uma coroa. Esta, estava firmemente conectada à roda a ser acionada. No entanto, mais tarde, esse conceito construtivo se tornaria uma marca registrada dos caminhões Mercedes-Benz. Ou seja, o eixo de redução planetária.

Protótipo do Unimog

Em 1946, o chamado "Protótipo 1" do caminhão para aplicações especiais Unimog completou seu primeiro test-drive. O próprio projetista-chefe Heinrich Rößler avalio aquele veículo. Porém, ele não tinha cabine. E estava totalmente carregado com madeira, rodando por estradas florestais acidentadas da Alemanha.

A criação do Unimog está ligada à difícil situação do pós-guerra. No entanto, nesse período a Alemanha sofria com a escassez de suprimentos. Em 1945 e 1946, houve uma terrível falta de comida. Logo, essa situação deu a Albert Friedrich, na época chefe de desenvolvimento de motores de aeronaves na Daimler-Benz AG, a ideia de um veículo motorizado. Assim, seria uma forma de aumentar a produtividade na agricultura.

Serviços agrícolas

Depois do final da guerra, Friedrich renovou seus contatos com a Erhard & Söhne, empresa metalúrgica fornecedora da Daimler-Benz em Schwäbisch-Gmünd. E em dezembro de 1945 começou a funcionar o departamento responsável pelo mercado agrícola.

Continua depois do anúncio

Friedrich passou a liderança do projeto para seu antigo subordinado, o designer Heinrich Rößler, em 1946. Em apenas algumas semanas, desenvolveram um novo design para o veículo. Com o motor e a caixa de mudanças posicionados diretamente à direita do centro do veículo, apenas quatro juntas de transmissão necessitavam no chassi. Ou seja, esse desenvolvimento, mesmo 75 anos depois, continua sendo usado no Unimog das séries U 4023 e U 5023.

Em março de 1946, Hans Zabel, de Gaggenau, que havia participado do projeto desde o início, criou o termo Unimog (Universal-Motor-Gerät). Ou máquina motorizada de uso universal. Em outubro de 1946, ocorreu o primeiro test drive com o veículo.

Ônibus Setra

Em 1951, Kässbohrer Fahrzeugwerke, de Ulm na Alemanha, apresentou o S8. E deu à marca o seu nome, que significa "autossustentável". Contudo, o primeiro ônibus fabricado em série, com motor traseiro e tração no eixo traseiro, estreou no Salão Internacional IAA em Frankfurt, na Alemanha.

Nesse sentido, os últimos 70 anos, a marca não só estabeleceu padrões de design europeu de ônibus com seis séries de modelos. Mas também avançou neste setor. Atualmente, o modelo S 531 DT, está posicionado como carro-chefe da marca. Um ônibus Double Deck da linha Setra TopClass 500.

Serviços e pós-venda

Em 1996, apenas um ano após a fusão da Mercedes-Benz Buses com a Setra, formando a EvoBus GmbH, as empresas fundaram a Omniplus. Assim, nasce a unidade de serviços responsável por todas as atividades de pós-venda das duas marcas. Contudo, hoje, a Omniplus conta com uma rede de serviços com mais de 650 oficinas em 42 países europeus.

Actros da Mercedes-Benz

No final de setembro de 1996, a Mercedes-Benz apresentou no IAA um novo caminhão pesado. Assim, chegou o Actros, primeiro caminhão com freio a disco e sistema de freio eletrônico (EBS).

Com tais sistemas, o Actros ganhou a fama de o mais seguro da sua categoria. Além disso, tecnologias inovadoras como os sistemas ?Telligent? aumentaram consideravelmente a eficiência. Entre outros destaques está a ampliação dos intervalos de manutenção a cada nova geração. Ou seja, mais que o dobro em relação à versão anterior. Ademais, o consumo de combustível reduziu entre 3 e 7%,  dependendo do tipo de operação. A carga útil aumentada em até 400 kg também ganhou notoriedade entre os frotistas.

Segurança

A segurança e o conforto melhorados chama a atenção a cada nova geração. E graças ao sistema de freios ?Telligent? com freios a disco, por exemplo, houve a redução da distância de frenagem do Actros.

Ademais, devido ao aprimoramento da montagem dos veículos, o consumo de energia reduziu em quase 50%. As novas cabines proporcionaram aos ocupantes até 47% mais espaço interno.

Logo, cada nova geração do Actros introduzida ao longo de sua trajetória, a caminhão conquistou o prêmio de "Caminhão do Ano". Nesse sentido, até hoje, o Actros continua pioneiro com relação à segurança.