Redação

12/02/2020 - 5 minutos de leitura. Atualizado: 13/02/2020 | 13:04

Furgão Ford Transit roda com óleo de cozinha usado

Ford Transit começa a rodar na Europa com o motor movido a HVO, um tipo de diesel renovável que pode ter óleo de cozinha usado e gordura animal na composição

Ford Transit vai usar HVO Na Europa
Crédito: Ford/Divulgação

A van Ford Transit vendida na Europa pode rodar com óleo de cozinha usado, gordura animal e óleo de peixe. Isso porque a marca foi autorizada a utilizar o HVO, sigla de Hydrotreated Vegetable Oil, ou “óleo vegetal hidrotratado” em tradução livre. Trata-se de um tipo um tipo de diesel renovável que pode receber subprodutos de processos industriais em sua composição.

O objetivo a Ford é atender as metas de emissões de poluentes estabelecidas pelos países europeus. Entre as ações previstas estão a ampliação da oferta de veículos elétricos, inclusive caminhões. No Reino Unido, por exemplo, a venda de modelos com motor a combustão será vetada a partir de 2035.

No Brasil, uma das apostas para reduzir os níveis de emissões de poluentes nas grandes cidades é o gás. A Scania, por exemplo, já oferece caminhões com esse combustível no País. E o governo federal deve apresentar um projeto em abril que prevê a troca da frota de ônibus a diesel por modelos a gás nas metrópoles.



Por utilizar hidrogênio como catalisador no processo de produção, a queima do HVO é mais “limpa!”. Além disso, esse combustível dura mais que o biodiesel convencional.

A utilização do HVO reduz em até 90% a emissão de gases responsáveis pelo efeito estufa, como NOx. Também produz menores volumes de material particulado. O combustível renovável também facilita a partida do motor em baixas temperaturas, algo comum durante o inverno europeu. As informações foram divulgadas pela Ford.

Para viabilizar a oferta de HVO, já há uma rede empresas estabelecida na Europa. Essas companhias são dedicadas à coleta de óleo de cozinha usado em restaurantes, indústrias e escolas. A União Europeia também mantém um programa chamado RecOil. O objetivo é aumentar o reaproveitamento de óleo usado para a produção de biodiesel.

Com o HVO, Ford atende às demandas de reduzir as emissões saídas dos escapamentos dos seus veículos comerciais

 

Ford aprova o biocombustível

A Ford informa que testou o HVO no motor EcoBlue 2.0 da Transit, que não recebeu nenhum tipo de atualização. De acordo com a empresa, a van não apresentou diferenças relevantes em termos de desempenho e durabilidade.

O HVO é vendido em vários postos de combustível na Europa. O produto é oferecido tanto na forma pura quanto adicionado ao diesel comum. Em alguns mercados europeus os grandes frotistas também podem comprar o produto diretamente de fornecedores especializados.

Em regiões em que não haja postos com HVO, o veículo pode ser abastecido com diesel convencional. Os dois tipos de combustível podem ser misturados no tanque em qualquer proporção. “O HVO é uma solução para melhorar a qualidade do ar”, diz o gerente geral de veículos comerciais da Ford Europa, Hans Schep.

Biodiesel brasileiro

O Brasil é um dos maiores produtores mundiais de biodiesel. No ano passado, a Agência Nacional do Petróleo, Gás Natural e Biocombustíveis (ANP) autorizou o aumento de 10% para 11% da mistura de biodiesel ao diesel.

A meta é elevar a mistura para 15% (B15) até 2023. Atualmente, cerca de 80% do biodiesel vendido no mercado brasileiro é produzido a partir de óleo de soja.

Notícias relacionadas