Redação

22/02/2021 - 3 minutos de leitura.

Frete está 13,9% defasado, alerta NTC&Logística

Pesquisa da NTC mostrou também que a minoria das empresas transportadoras conseguiu reajustar o frete para cima no ano passado

frete
Crédito: Volvo/Divulgação

O preço do frete ficou 13,9%, em média, defasado no Brasil em 2020. Além disso, 70% dos serviços contratados foram pagos com atraso de, pelo menos, 36 dias. Os dados são da Associação Nacional do Transporte de Cargas e Logística (NTC&Logística)

Ao mesmo tempo, a inflação dos custos de operação ficou acima da média oficial. Ou seja, subiu 9,43% para cargas fracionadas. E 7,15% para lotações ou fechadas.

Leia também: Diesel sobe de novo e Bolsonaro diz que vai zerar impostos

Além disso, o preço do diesel disparou. Sobretudo nos últimos meses. Vale lembrar que o combustível representa cerca de 50% dos custos operacionais de um bitrem, por exemplo.

As empresas do setor reajustaram o preço do frete, em média, 1% para baixo em 2020. Segundo a NTC&Logística, assim o valor pago foi reduzido.

Minoria reajustou preço do frete para cima

De acordo com a NTC&Logísitca, a maioria das empresas (41,4%) não mexeu no preço do frete em 2020. Ao mesmo tempo, 30,8% concederam desconto médio de 7,9%.

E a minoria (27,8%) reajustou o para cima. Nesse sentido, o aumento médio foi de 5,3%.

Assessor Técnico da NTC, Lauro  Valdivia diz que a pandemia causou uma mistura da queda da demanda e aumento de custo. “Muitos transportadores não conseguiram reajustar os fretes. E isso comprometeu bastante o caixa das empresas.”

Reajuste deve ser preocupação de todos

Além disso, a maioria dos transportadores não é remunerada adequadamente. Sobretudo em relação aos serviços  adicionais e também aos complementares.

Segundo Valdivia, o alerta para a inflação acima da oficial é vital para preservar a saúde financeira das transportadoras. E, desta forma, também garantir a capacidade de novos investimentos.

“A recomposição pelo repasse da alta dos custos ou a eliminação das defasagens é importante para o transportador”, afirma o especialista. De acordo com ele, essa deve ser uma preocupação também do contratante.

“Isso para manter a regularidade e a qualidade do serviço”, explica. Segundo ele, outra vantagem é a garantia da segurança das operações.

Notícias relacionadas