Andrea Ramos

20/04/2021 - 5 minutos de leitura.

Financiamento de caminhões cresce 14% em 2021

A alta no volume de operações de financiamento foi maior no segmento de caminhões novos e o CDC se manteve como a modalidade preferida dos brasileiros

Financiamento de caminhões
Financiamento de caminhões Crédito: Mercedes-Benz/Divulgação

A venda de caminhões por meio de financiamentos teve alta de 14% no primeiro trimestre de 2021. Segundo levantamento da B3, 63.218 negócios feitos no período contaram com algum tipo de crédito. Ou seja, o avanço é na comparação com as 55.509 transações feitas de janeiro a março de 2020.

LEIA TAMBÉM: Caminhoneiros têm de fazer exames da covid-19 para entrar na Argentina

Desse total, a maior participação foi de caminhões zero-km. Ou seja, 32.864 unidades. Portanto, houve alta de 25% ante os 26.369 negócios do tipo feitos no primeiro trimestre no ano passado.

Da mesma forma, o segmento de caminhões usados também depende bastante de crédito. Assim, 30.354 unidades foram vendidas por financiamento de janeiro a março de 2020.

Setor de usados também dependem de financiamento

Segundo o levantamento, houve alta de 4% no número de negócios na comparação com igual período de 2020. Em outras palavras, estamos falando de 29.140 caminhões usados.

A falta de caminhões novos é um dos motivos para a alta na procura por seminovos. De acordo com profissionais do setor, dependendo do modelo a espera pode passar de 120 dias.

O levantamento aponta ainda que o Crédito Direto ao Consumidor (CDC) é a modalidade mais procurada. No primeiro trimestre de 2021, 53.987 caminhões foram vendidos por meio desse tipo de operação.

CDC é a modalidade de crédito mais procurada

Portanto, houve alta de 16% na comparação com 2020. Ou seja, de janeiro a março do ano passado esse tipo de crédito viabilizou a venda de 46.723 caminhões.

Nesse sentido, foram 28.602 caminhões novos e 25.383 usados. Assim, a alta foi de 26% e 6%, respectivamente. Segundo a B3, o dado é resultado da comparação com o primeiro trimestre de 2020.

Ou seja, o CDC foi utilizado nas vendas de 22.778 caminhões novos e 23.945 usados no ano passado. Assim também, o consórcio vem ganhando participação nas vendas.

Financiamento via leasing registra retração

Em 2021, foram negociados 7.248 caminhões novos e usados com a utilização de cartas de crédito. Portanto, houve alta no número de negócios.

Ou seja, na comparação com os três primeiros meses de 2020, a evolução foi de 10%. Em números absolutos, esse tipo de operação viabilizou a venda de 6.562 caminhões no ano passado.

Por outro lado, os negócios via leasing recuaram 36% no primeiro trimestre de 2021. Em síntese, apenas 438 vendas de caminhões foram feitas por meio desse tipo de financiamento. De janeiro a março de 2020, foram 687.

Setor de ônibus continua em queda livre

Da mesma forma, houve recuo nas operações de crédito para compra de ônibus. Antes de mais nada, é preciso lembrar que o setor é um dos que mais vem sofrendo com a pandemia.

Nesse sentido, houve uma drástica redução no número de passageiros e viagens. Sobretudo no segmento de turismo. Apenas o fretamento tem mostrado algum sinal de recuperação.

Como resultado, de janeiro a março de 2021, apenas 4.850 ônibus foram vendidos por meio de financiamento. Para comparação, no mesmo período de 2020 o número de operações chegou a 7.506.

Enfim, nesse setor as operações via CDC e consórcio recuaram neste ano. As quedas foram de, respectivamente, 36% e 23%.

Notícias relacionadas