Redação

05/03/2021 - 3 minutos de leitura.

FedEx promete zerar emissões de carbono até 2040

Para alcançar essa meta, a FedEx vai investir cerca de US$ 2 bilhões (mais de R$ 11 bilhões) nas áreas de eletrificação veicular e energias limpas

FedEx
FedEx Crédito: FedEx/Divulgação

A FedEx promete zerar as emissões de carbono em suas operações logísticas até 204. Nesse sentido, a empresa vai investir US$ 2 bilhões. Ou seja, são mais de R$ 11 bilhões na conversão direta.

A princípio, a FedEx está investindo US$ 100 milhões (uns R$ 570 milhões). Esse dinheiro vai para um centro de captura de carbono natural. A ação ocorre em conjunto com a Universidade de Yale, em Connecticut (EUA).

Dessa forma, o centro pesquisará métodos de captação de carbono. “O futuro do nosso negócio está ligado ao do meio ambiente”, diz o diretor de marketing e comunicação da FedEx, Brie Carere.

FedEx acelera rumo à eletrificação

Atualmente, a empresa tem 200 mil veículos com motor a combustão. Agora, quer trocar esses modelos por elétricos.

Logo, até 2025 metade das compras globais de veículos feitas pela FedEx serão de elétricos. E em 2030, todos os veículos comprados pela empresa vão ser eletrificados.

“Esta é uma rápida aceleração de nossos esforços na busca por soluções alternativas ao diesel”, diz Carere. “Estamos muito entusiasmados que parceiros, como a GM, estejam prontos com soluções.”

Ele se refere ao programa de vans elétricas que a FedEx vem testando. Aliás, a marca se prepara para ser o primeiro cliente a comprar a van EV600 da GM. Logo, deve começar a receber os veículos neste ano.


Abordagem multifacetada

Além disso, até 2040 a empresa vai utilizar embalagens feitas com materiais reutilizáveis. Ou seja, tudo em prol de uma operação mais limpa. Isso inclui o uso de energia renovável. Além de programas de gestão de energia em toda a cadeia.

Diretor de sustentabilidade da FedEx, Mitch Jackson está confiante. Ele diz que no último ano fiscal a empresa deixou de emitir mais de três milhões de toneladas de CO2.

“A FedEx tem histórico de investimentos nessa área. Assim, na última década a empresa reduziu a emissão de carbono de suas operações em 40%”, afirma o executivo.

Notícias relacionadas