Notícias

Expresso Princesa dos Campos cresce graças ao transporte de carga

Com a queda no volume de transporte de passageiros, a Expresso Princesa dos Campos investiu na divisão de cargas e aponta alta no faturamento em 2021

Andrea Ramos, de Curitiba

25 de ago, 2021 · 8 minutos de leitura.

Expresso Princesa dos Campos se reinventa na operação de carga" >
Expresso Princesa dos Campos se reinventa na operação de carga
Crédito:Expresso Princesa dos Campos/Divulgação
Expresso Princesa dos Campos se reinventa na operação de carga

O transporte de passageiros foi um dos setores mais afetados pela pandemia. Segundo o Ministério da Economia, está entre os cinco mais impactados em 2020. Porém, algumas empresas conseguiram dar a volta por cima. É o caso da Expresso Princesa dos Campos, de Ponta Grossa, no Paraná.

Nesse sentido, a companhia viu a oportunidade para desenvolver sua divisão de encomendas. Ou seja, até então, o transporte de passageiros representava cerca de 60% do faturamento total da Expresso. Agora, o quadro mudou e 60% das operações são ligadas ao transporte de cargas.

Diretor de encomendas da Expresso Princesa dos Campos, Marcelo Sobhie (abaixo) diz que muita gente ainda não conhece a divisão de cargas. Segundo ele, isso ocorre porque a história da empresa sempre esteve ligada a operações com passageiros.

Virada de chave

De acordo com Sobhie, a mudança começou com o início do lockdown. Enquanto outras empresas reduziram ou paralisaram as atividades, a Expresso Princesa dos Campos Encomendas percebeu uma boa oportunidade de crescer.

Dessa forma, passou a atender os clientes das rivais. Além disso, focou o transporte de mercadorias que, naquele momento, eram consideradas como essenciais. Por exemplo: produtos alimentícios, de higiene e limpeza e medicamentos.

?As cidades estavam fechando. Mas decidimos continuar trabalhando tivemos sucesso", diz Sobhie. De acordo com ele, foram tomadas todas as medidas de segurança. Como resultado as entregas continuaram sendo feitas, o que chamou a atenção dos clientes.

Alta no faturamento

Segundo a empresa, os motoristas que faziam parte do grupo de risco foram afastados. Porém, isso não gerou grandes impactos, por causa da redução das atividades. Além disso, os profissionais que atuavam nos ônibus migraram para os caminhões. Dessa forma, foi possível garantir os empregos.

Como consequência, a carteira de clientes cresceu 35%. Ou seja, em 2020 o faturamento total foi 15% maior que em 2019. Em outras palavras, a Expresso Princesa dos Campos faturou R$ 200 milhões.

Ao mesmo tempo, a empresa investiu em softwares e profissionais da área logística. Assim, conseguiu reduzir o tempo nas entrega no Paraná, onde fica sua sede. Dessa forma, a meta era entregar todas as mercadorias em até meio dia.

Ampliando as operações

Para isso, a Expresso Princesa dos Campos passou a utilizar uma frota com mais de 480 caminhões. Além de veículos próprios, há também os agregados. Isso para atender os Estados da região Sul.  Bem como São Paulo.

Porém. a empresa começa a operar em outros mercados por causa da alta demanda. Primeiramente, o atendimento será estendido para Goiás e o Distrito Federal. Posteriormente, em 2022, o objetivo é ingressar no Nordeste.

Continua depois do anúncio

Para isso, o CEO da Expresso Princesa dos Campos, Gilson Barreto (abaixo) informa que estão sendo investidos R$ 6 milhões na ampliação e renovação da frota. Segundo ele, em 2022 a empresa passará a ter caminhões elétricos.

De olho no comércio eletrônico

Com isso, a empresa quer ampliar para 10% sua participação no comércio eletrônico. Atualmente, esse setor representa menos de 1% das operações. De acordo com a Expresso Princesa dos Campos, por ora seu forte é o B2B. Ou seja, negócios feitos entre empresas.

Seja como for, a divisão de transporte de passageiros começa a dar sinais recuperação. Segundo Barreto, o crescimento vai se consolidar até o fim do ano. Porém, puxado pela divisão de encomendas. Nesse sentido, deverá representar 55% do faturamento, cuja projeção chega a R$ 233 milhões.

Da mesma forma que pretende investir em caminhões elétricos, a empresa já iniciou testes com ônibus elétricos da BYD. De acordo com a companhia, a novidade é voltada a operações intermunicipais. Logo, percorrerá um trecho de cerca de 120 km entre Curitiba a Ponta Grossa.

Ônibus elétricos

Segundo Barreto, os  testes, com duração de 60 dias, tem como finalidade checar a viabilidade do ônibus elétrico, bem como projetar o volume de investimentos necessário à implantação. "Nesse sentido, é preciso incluir a infraestrutura", explica o executivo.

Assim. o ônibus em testes é o BYD D9F. O modelo rodoviário tem carroceria Marcopolo de 13,2 metros de comprimento pode levar 44 passageiros sentados. Além disso, conta com dois motores elétricos e dois packs de baterias com capacidades de 324 kWh.

Como resultado, a potência é equivalente a 402 cv e o torque, a 87 mkgf. Conforme informações da BYD, a autonomia chega a 250 quilômetros. Ou seja, é mais do que suficiente para atender a nova operação.

Teste com o VW e-Delivery

De acordo com Barreto, a eletromobilidade é um caminho sem volta. Porém, ele é cauteloso sobre o início desse tipo de operação. "A eletrificação no País está mais desenvolvida em caminhões", diz.

Por isso, a Expresso Princesa dos Campos pretende iniciar o processo de eletrificação da frota de pesados com caminhões. "A autonomia de um caminhão elétrico cabe na minha operação urbana. Diferentemente do que ocorre com os ônibus?, diz Barreto.

Seja como for, em 2022 a empresa deve adquirir as primeiras unidades do furgão elétrico BYD eT3. Além disso, pretende iniciar os testes com o caminhão elétrico Volkswagen e-Delivery.