Andrea Ramos:

Exclusivo: Testamos o novo Mercedes-Benz Actros 2651

Avaliamos a versão de topo do novo Mercedes-Benz Actros 2651. O caminhão tem várias soluções tecnológicas, como câmeras em vez de retrovisores convencionais

Testamos o Novo Actros da Mercedes-Benz
Crédito: Mercedes-benz/Divulgação

O novo Actros está chegando às concessionárias Mercedes-Benz do Brasil. E já conquistou a fama de ser o caminhão mais digital do País. Motivos não faltam. O cavalo-mecânico feito em São Bernardo do Campo (SP) traz sistemas ainda raros até em carros de luxo. É o caso das câmeras em vez de retrovisores e do carregamento do celular por indução. O Estradão testou com exclusividade o novo modelo. A versão avaliada, atrelada a um bitrem com 57 t de Peso Bruto Total (PBTC), a média foi de 2,3 km/l.

LEIA TAMBÉM: Testamos o caminhão autônomo Axor 3131 da Mercedes-Benz

Avaliamos o Actros 2651 6×4, na versão de topo e tabelada a R$ 635 mil. Desde a geração anterior, essa é a versão mais vendida da gama de pesados da Mercedes-Benz no Brasil. O modelo antigo continua sendo oferecido como opção de entrada da linha.

No acumulado de janeiro a maio de 2020, foram emplacadas 821 unidades no País. O cavalo-mecânico é o quinto mais vendido entre os pesados e o nono no ranking geral. Os dados são da Fenabrave, federação que reúne as associações de concessionárias.

Desde o lançamento, no fim de 2019, foram vendidas 500 unidades do novo Actros (mais de 60% do total da gama). Desse total, 130 tinham o MirrorCam.

Actros é pioneiro sem espelhos

Esse é o nome do sistema de câmeras da marca. As demais versões disponíveis no mercado brasileiro são 2045 4×2, 2548 6×2, 2553 6×2, 2648 6×4, 2651 6×4 e 2653 6×4.

O novo Actros foi o primeiro veículo a chegar ao País com câmeras em vez de retrovisores. Um mês depois do caminhão da Mercedes-Benz, a Audi anunciou o início da pré-venda do e-tron. O SUV elétrico também traz esse tipo de sistema.

Durante o programa de pré-venda, o Audi feito na Bélgica tinha preço sugerido de R$ 460 mil. No caso do Actros, a Mercedes informou na época que o preço sugerido partia de R$ 585 mil.

O MirrorCam é oferecido como opcional por R$ 11 mil. As duas câmeras externas estão localizadas onde ficariam os espelhos convencionais. As imagens captadas são projetadas em telas de 15,2 polegadas instaladas na parte interna das colunas dianteiras (foto acima).

De acordo com informações da Mercedes-Benz, a retirada dos retrovisores também melhorou a aerodinâmica do caminhão. Com a menor resistência ao ar, a redução do consumo de diesel pode chegar a 1,3%.

Eletrônica embarcada

O sistema ainda aumenta a segurança em ultrapassagens e mudanças de trajetória. Isso poque as câmeras mostram com precisão toda a extensão da carreta, como o bitrem utilizado durante a avaliação.

Há uma terceira câmera, na base do para-brisa. Esta faz parte de um amplo conjunto de soluções eletrônicas voltadas à segurança. O objetivo prioritário é reduzir o risco de acidentes.

Além de salvar vidas, esses dispositivos contribuem para aumentar a rentabilidade operacional. Afinal de contas, toda vez que o caminhão fica parado o transportador deixa de faturar.

Outro destaque é o Assistente Ativo de Frenagem (ABA 5). O sistema pode frear automaticamente o caminhão se “perceber” risco iminente à frente. E pode atuar no caso de uma parada brusca do tráfego, por exemplo.

O dispositivo é um dos equipamentos de série do novo Actros. Trata-se de uma evolução do sistema oferecido como opcional na geração anterior do modelo.

Para não sair da linha

Agora, o dispositivo identifica, além de veículos, pedestres, ciclistas, animais e outros obstáculos. E, se o motorista não agir a tempo, o caminhão pode até frear sozinho. Além da câmera dianteira, o sistema utiliza sensores e radares instalados em partes com o para-choque, por exemplo.

O motorista também é alertado sobre potenciais perigos. A câmera dianteira “lê” as faixas da pista. Se o caminhão mudar de trajetória sem que a seta tenha sido acionada, alertas visual e sonoro serão disparados.

Alertas ativos

Mudanças involuntárias de trajetória podem indicar desatenção do motorista. E também estão relacionadas à sonolência. Esse sistema é conhecido como Assistente de Faixa de Rolagem.

Há outros dispositivos eletrônicos voltados a manter o motorista sempre alerta. A partir de 60 km/h, o caminhão passa a “perceber” a ocorrência de situações incomuns. É o caso do acionamento desconexo dos pedais, por exemplo.

Caso isso aconteça, uma mensagem surgirá no painel principal sugerindo que o motorista pare. Se insistir, o aviso voltará a se acender a cada 15 minutos. E só será desativado após a completa imobilização do Actros.

Aposta na segurança

O novo Actros também vem de série com air bag para motorista. No mercado brasileiro, o Volvo FH foi o primeiro a trazer esse item.

Além deles, apenas a linha Scania R e S (que também podem ter bolsas de ar laterais) têm air bags. Diferentemente do que ocorre com os automóveis, a legislação brasileira não exige o dispositivo em caminhões.

Cabine moderna

A cabine do novo Actros traz nível de conforto e equipamentos acima da média do mercado. O quadro de instrumentos é totalmente digital e configurável (acima). O motorista pode escolher em um menu quais informações serão mostradas.

Além de velocímetro e contra-giros, há várias outras informações relacionadas ao caminhão. Como o nível de diesel no tanque, autonomia total e parcial e até a quantidade de Arla disponível, entre várias outras.

O sistema está agregado ao computador de bordo. Para que o motorista não desvie a atenção, as opções podem ser acessadas por meio do volante, que é multifuncional. As teclas de comando ficam dos dois lados do volante. 

Já a tela do sistema multimídia, localizada na parte central do painel, tem 10,5 polegadas e é sensível ao toque. Por meio dela dá para, por exemplo, ajustar o ar-condicionado e até o nível de amortecimento da suspensão.

O sistema tem funcionamento similar ao de telefones celulares. A operação é simples e bastante intuitiva. Aliás, é possível parear até dois smartphones ao mesmo tempo e acessar vários aplicativos.

Sofisticação a bordo

Na parte superior do painel fica o carregador de celular por indução (foto acima). Esse sistema, compatível com os telefones mais modernos, não requer o uso de cabo.

Basta posicionar o aparelho sobre a base do recarregador. O recurso é pouco comum até mesmo em automóveis de luxo.

O Actros é também o primeiro caminhão à venda no Brasil com chave do tipo presencial. Para abrir as portas, basta mantê-la no bolso e tocar a maçaneta. Para dar a partida no motor, é preciso apenas pressionar o botão.

O bancos são novos e o do motorista tem suspensão pneumática de série. Esse mimo também está disponível para o carona, mas faz parte da lista de opcionais. Há vários tipos de acabamento, além de ajustes da altura e da profundidade.

A cabine conta com cama com 2,2 metros de comprimento e 75 cm de largura. O colchão, com espuma de alta densidade, é firme e, ao mesmo tempo, confortável. Na versão de topo, sob a cama há uma geladeira (abaixo).

O cavalo-mecânico Actros 2651 6×4 tem motor OM 460 LA. O seis-cilindros em linha de 13 litros é o mesmo da geração anterior.

O propulsor recebeu atualizações para melhorar sua performance e reduzir o consumo de diesel. Isso se traduz também em níveis mais baixos de emissões de poluentes.

Câmbio inteligente

O OM 460 LA compartilha várias peças com o OM 457. Segundo informações da marca alemã, isso facilita a manutenção, uma vez que já foram vendidas mais 100 mil unidades da gama.

A principal mudança foi feira no software de gerenciamento eletrônico. O OM 460 LA gera 510 cv de potência a 1.800 rpm e torque de 245 mkgf a partir das 1.100 rpm.

A transmissão é automatizada PowerShift de 12 marchas com três modos de condução. A EcoRoll é voltada à redução do consumo de diesel. A Power é ideal para situações em que o foco é a performance, como em subidas e ultrapassagens.

Facilidade em manobras

A Manobra, como o próprio nome diz, é para condução em baixíssima velocidade. Ao ser acionada, a rotação do motor fica limitada a 1.000 rpm.

Em manobras em docas, por exemplo, é natural que o motorista exagere na pressão do pedal do acelerador. A rotação limitada evita o desperdício de combustível.

Nesse tipo de situação, outro trunfo do novo Actros é o sensor de ponto cego. O dispositivo, que emite alertas sonoros e  visuais, reduz o risco de acidentes. Esse recurso também é útil em locais apertados.

Boa visão até 250 metros

Antes de assumir o volante, imaginei que seria estranho dirigir um caminhão sem retrovisores convencionais. Mas essa sensação logo desapareceu.

Na prática, o MirrorCam é muito melhor que os espelhos. Como as câmeras captam imagens a até 250 metros de distância, as manobras podem ser feitas como bastante segurança.

Avaliamos o Actros 2651 6×4 na versão de topo da linha. O cavalo-mecânico estava acoplado a um bitrem com sete eixos. O Peso Bruto Total Combinado (PBTC) era de 57 toneladas.

Avaliação prática

Para avaliar o novo Actros em situações reais de uso, descemos a Serra do Mar rumo ao litoral sul de São Paulo. Saímos da fábrica da Mercedes-Benz em São Bernardo do Campo, no ABC paulista, e seguimos pela rodovia Anchieta (SP-150).

Logo após entrar na rodovia, encontramos tráfego intenso de caminhões. Foi possível manter velocidade média em torno dos 30 km/h com a sexta marcha engatada. No início da descida, ativamos o Top Brake.

Freio eletrônico

Ao acionar o sistema de freio-motor da Mercedes-Benz, a rotação do motor baixou para 2 mil giros. O recurso garante segurança em declives severos, sem necessidade de pisar no pedal de freio.

Outra boa solução, que serve para paradas tanto em descidas quanto subidas, é a Hold. Essa função mantém o caminhão parado sem que o motorista tenha de acionar os freios. Para desativá-la, baste pressionar o acelerador.

Ao nível do mar, seguimos pela rodovia Padre Manuel da Nóbrega (SP-55) em direção a Peruíbe (SP). Nesse trecho, ativamos o Piloto Automático Preditivo.

Coração valente

O sistema funciona em conjunto com o navegador GPS. Isso permite que o Actros “saiba” como será a topografia da via com até 2 km de antecedência. Com base nesses e outros dados, como peso da carga e velocidade programada, por exemplo, o caminhão “escolhe” a marcha mais adequada para cada situação.

O bom torque disponível desde as baixas rotações faz toda a diferença. O motor OM 460 LA tem força de sobra para retomar velocidade e puxar as 57 toneladas do conjunto com muita segurança.

Com o modo Power do câmbio automatizado acionado, o Actros ganha fôlego extra para fazer qualquer ultrapassagem. Isso com o motor trabalhando na faixa dos 1.500 giros.

Banguela inteligente

Independentemente da ação do motorista, o sistema é desabilitado automaticamente após 10 minutos. O objetivo é evitar o aumento desnecessário do consumo de diesel.

Trafegando a 80 km/h e com a 12ª marcha engatada, o motor gira entre 1.400 e 1.500 rpm. Nessa situação, ao “perceber” que pode manter a velocidade de cruzeiro apenas pelas forças da inércia, a transmissão é automaticamente desacoplada.

Essa solução é garantida pelo EcoRoll, uma espécia de “banguela eletrônica”. Nesse caso, a velocidade é mantida com o menor consumo possível de combustível.

Subida tranquila

A volta foi feita pela Rodovia dos Imigrantes (SP-160). Logo no início da subida da serra, a pista é mais íngreme. Nesse trecho, o Actros manteve média de 40 km com a 10ª marcha engatada e o motor trabalhando a 1.500 rpm.

Ou seja, rodou dentro da faixa verde (a mais eficiente), que é de 1.000 a 1.500 rpm. Caso fosse necessário fazer uma ultrapassagem, bastaria ativar o modo Power. Não foi preciso. O Actros subiu a serra tranquilo e sem esforço.

Ao se aproximar do Planalto Paulista, gradativamente o Actros foi ganhando velocidade. A 70 km/h, o motor mantinha as 1.400 rpm em 11ª marcha.

Tanto na serra quanto no plano, o Sensor de Ponto Cego se mostrou muito útil. Em ultrapassagens, quando o Actros se aproximava muito do veículo à frente, o sistema disparava os sinais sonoro e visual. Com isso o motorista permanece sempre alerta.

Veredicto
Com o novo Actros, a Mercedes-Benz subiu a régua do segmento de caminhões no Brasil. Embora o modelo seja global, a marca tomou o cuidado de desenvolver a cabine no Brasil.

O conjunto da obra resultou em um caminhão até 12% mais econômico que modelos similares. Além disso, o novo Actros traz sistemas que garantem mais segurança em operações de transporte.

É o caso do MirrorCam. Mesmo sob neblina e à noite, o dispositivo projeta imagens de forma tão nítida que parece ser um dia ensolarado

Com tantas soluções inovadoras, o novo Mercedes deve criar tendências no mercado brasileiro.

Notícias relacionadas