Tecnologia

Caminhões elétricos vão recarregar baterias sem usar cabo

Projeto piloto em rodovias dos EUA prevê a instalação de sistema de carregamento por indução de baterias de caminhões elétricos rodoviários

Redação

07 de out, 2021 · 5 minutos de leitura.

carregador por indução para caminhão" >
carregador por indução para caminhão
Crédito:Kenworth/Divulgação
carregador por indução para caminhão

Os caminhões elétricos poderão ter as baterias recarregadas por indução eletromagnética. Ou seja, por aproximação e sem uso de cabos, assim como é feito nos smartphones modernos. Essa é a meta do projeto que inclui a instalação do sistema em pontos de parada de caminhões elétricos em rodovias dos Estados Unidos. Assim, toda vez que o motorista fizer uma pausa para refeição ou descanso, por exemplo, poderá parar o caminhão sobre o ponto de recarga.

LEIA TAMBÉM: Gás ganha reforço como alternativa à alta do preço do diesel

Você também vai gostar de


Assim, os carregadores vão ser embutidos no piso. O projeto é um teste e conta com a participação da fabricante de caminhões Kenworth. Bem como o apoio do governo do Estado de Utah. O sistema é da Wireless Advanced Vehicle Electrification (Wave). Segundo a empresa, já existem ônibus elétricos utilizando o dispositivo. Do tipo ultrarrápido, os carregadores têm 1 MW de potência. Conforme a Wave, a recarga completa poderá ser feita em cerca de 30 minutos.

Para comparação, com um sistema convencional de 250 kW a recarga leva cerca de uma hora e meia para ser feita. Isso sem contar o tempo necessário para plugar os caminhões elétricos no carregador. Ou seja, com o sistema por indução o processo é muito mais rápido, pois não é preciso conectar e desconectar cabos. Portanto, dá para percorrer rotas longas sem ter de ficar parando para recarregar.

Maior autonomia nos caminhões elétricos

É o caso, por exemplo, dos 280 km entre as cidade de Portland, no Estado de Oregon, e Seattle, no de Washington. Ou seja, o trecho definido para a realização dos testes. Assim, os caminhões elétricos Kenworth T680, que têm autonomia de cerca de 240 km, poderão fazer uma única parada no caminho. Os modelos foram adaptados para receber o sistema de propulsão elétrico e de recarga por indução.

Na versão convencional, o cavalo-mecânico tem motor Paccar MX13. Trata-se do mesmo seis-cilindros em linha de 12,9 litros que está em modelos da DAF vendidos no Brasil. No caminhão feito nos EUA, o turbodiesel têm versões com potências entre 405 cv e 510 cv. Segundo o gerente geral da Kenworth e vice-presidente da Paccar, Kevin Baney, o carregamento por indução simplifica a mobilidade elétrica no setor de transporte. "Veremos uma evolução no setor rodoviário", diz.

De acordo com Baney, a tecnologia trará avanços importantes. Assim, incluirá caminhões de Classe 8, equivalentes no Brasil aos pesados de uso rodoviários. Conforme o executivo, com o novo sistema de recarga os T680 Next-Gen Battery EV passam a ser equivalentes às versões a diesel. Ele se refere à autonomia e capacidade operacional. Muitos empresários deverão migrar para os caminhões elétricos pesados", afirma o diretor de tecnologia da Wave, Michael Masquelier.