Tecnologia

Caminhão elétrico poderá dar lucro com venda de energia à rede

Estudo mostra que dono de caminhão elétrico poderá ter um lucro extra vendendo a energia excedente à rede de distribuição de eletricidade

Redação

27 de jul, 2021 · 5 minutos de leitura.

Caminhão elétrico" >
Tesla
Crédito:Tesla/Divulgação
Caminhões elétricos no futuro darão lucro com venda de energia

O caminhão elétrico tem um futuro promissor. Assim, poderá gerar lucro de uma forma inusitada. Ou seja, vendendo a energia acumulada nas baterias à rede elétrica. Esse é resultado de um estudo feito pela Universidade de Windsor, no Canadá.

Você também vai gostar de


Seja como for, não se trata exatamente de uma novidade. Nesse sentido, a Nissan adota essa solução há cerca de um ano. Ou seja, aceita eletricidade como pagamento em seu estacionamento no Japão.

De qualquer modo, o estudo canadense está sendo feito em duas etapas. Primeiramente, as rotas mais utilizadas serão mapeadas. Ou seja, onde vão ficar as estações de recarga de veículos comerciais.

Ford F-150 antecipa futuro

caminhão elétrico

Por sua vez, a segunda etapa envolverá a chamada internet das coisas. Ou seja, a troca automática de  dados entre os caminhões com baterias cheias e empresas e galpões. Assim, esses veículos poderão descarregar essa energia na rede elétrica.

Seja como for, a Ford, por exemplo, já fornece um gerador de "energia de reserva". Nesse sentido, o sistema está disponível para a F-150 Lightning, a primeira picape 100% elétrica da marca.

Segundo a Ford, a picape tem dois motores elétricos, um em cada eixo. Além disso, há dois tipos de pacotes de bateria. Ou seja, padrão e estendida.

Picape abastece casa

Assim, quem optar pelo sistema de autonomia estendida levará dois dispositivos de carregamento. Um deles é de 80A e o outro, um carregador portátil de 32A.

O dispositivo tem sistema inteligente de reserva de energia. Como resultado, pode enviar até 9,6 kW para o sistema elétrico. Segundo a Ford, isso dá para abastecer uma residência por até três dias.

De acordo com a Universidade de Windsor, o estudo receberá investimentos de US$ 160 mil (pouco mais de R$ 800 mil). o financiamento será feito pela Mitacs. Ou seja, uma organização de pesquisa sem fins lucrativos.

Recarga para caminhão elétrico

Segundo o coordenador da pesquisa, não há pontos de recarga suficientes nas estradas do país.  Assim, o estudo usa como base um base um sistema bem moderno. Ou seja, com quatro motores instalados nos eixos traseiros de um caminhão elétrico da Tesla.

Continua depois do anúncio

Como resultado, o consumo fica abaixo dos 125 kWh a cada 100 km rodados. Além disso, há duas versões, que garantem autonomia de 475 a 800 km.

Assim, o caminhão elétrico permite avaliar vários cenários diferentes. Dessa forma, os dados são coletados por um operador logístico parceiro. Ou seja, vai dar para saber quanta energia será utilizada para percorrer cada rota.

Novo negócio

Bem como saber se existe a possibilidade de geração de energia excedente. Assim como checar se há eletricidade disponível para a chamada "retroalimentação?.

Seja como for, o estudo deverá comprovar uma nova oportunidade de negócios. Ou seja, o dono de um caminhão elétrico poderá lucrar vendendo eletricidade.

Sobretudo, quando o caminhão estiver rodando vazio. De acordo com os coordenadores da pesquisa, isso ainda deve demorar a ocorrer. Porém, será perfeitamente possível.