Você está lendo...
Caminhão arqueado é uma moda perigosa, dizem especialistas; entenda
Legislação

Caminhão arqueado é uma moda perigosa, dizem especialistas; entenda

A prática do caminhão arqueado tem adeptos no País, mas médicos e engenheiros garantem que a técnica pode ser nociva à segurança do tráfego

Andrea Ramos

25 de mar, 2022 · 8 minutos de leitura.

caminhões arqueados
Caminhões arqueados circulam livremente pelo interior do Brasil, mesmo na ilegalidade
Crédito:Andrea Ramos/Estadão

É cada vez mais é comum ver caminhão arqueado (com a traseira mais alta) nas rodovias brasileiras. A moda ganhou adeptos nos últimos anos. Sobretudo com o advento das redes sociais para mostrar um estilo de vida. Mas, por outro lado, há quem faça a alteração e alegue que o veículo fica mais estável nas curvas. Ou mesmo no piso molhado com o caminhão carregado. Os médios e semipesados rígidos são os favoritos. Seja como for, suspender a traseira do caminhão tira a originalidade. Assim como aumenta os riscos relacionados à segurança no trânsito.

caminhões arqueados
Andrea Ramos/Estadão

Segurança ativa comprometida

O gerente sênior de marketing de produto caminhões da Mercedes-Benz, Marcos Andrade, explica que do ponto de vista técnico, o arqueamento ameaça a segurança ativa e passiva do caminhão. Ou seja, ao alterar a traseira, compromete-se o sistema se segurança ativa e a frenagem do veículo. Em função da eletrônica, quando há alteração do tipo, há impactos também nos freios. Logo, o caminhão pode não realizar a frenagem com a mesma eficiência de antes.


Ademais, há a lei da física. Se o caminhão teve a parte traseira muito suspensa, evidente que o eixo dianteiro ficará sobrecarregado. Do mesmo modo, a frenagem desenvolvida para esse eixo pode falhar.

LEIA TAMBÉM
Scania já vendeu mais de 600 caminhões a gás no Brasil

Andrade ainda afirma que no desenvolvimento do caminhão, os freios, e os eixos, assim como a suspensão são dimensionados para se adequar às múltiplas tarefas que o veículo vai encarar. Por isso, existe a ficha técnica com as especificações de limite de carga. Bem como o manual do implementador, com especificações do limite para uma alteração.


"Quando se modifica a suspensão do caminhão, o centro de gravidade também é alterado. Do mesmo modo, ocorre o desgaste prematuro de todos os componentes citados. Além de todo o sistema de direção", explica Andrade, da Mercedes-Benz.

O executivo acrescenta que o dimensionamento do caminhão é feito pela engenharia para que o veículo trabalhe em equilíbrio. Ou seja, para que suporte o peso, o piso, bem como as intempéries que surgirem na estrada. Mas, a partir do momento em que os componentes sofrem desgastes prematuros, a segurança também é afetada.

caminhões arqueados
Andrea Ramos/Estadão

Caminhão arqueado pode matar

Ao arrebitar a traseira do caminhão em busca de estilo, coloca-se a vida de outros motoristas de carros menores em risco. Isso ocorre porque, quando se levanta a traseira, o próprio para-choque fica mais alto. Dessa forma, facilita a entrada de automóveis para debaixo do implemento. Além disso, os próprios donos desses caminhões correm riscos.

Segundo o diretor da Sociedade Brasileira de Trauma Ortopédico: O Trauma, Gustavo Tadeu Sanchez, em caso de uma batida envolvendo um caminhão arqueado, as chances de a carga se desprender são maiores, mesmo que esteja bem amarrada. E, se isso ocorrer, a mercadoria se desloca em direção à cabine. Assim, a depender da carga e do impacto da batida, pode causar o esmagamento do condutor.

Prática está na moda, mas é ilegal

De acordo com Andrade, a prática do caminhão arqueado é antiga. Mas ele concorda que, por causa das redes sociais, há uma percepção de que o tema ficou mais em evidência. "Por outro lado, há motoristas que dizem arquear o caminhão porque traz a impressão de mais estabilidade. De ter o caminhão mais ´´'na mão'".


Mas não passa de uma falsa percepção. Como a carga vai tender ficar mais para frente, no eixo dianteiro, o excesso de peso dificulta a execução de curvas. Dessa forma, pode causar desequilíbrio e tombamento do veículo. "Muitas pessoas que adotam essa prática ganham mais visibilidade ao mostrar imagens desses veículos arqueados nas redes sociais. O que é assustador, porque é ilegal. E as pessoas não estão preocupadas em mostrar algo ilegal", explica.

caminhões arqueados
Andrea Ramos/Estadão

O motorista autônomo Thiago Rodrigues já foi adepto da prática do arqueamento do caminhão. Mas não de forma exagerada. Ele, que é dono de um Mercedes-Benz 1313 modelo 1983, arqueou o modelo porque sentia mais estabilidade. Também percebia que, em curvas, o veículo ficava "mais no chão". Seja como for, por causa da polêmica que a prática gera, o caminhoneiro paulista optou por deixar o veículo original.


Todavia, Thiago revela que tem motoristas que arqueiam o caminhão de forma exagerada. Passando até de 1 metro. Algo que ele admite ser desnecessário. "Geralmente quem altera demais o caminhão, não vive do frete. Vive da rede social e as vezes ganha mais do que receberia fazendo frete. Mas é fato, antes da moda, ter um caminhão arqueado não era algo polêmico", diz o caminhoneiro.

O que diz a lei

Em 2014, Conselho Nacional de Trânsito (Contran) publicou a Resolução 479 que limita o arqueamento dos caminhões. Assim, a lei permite que caminhões sejam elevados em até 2° graus. Ou seja, 3,5 centímetros por metro de comprimento. Além disso, as lanternas traseiras não podem estar 1,20 metros acima do piso. Do mesmo modo, as lanternas laterais ou luzes de posição não podem ultrapassar 1,50 metro do chão.