Você está lendo...
Agrishow 2022: veja as novidades do maior evento agrícola do Brasil
Lançamentos

Agrishow 2022: veja as novidades do maior evento agrícola do Brasil

Fabricantes de veículos comerciais destacam seus principais lançamentos do ano durante a Agrishow, maior feira do setor agrícola no País

Andrea Ramos, de Ribeirão Preto

26 de abr, 2022 · 7 minutos de leitura.

Evento agrícola
Abre agrishow
Crédito:Divulgação/VW

Agrishow, maior evento agrícola do País, aberto nesta semana em Ribeirão Preto (SP), está de volta de forma presencial após o hiato causado pela pandemia da Covid-19. E as montadoras aproveitam a oportunidade para mostrar suas principais novidades e tecnologias ao setor.

Nesse sentido, a Volkswagen Caminhões e Ônibus (VWCO) destaca o caminhão Delivery 11.180 4x4, único com essa configuração na categoria no mercado brasileiro. Essa é a primeira aparição do modelo ao público-alvo. Ou seja, o cliente do agronegócio. O caminhão estreou na Fenatran de 2019, mas, por causa da crise sanitária, não teve um grande lançamento.

Seja como for, de acordo com o diretor de marketing da VWCO, Luciano Cafure, mesmo em meio às poucas aparições do novo Delivery 11.180 4x4, desde o seu lançamento, a fabricante conseguiu faturar um pouco mais de 300 unidades. O caminhão vem para atender transportadores que transitam no fora da estrada ou mesmo em terrenos urbanos, mas de difícil acesso, como vias não pavimentadas - algo muito comum no ambiente agro.


LEIA TAMBÉM
CNT faz raio x do transportador de carga no Brasil

VW Delivery 4x4 em teste na Agrishow

Com ângulos maiores de entrada e saída, o caminhão traz bloqueio entre os eixos para maior eficiência em terrenos acidentados e de baixa aderência. Também conta com ABS e EBD, bem como com controle eletrônico de tração (ATC). Outro recurso é a chamada "roda livre" na tração dianteira. Ou seja, trata-se de uma tecnologia que permite ao veículo rodar 4x2 ou 4x4 sem comprometer a dirigibilidade ou mesmo o desempenho, independentemente do tipo de terreno.

Dessa forma, segundo a engenharia da VWCO, a maior durabilidade do diferencial é garantida quando a tração 4x4 não se faz necessária. O eixo dianteiro é outro atributo do modelo. Desenvolvido em parceria com a Dana, conta com uma caixa de transferência Marmon Herrington com dupla velocidade, que otimiza o desempenho em aclives.


Nesse sentido, vale ressaltar que a capacidade de partida em rampa desse veículo é de 45 graus. Além disso, o caminhão tem peso bruto total (PBT) de 10,7 t, e pode, portanto, transportar até cinco vezes mais carga que as tradicionais picapes 4x4. Em outras palavras, sua capacidade de carga líquida é de 7 t. O motor Cummins desenvolve 175 cv a 2.600 rpm e torque máximo de 61,2 mkgf de 1.100 a 1.700 rpm. Ele trabalha com a caixa manual Eaton ESO 6106, de seis velocidades.

Picapes são destaque na Agrishow 2022

Durante o primeiro dia do evento agrícola, um dos estandes mais cobiçados foi o da Ford. O público estava interessado em conhecer de perto a F-150, ícone da marca do oval azul há mais de quatro décadas nos Estados Unidos, e que chega ao mercado brasileiro em 2023. O presidente da Ford para a América do Sul, Daniel Justo, não mencionou qual versão virá ao País. Contudo, na feira, a picape é exibida na versão Lariat, com motor V8 a gasolina.


Além disso, esta mesma versão pode ter opção de sistema híbrido HEV Powerboost no mercado nacional. A picape já à venda na Argentina desde o começo do ano com motor 3.5 V6 biturbo de 400 cv e 68,02 mkgf aliado a um motor elétrico de 47 cv e 30,6 mkgf. Assim, desenvolve 436 cv e 76 mkgf de torque. Importante dizer que, a despeito de todo o sucesso da F-150 nos EUA, a picape grande nunca veio ao Brasil. Aqui, vai desafiar a RAM 1500.

Nissan mostra a nova Frontier

A Nissan também aposta no cliente do agronegócio para o bom desempenho da Frontier. A picape média, que vem importada da Argentina, responde atualmente por 8,6% de participação de mercado no seu segmento. Contudo, para 2022, a japonesa espera alcançar a casa dos dois dígitos com as vendas do modelo. Parte desse crescimento virá dos investimentos da Nissan na fábrica de Córdoba, onde é feita. Lá, a fabricante promoveu melhorias na linha de produção e abriu um segundo turno. Assim, a partir de julho, as vendas devem crescer no Brasil. De acordo com os executivos da Nissan, hoje são faturadas em torno de 1,2 mil unidades ao mês, e estima-se que o volume cresça ao menos 70%.