Produção de caminhões avança 37% em 2017

Desempenho das exportações contribuiu com participação de 34% nas atividades das linhas de montagem

Fábrica de caminhões em ritmo de crescimento Foto: Volvo Caminhões

Depois de três anos de desaquecimento no ritmo de trabalho no chão das fábricas, a indústria de caminhões no ano passado produziu 82.887 unidades, crescimento de 37% sobre o volume de 2016 (60.482 caminhões)

O bom resultado, no entanto, está longe do apurado em 2011, quando foram montadas pouco mais de 229.000 unidades – o recorde histórico -, ou ainda de 2014, o primeiro ano de quedas sucessivas, período no qual registrou produção de 143.660 caminhões.

De acordo com Antonio Megale, presidente da Anfavea, associação que representa os fabricantes de veículos, durante divulgação do balanço da indústria automotiva no ano passado, na sexta-feira, 5 de janeiro, o desempenho sinaliza um ambiente mais favorável para os próximos meses, mas ainda é preocupante a capacidade ociosa das fábricas de caminhões e chassi de ônibus, em torno de 75%.

No último mês de 2017, a produção contabilizou 7.436 unidades, expressiva alta de 81,3% sobre o volume anotado em dezembro de 2016, de 4.102 caminhões. Vale lembrar que diferentemente de anos anteriores, muitas fabricantes decidiram não parar a produção no fim do ano, quando tradicionalmente optam pelas férias coletivas.

No ano passado, as exportações se mostraram como poderoso motor para impulsionar a produção. No período de doze meses, as remessas de caminhões montados somaram 28.288 unidades, alta de 31,3% na comparação com o desempenho das vendas externas de 2016, de 21.548 caminhões exportados.

O volume embarcado pelas fabricantes, o maior desde 2009, representou pouco mais de 34% do total da produção de caminhões de 2017, a maior participação das exportações dos últimos dez anos.


Notícias relacionadas