Andrea Ramos

22/03/2020 - 4 minutos de leitura. Atualizado: 23/03/2020 | 9:58

Barreiras para conter o coronavírus prejudicam distribuição de plástico

As barreiras em estradas para impedir o avanço do coronavírus já afetam a entrega de produtos como o plástico, material utilizado na fabricação de embalagens que não está na lista de itens essenciais

coronavirus
Fila gigante de caminhões na Alemanha Crédito: JENS SCHLUETER/AFP)

As barreiras em estradas para conter o coronavírus já afetam a entrega de matérias primas. Na noite de sexta-feira (20), caminhões com plástico, material usado na fabricação de embalagens, não puderam seguir viagem. O motivo é que a carga não se enquadra na lista de itens de primeira necessidade.

Receba no seu e-mail as principais notícias do dia sobre o coronavírus

São Paulo, Rio de Janeiro, Santa Catarina e Pernambuco são alguns dos Estados que barraram a entrada de caminhões com cargas “secundárias”. A tendência é que o número de barreiras aumente na próxima semana..

Presidente da Associação Brasileira de Distribuição de Resinas Plásticas, (Adirplast), Laercio Gonçalves diz que três caminhões com resinas plásticas foram barrados. “Estamos informando os órgãos responsáveis que distribuímos grande parte das embalagens no País”.

INSCREVA-SE NO CANAL DO JORNAL DO CARRO NO YOUTUBE

Por causa do coronavírus, mercado deve crescer

Segundo Gonçalves, 75% do plástico processado no Brasil é destinado à fabricação de embalagens. E destinado às indústrias de alimentos, higiene e saúde. Por isso o dirigente argumenta que esse material deve ser enquadrado como mercadoria prioritária.

“Alguns Estados estão fechando as fronteiras e não estão se atentando ao fato de o plástico ser um produto de extrema necessidade”, afirma Gonçalves. Ele diz que vários caminhões com esse tipo de carga foram barrados.

Por causa da pandemia do coronavírus, a Adirplast estima que a demanda por plástico para embalagens crescerá entre 20% e 30%. “Não sabemos como será daqui em diante, mas se paramos de distribuir, a indústria em geral vai para de produzir”, afirma Gonçalves.

A Adirplast tem 21 associados e uma carteira de 7 mil clientes entre os 11.500 transformadores de plásticos do Brasil. A distribuição do produto entre as indústrias do setor e para o consumidor final é feita por meio de uma frota com cerca de 200 veículos.

Vários países têm barreiras em estradas

As barreiras em estradas não são um fenômeno apenas no Brasil. Esse tipo de restrição para reduzir a proliferação do coronavírus está sendo adotado em vários países.

Na quinta-feira (19), uma gigantesca fila de caminhões se formou na divisa da Polônia com a Alemanha. Na sexta-feira (20), muitos caminhões foram barrados na fronteira dos Estados Unidos com o México.

No fim de semana os dois países concordaram em restringir a circulação de produtos considerados como não essenciais. O objetivo é desacelerar a propagação do coronavírus.

 

Notícias relacionadas