Passageiros

Venda de passagens de ônibus voltará a crescer em setembro

A venda de passagens de ônibus deve voltar a crescer no Brasil em setembro por causa da retomada da atividade econômica, de acordo com a Abrati

Aline Feltrin

10 de ago, 2020 · 4 minutos de leitura.

aeroporto" >
Crédito:Abrati/Divulgação

As vendas de passagens de ônibus intermunicipais devem voltar a crescer em setembro. A informação é da Associação Brasileira de Transportes Terrestres e de Passageiros (Abrati). Por causa do avanço do novo coronavírus e o isolamento social, muita gente deixou de viajar. Desde a decretação da pandemia, em março, o setor registrou recuo médio de 70%. Maio foi o mês mais crítico, com queda de 95% nas vendas de passagens.



Você também vai gostar de


Antes da pandemia, as empresas do setor no Brasil transportavam 4,3 milhões de passageiros por mês. Nos números médios atuais representam apenas 30% desse total. Com o relaxamento do isolamento social e a reabertura de várias cidades, a expectativa é que as pessoas voltem a utilizar ônibus. Inclusive em viagens de turismo.

Medidas para atrair passageiros de ônibus

Conselheira da Abrati, Letícia Pineschi lista algumas ações que devem contribuir com a retomada. É o caso da redução de preços adotada por várias empresas. No site da Viação Cometa, por exemplo, há passagens para alguns destinos com desconto de até 50% em relação aos valores praticados antes do início da pandemia.

Para estimular os passageiros a voltarem, as empresas estão adotando várias medidas voltadas à segurança e saúde. ?Elas vão além dos protocolos que exigem medição da temperatura e distribuição de álcool em gel?, diz Leticia.

Segundo a executiva, o passageiro viajará em ônibus com poltronas revestidas de um fio têxtil anti-viral. O Estradão já havia noticiado o lançamento de um tecido capaz de inativar o novo coronavírus em ônibus de passageiros. Leia qui. A tecnologia, que inclui fios de prata, foi desenvolvida pela empresa francesa Rhodia.

Os ônibus também, estão sendo equipados com o mesmo filtro de ar-condicionado existente em aviões. ?Eles têm menos potencial para transmissão de vírus?, afirma Letícia. Trata-se do mesmo tipo de equipamento utilizado em centros cirúrgicos e UTIs de hospitais. No caso das aeronaves, o ar é constantemente renovado.

Transporte clandestino ganha força na pandemia

Caiu a venda de passagens para ônibus regulares, mas aumentou a circulação de ônibus e vans clandestinos durante a pandemia. Segundo dados da Agência Nacional de Transportes Terrestres (ANTT), de março a julho, mais de 560 veículos irregulares foram apreendidos. Com isso, cerca de 17 mil passageiros foram impactados.

Leticia alerta para os riscos de utilizar esse tipo de transporte. Um deles é a falta de protocolos para evitar a contaminação pelo novo coronavírus. ?Há também os relacionados à segurança, por causa de acidentes ligados à falta de manutenção adequada do veículo.?