Mercado de ônibus cresce 22% no ano

Negócios domésticos preservam resultado positivo na produção do segmento

Mercado doméstico contribui com resultado positivo da produção de chassis Crédito: Foto: VWCO

As vendas de chassi para ônibus seguem em recuperação após os últimos quatro anos de crise. De acordo com os dados da Anfavea, associação que representa os fabricantes de veículos no País, de janeiro a setembro os licenciamentos do segmento somaram 10.483 unidades, alta de 22,4% na comparação com o mesmo período do ano passado, quando apurou 8.562 chassis vendidos.

Somente no mês passado, os emplacamentos somaram 1.498 chassi, queda de 4,5% na comparação com agosto (1.568 unidades), mas crescimento de 73,2% em relação a setembro de 2017, com 865 licenciamentos.

“Em setembro as vendas foram claramente afetadas pelo menor números de dias úteis frente a agosto, de quatro dia a menos”, avalia Marco Saltini, vice-presidente da Anfavea e diretor da Volkswagen Caminhões e Ônibus. “Não há dúvida, porém, de que o trem do crescimento ainda continua; lento, mas constante, o que é bom para indústria.”

As dificuldades pelas quais atravessam alguns países compradores do Brasil, principalmente a Argentina, começam a impactar de maneira negativa o desempenho das exportações de chassi. As 661 unidades embarcadas em setembro representaram queda de 33,6% na comparação com o mesmo mês do ano passado, quando as remessas anotaram 995 unidades.

No acumulado até setembro, as exportações somaram 6.466 chassis, queda de 3,6% sobre as 6.705 unidades embarcadas um ano antes.

O desempenho do mercado interno é quem vem sustentando o ritmo de crescimento no chão de fábrica. Os 2.250 chassis produzidos em setembro representaram alta de 33,4% na comparação com o mesmo mês do ano passado, de 1.687 unidades.

Nos nove primeiros meses do ano, as fábricas montaram 23.051 chassis, alta de 42,9% em relação à produção de 16.128 unidades produzidas no ano anterior.


Notícias relacionadas