Lat.Bus respira ambiente otimista

Fabricantes presentes em evento focado no segmento de ônibus investem em novidades para um mercado mais confiante

Mercado de ônibus espera crescer de 18% a 20% em 2018 Crédito: Foto: Volvo Bus

Montadoras e encarroçadoras de ônibus presentes na Lat.Bus & Transpúblico 2018 – Feira Latinoamericana do Transporte Público, realizada no Transamérica Expo Center, em São Paulo em julho, se mostraram confiantes com o ambiente de negócio que terão pela frente até o fim do ano. Para os principais atores do segmento, o mercado não deverá fechar o período com crescimento abaixo dos dois dígitos.

Depois de quatro anos de quedas sucessivas, o encerramento dos sete primeiros meses do ano sinaliza um alívio à indústria de ônibus ao contabilizar alta nas vendas de 20,9%, com 7.417 chassis vendidos, contra 6.139 unidades registradas no mesmo período do ano passado.

Como reforçou Antonio Megale, presidente da Anfavea, durante abertura oficial do evento, o mercado dá sinais de recuperação e deve somar em 2018 mais de 12.000 emplacamentos, expansão nas vendas em torno de 20% sobre 2017. “As expectativas são positivas, mas não podemos esquecer que o mercado de ônibus já absorveu mais de 35.000 unidades em um ano, o que significa que tem muito espaço para crescer.”

Para aproveitar o que vem pela frente, os representantes que fornecem o transporte de passageiro no país não economizaram nas novidades em produtos e serviços. A Mercedes-Benz aposta nos recentes pacotes de segurança e economia ao passar a dispor para o mercado produtos equipados com assistentes de direção de segurança, como o piloto automático adaptativo, o sistema de frenagem de emergência e o dispositivo que alerta invasão de faixas involuntárias.

Com as novas ofertas, Walter Barbosa, diretor de vendas e marketing de ônibus da companhia, espera manter o ritmo de crescimento anotado pela empresa no primeiro semestre, com alta de 42%, para 3.200 chassis vendidos. “Os empresários estão investindo em tecnologia, reconhecendo os benefícios que elas trazem”, acredita o executivo, que projeta um mercado com volume de vendas de 18% a 20% em 2018.

A Volkswagen Caminhões e Ônibus desembarca na feira comemorando os 25 anos Volksbus, marca genuinamente brasileira, com o lançamento da versão urbana do chassi 9.160 OD e a pré-estreia do primeiro modelo rodoviário de empresa com terceiro eixo, o 18.330 OT 6×2, desenvolvido em parceria com o BMB, o centro de modificação exclusivo da montadora, com motor de 360 cv e caixa de transmissão automatizada da ZF.

A fabricante de Resende (RJ) tem outros motivos para comemorar, como o recorde de exportação no primeiro semestre. No período a empresa entregou para outros mercados pouco mais de 1.800 unidades, uma expansão de 70% em relação ao mesmo período do ano passado. “A Volksbus acumula mais de 150.000 unidades produzidas em 25 anos, do volume mais de 30.000 rodam fora do ´país”, contabiliza Roberto Cortes, presidente e CEO da Volkswagen Caminhões.

A Scania também apura resultados positivos no primeiro semestre com um crescimento de 14% nos emplacamentos, para 283 chassis e espera índice de 38% até o fim do ano. Para isso, além destacar as virtudes do rodoviário K440 8×2 configurado com 15 metros, modelo que representou 40% das vendas da empresa para o segmento no ano passado, a montadora inicia campanha em busca de aumentar o número de veículos conectados.

A partir da conectividade, que permite tornar a gestão de frota compartilhada, a montadora promete uma economia de até 14% na operação. A campanha, baseada em dois pacotes, pretende atrair proprietários de ônibus fabricados de 2013 a 2016 para instalação de módulo de conexão para que o veículo passe a transmitir os dados operacionais em tempo real. A partir dos modelos de 2016 em diante o módulo já é instalado de fábrica, bastando somente ativar o sistema.

“A possibilidade de acesso aos relatórios da operação, permite ao operador dispor do veículo em até 20% mais. Ou seja, aumento de produtividade e, como consequência, redução nos custos de manutenção”, destaca Pietro Nistico Neto, gerente de vendas e peças e serviços da Scania no Brasil.

Pelo lado das encarroçadoras, a Marcopolo trouxe para o evento uma nova geração de modelos rodoviários, evolução da linha G7, além de lançar o novo Senior, micro-ônibus para atender às aplicações rodoviárias com capacidade para 32 passageiros.

Das marcas que o grupo abriga, a Volare apresenta versão comemorativa de seus 20 anos baseada no Fly 9, mas espera ainda celebrar muito mais com o desempenho de suas exportações. De acordo com a empresa, mais de 500 unidades seguiram para mercado internacionais como Chile, Emirados Árabes, Catar e Nigéria. “Em 2018, a Volare deverá apurar o melhor ano de exportações da empresa de todos os tempos”, resume Francisco Gomes Neto, diretor-geral da Marcopolo, grupo que detém também as marcas Volare e Neobus.


Notícias relacionadas