Volkswagen investirá R$ 110 milhões para fazer caminhão elétrico e-Delivery

O investimento para fazer o caminhão elétrico e-Delivery será feito na fábrica da Volkswagen em Resende (RJ), e a produção deve começar no segundo semestre de 2020

elétrico e-delivery
eDelivery Crédito: VWCO/DIVULGAÇÃO

A Volkswagen Caminhões e Ônibus investirá R$ 110,8 milhões para fazer caminhões elétricos na fábrica de Resende (RJ). O início da produção em série do caminhão elétrico e-Delivery está marcada para o segundo semestre de 2020. A VWCO já tem um acordo de compra de 1.600 elétrico e-Delivery feito pela fabricante de bebidas Ambev e seus distribuidores.

A VWCO vai incorporar mais 17 protótipos do elétrico e-Delivery à atual frota de testes. O objetivo é acelerar o processo de desenvolvimento e validação do modelo. CEO da empresa no país, Roberto Cortes diz que em breve os clientes poderão avaliar o e-Delivery.

 

Testes com o elétrico e-Delivery

A empresa entregou dois e-Delivery para testes da Ambev há um ano. Desde então os caminhões elétricos estão sendo usados em serviços de entrega de bebidas em São Paulo.

Segundo informações da empresa, os testes feitos pela Ambev até agora somam mais de 15 mil quilômetros rodados. Com isso, deixaram de ser emitidos cerca de 11 toneladas de CO² na atmosfera. Se os caminhões fossem a diesel, teriam consumido o equivalente a 3,3 mil litros de combustível.

Segundo o vice-presidente de Estratégia e Planejamento de Produto da VWCO, Leandro Siqueira, muitos clientes, sobretudo frotistas, já demonstraram interesse em testar o e-Delivery. “O primeiro passo é mostrar o e-Delivery aos clientes brasileiros, iniciar as vendas locais, e depois entrar na América Latina”, afirma.

Dez anos em seis meses

Antes de chegar aos clientes, os e-Delivery serão testados no campo de provas da VWCO. Com isso os engenheiros da marca poderão fazer simulações que permitam agilizar os resultados das avaliações.

Seis meses de testes na pista equivalem a 10 anos de condições normais de rodagem, de acordo com informações da fabricante. “Estamos muito avançados no desenvolvimento do nosso portfólio elétrico”, afirma Cortes.

Segundo o executivo, a atual fase do projeto inclui aspectos como validação estrutural, de durabilidade e outros requisitos funcionais.  Depois disso os testes serão expandidos para os clientes.

elértrico e-Delivery
VWCO/DIVULGAÇÃO

Arquitetura flexível

O caminhão leve elétrico e-Delivery segue o conceito de arquitetura flexível da VWCO. Isso, segundo a empresa, permite maior velocidade na adaptação a diferentes plataformas de caminhões e ônibus. Essa solução é aplicada á toda linha do e-Delivery e do Volksbus e-Flex.

No caso de caminhões, essa configuração permite dividir o veículo em três módulos. São eles: frontal (cabine e auxiliares), central (baterias) e traseiro (trem de força).

Vendadas da Volkswagen crescem 15%

Cortes aproveitou o evento de apresentação dos investimentos para comemorar os 40 anos da Volkswagen Caminhões e Ônibus. De acordo com ele, 2019 está sendo um ano bastante produtivo para a empresa.

No acumulado de janeiro a novembro, as vendas da empresa cresceram 15%. O número refere-se à comparação com os emplacamentos registrados no mesmo período do ano passado.

Considerando os caminhões acima de 3,5 toneladas, a alta foi ainda maior: de 32,3%. Esse número inclui os emplacamentos da VWCO e da MAN.

No segmento de ônibus, a alta foi de 74% no acumulado dos 11 primeiros meses do ano. O resultado é superior ao do mercado que, no mesmo período, cresceu cerca de 40%. As informações foram divulgadas pela VWCO.

 


Notícias relacionadas