Andrea Ramos

20/07/2020 - 6 minutos de leitura.

Volkswagen terá caminhões pesados de longas distâncias em 2021

Volkswagen Caminhões e Ônibus terá cavalos-mecânicos rodoviários de longas distâncias. Modelos já rodam em testes práticos e terão potências de 460 cv e 520 cv

Volkswagen terá caminhões rodoviários de longas distâncias em 2021
Crédito: José Augusto de Souza Oliveira

Foram flagrados na semana passada os futuros caminhões rodoviários de longas distâncias da Volkswagen Caminhões e Ônibus. Os modelos estão sendo testados na região de Resende (RJ), cidade onde fica localizada a fábrica da VWCO. E a expectativa é que esses cavalos-mecânicos cheguem ao mercado em 2021.

Os veículos ainda rodam camuflados (foto abaixo). Pelas imagens é possível identificar que os modelos têm cabine MAN. Mas a identidade visual na parte frontal leva o logo da Volkswagen Caminhões.

LEIA TAMBÉM: FNM está de volta e fará caminhões elétricos

Estradão apurou que os modelos chegarão nas opções de potência de 460 cv e 520 cv e nas configurações 6×2 e 6×4. E que a linha de montagem já está sendo preparada para fazer a produção dos novos veículos.

De acordo com o site Autos Segredos, a nova linha será batizada com o nome Meteor. E vendida em três configurações: 28.460 6×2, 29.460 6×4 e 29.520 6×4.

Os futuros caminhões da Volkswagen foram flagrados sendo testados com rodotrem

Atualmente, o caminhão mais potente da marca Volkswagen é o cavalo-mecânico traçado Constellation 26-420. O modelo é equipado com motor Cummins que desenvolve potência de 420 cv a 2.100 rpm e torque de 188,7 mkgf. A transmissão é automatizada ZF de 16 marchas.

Mais potência, mais capacidade

Com o advento do bitrem de sete eixos, a capacidade de carga saltou para 57 toneladas de PBTC (Peso Bruto Total Combinado). Isso fez surgir a necessidade da oferta de motores mais fortes e capazes de deslocar mais peso.

O Contran determina que, para cada 1 tonelada transportada, são necessários 6 cv. Com o aumento das capacidades de carga por causa do bitrem e do rodotrem, os caminhões ganharam motores mais potentes, com torque mais alto.

Contudo, como marca, a Volkswagen não possui produtos para rodar com composições superiores a sete eixos. A versão de 420 cv não é muito indicada para uso com bitrenzão ou rodotrem, sobretudo  em longas distâncias rodoviárias. Isso porque esses veículos necessitam de velocidade média para tornar a operação produtiva. Para essas composições o mercado está migrando para soluções com potências superiores a 500 cv. DAF, Iveco, Mercedes-Benz, Scania e Volvo possuem modelos com motorizações nessa faixa de potência. E a MAN por enquanto só oferece motor superior a 500 cv na Europa.

Caminhões rodoviários da Volkswagen

A estratégia da VWCO é, no entanto, ter uma linha de produtos específica para atender esse segmento em que ela ainda não atua.

Atualmente, a sua oferta de veículos com mais capacidade é feita com a marca MAN. Com os caminhões TGX nas versões 29.440 e 29. 480, ambas 6×4. Com a futura gama de 460 cv e 520 cv, a expectativa é cobrir todas as faixas de potência. E tornar a marca Volkswagen Caminhões mais competitiva.

Os novos caminhões devem chegar com preços mais convidativos frente à linha TGX. Em razão de muitos componentes do MAN serem importados, o custo de produção da linha TGX é maior. O que pode justificar o baixo volume de vendas. A MAN possui apenas 2,69% de participação de mercado, segundo a Fenabrave, federação que reúne as associações de concessionárias de veículos do País.

A nova linha da VWCO será equipada com cabine e motor MAN D2676. O que leva a crer que esses itens devem ser nacionalizados. A caixa também deverá ser a mesma do TGX, a ZF TipMatic.

No entanto, como a VWCO pertence ao grupo Traton, assim como as marcas MAN e a Scania, não está descartada a hipótese de os futuros caminhões rodoviários da Volkswagen receberem componentes ou tecnologias da marca sueca.

Estradão procurou a Volkswagen Caminhões e Ônibus para falar sobre o assunto, mas a fabricante não quis comentar.

Notícias relacionadas