Mercado

Vendas de caminhões crescem 7,76% em outubro

Mercado de caminhões cresceu mais do que o setor como um todo. Mas a falta de componentes ainda é um problema, segundo a Fenabrave

Andrea Ramos

04 de nov, 2020 · 9 minutos de leitura.

Vendas de caminhões crescem 7,76% em outubro
Crédito:Jamef/Divulgação
Vendas de caminhões crescem 7,76% em outubro

As vendas de caminhões aumentaram 7,76% na comparação com setembro. A informação é da Federação Nacional da Distribuição de Veículos Automotores (Fenabrave), divulgada nesta quarta-feira (4). No mês passado foram emplacados 7.967 caminhões ante as 7.393 unidades emplacadas em setembro. No mês a mês, em outubro do ano passado foram registrados 9.498 caminhões vendidos. O resultado foi melhor do que o registrado em setembro deste ano, ocasionando queda de 16,12%.

Os números do setor são melhores do que o do mercado como um todo. Entre caminhões, ônibus, implementos rodoviários, comerciais leves, automóveis e motocicletas o crescimento foi tímido, de apenas 1,42% no mês de outubro sobre setembro. Foram emplacadas no mês passado 332.888 unidades, enquanto que em setembro a indústria automotiva emplacou 328.221 veículos.

No acumulado do ano, de janeiro a outubro, foram vendidos 2.465.396 veículos, o que representa retração de 25,74% na comparação com igual período em 2019, quando foram emplacadas 3.319.946 unidades.

Presidente da Fenabrave, Alarico Assumpção Júnior avalia que apesar da retração no acumulado, outubro foi o melhor mês de 2020 para o segmento. ?O mês de outubro é, até o momento, o que registra o recorde do ano. Isso reforça a nossa expectativa de retomada para o mercado de automóveis e comerciais leves. Notamos que os clientes estão mais confiantes e tomando a decisão de compra, que é facilitada pela maior oferta de crédito?, explica Assumpção Júnior.

Falta de peças continua a atrapalhar o mercado de caminhões

O presidente da Fenabrave explica ainda que o mercado de caminhões continua aquecido. Mas a falta de componentes ainda causa problemas na produção. ?Estamos operando com pedidos até para abril de 2021, em alguns modelos. Com relação ao crédito, há boa oferta, com a manutenção de taxas abaixo de 1% e a aprovação é de 7 para cada 10 solicitações de financiamento?, comenta Assumpção Júnior.

No acumulado de janeiro a outubro, os resultados de 2020, com 70.570 caminhões emplacados, ficam 16,23% abaixo dos registrados em 2019, quando foram vendidas 84.242 unidades.

Ranking por marcas

No ranking por marca, a Mercedes-Benz lidera as vendas de caminhões no acumulado do ano. A marca alemã obtém 33,60% de participação de mercado. O segundo lugar é da Volkswagen/MAN, com 29,29%. Depois vêm Volvo (16,69%), Scania (9,03%), Iveco (5,64%) e DAF (4,53%).

Por segmento, os pesados mantêm a liderança das vendas, com 48,98% de participação. Em seguida vem os semi-pesados (26,63%), leves (10,03%), médios (9,19%) e semi-leves (5,16%).

A Volvo mantém-se na liderança de vendas com o FH 540. A marca emplacou 4.561 unidades do modelo. Em seguida vem o caminhão médio Volkswagen Delivery 11.180 com 3.736 unidades vendidas. O FH 460 recupera a terceira colocação - perdida no mês passado para o DAF XF - com 2.930 unidades emplacadas. 

Volvo é a marca que está no topo do ranking das vendas de caminhões pesados. Ela ocupa a primeira e a segunda colocações

Vendas de caminhões ? os dez mais (outubro /acumulado)

MARCA/MODELO OUT. ACUM.
1º VOLVO FH 540 482 4.561
2º VOLKSWAGEN 11.180 388 3.736
3º VOLVO FH 460 322 2.930
4º DAF XF 140 2.877
5º VOLKSWAGEN 24.280 324 2.857
6º VOLKSWAGEN DELIVERY 9.170 374 2.604
7º SCANIA R450  405 2.447
8º MERCEDES-BENZ ACTROS 2651 232 2.441
9º MERCEDES-BENZ ATEGO 2426 214 1.944
10º MERCEDES-BENZ ACCELO 815 198  1.727

 

Os dez caminhões pesados mais vendidos

MARCA/MODELO OUT. ACUM.
1º VOLVO FH 540 482 4.561
2º VOLVO FH 460 322 2.930
3º DAF XF 140 2.877
4º SCANIA R 450 405 2.447
5º MERCEDES-BENZ ACTROS 2651 232 2.441
6ºMERCEDES-BENZ ACTROS 2546 109 1.519
7º SCANIA R 500 83 1.407
8º MERCEDES-BENZ AXOR 2544 175 1.300
9º MAN TGX 28.440 34 1.163
10º MERCEDES-BENZ AXOR 3344 76 1.089

 

Os dez caminhões semi-pesados mais vendidos

MARCA/MODELO OUT. ACUM.
1º VOLKSWAGEN 24.280 324 2.857
2º MERCEDES-BENZ ATEGO 2426 214 1.944
3º MERCEDES-BENZ ATEGO 1719 183 1.692
4º VOLVO VM 270 152 1.541
5º VOLKSWAGEN 17.190 147 1.017
6º VOLKSWAGEN 17.230 146 912
7º VOLKSWAGEN 26.280 139 821
8º VOLKSWAGEN 24.260 147 723
9º MERCEDES-BENZ ATEGO 3030 82 722
10º VOLVO VM 330 88 662

 

Os dez caminhões médios mais vendidos

MARCA/MODELO OUT. ACUM.
1º VOLKSWAGEN 11.180 388 3.736
2º MERCEDES-BENZ ATEGO 1419 99 696
3º VOLKSWAGEN 14.190 107 493
4º VOLKSWAGEN 13.180 108 447
5º MERCEDES-BENZ ACCELO 1316 45 392
6º IVECO TECTOR 11-190 38 356
7º VOLKSWAGEN 13.190 0 219
8º MERCEDES-BENZ 1418 3 53
9º FORD CARGO 1119 3 38
10º VOLKSWAGEN 15.180 0 8

 

Os dez caminhões leves mais vendidos

MARCA/MODELO OUT. ACUM.
1º VOLKSWAGEN 9.170 374 2.604
2º MERCEDES-BENZ ACCELO 815 198 1.727
3º MERCEDES-BENZ ACCELO 1016 271 1.710
4º IVECO TECTOR 9-190 43 353
5º HYUNDAI HD 80 23 170
6º IVECO DAILY 70C17 20 138
7º VOLKSWAGEN 9.160 11 99
8º FORD CARGO 816 2 83
9º FORD F-4000 4 77
10º MERCEDES-BENZ ACCELO 915 4 70

 

Os dez caminhões semi-leves mais vendidos

MARCA/MODELO OUT. ACUM.
1º MERCEDES-BENZ SPRINTER 416 199 1.429
2º MERCEDES-BENZ SPRINTER 415 16 698
3º  VOLKSWAGEN 6.160 45 431
4º MERCEDES-BENZ SPRINTER 516 43 394
5º MERCEDES-BENZ SPRINTER 515 3 198
6º IVECO DAILY 45-170 25 120
7º  IVECO DAILY 65-170 22 112
8º IVECO DAILY 55C17 7 76
9º MERCEDES-BENZ SPRINTER 316 18 62
10º  IVECO DAILY 55-170 22 61

 

Emplacamentos de Ônibus

 

O Programa Caminhos da Escola, do Governo Federal, é o que está puxando as vendas de ônibus


Em outubro foram emplacados 1.842 unidades, registrando alta de 19,92% sobre setembro que teve 1.536 ônibus emplacados. Na comparação com outubro de 2019 que registrou 2.700 unidades vendidas, o resultado foi 31,78% menor. E, se considerar o acumulado de janeiro a outubro com 14.924 unidades, a queda foi de 33,76% sobre igual período do ano passado com 22.530 unidades.

?Nos últimos meses, as empresas de transporte, tanto as urbanas quanto as rodoviárias, vêm enfrentando problemas gerados pela pandemia, o que leva a uma retração nas vendas do segmento de ônibus. Além disso, a indústria também começa a sofrer problemas com o fornecimento de componentes. Até agora, grande parte do volume vendido ainda se deve ao Programa Caminho da Escola, do governo federal?, analisa Assumpção Júnior.

Implementos rodoviários

Os emplacamentos de implementos rodoviários tiveram alta de 5,04% em outubro com 6.750 unidades sobre setembro que registrou 6.426 unidades. Na comparação com outubro de 2019, quando foram emplacadas 5.494 unidades, houve alta de 22,86%. No acumulado de janeiro a outubro, os resultados de 2020 com 53.620 emplacamentos ficaram 0,70% acima dos registrados em igual período de 2019 que registrou 53.246 unidades. Isso mostra a real recuperação deste segmento.

?Os resultados poderiam ser ainda melhores. Mas, como ocorre com os caminhões, a alta demanda do segmento de implementos rodoviários não consegue ser suprida, em sua totalidade, mesmo com as implementadoras trabalhando na sua capacidade máxima de produção. Com isso, muitas continuam operando com pedidos já para março de 2021?, diz Alarico Assumpção Júnior.