Redação

03/01/2020 - 14 minutos de leitura.

Vendas de caminhões em 2019 crescem 33,12%, a maior alta desde 2013

As vendas de veículos comerciais registraram 128.928 unidades emplacadas ano passado. Destaque para as vendas de caminhões em 2019, algo que não se vê desde 2013

Crédito: Volvo/Divulgação

As vendas de veículos no Brasil tiveram alta de 10,48% em 2019, segundo dados da Federação Nacional Distribuição Veículos Automotores (Fenabrave). Isso significa 4.036.303 unidades emplacadas, ante as 3.653.297 registradas em 2018. Os números consideram todos os segmentos somados (automóveis, comerciais leves, caminhões, ônibus, motocicletas, implementos rodoviários e outros veículos). As vendas de caminhões em 2019 também tiveram destaque.

Na análise do presidente da Fenabrave, Alarico Assumpção Júnior, algumas circunstâncias influenciaram o bom resultado do ano passado. “Iniciamos 2019 com boas perspectivas para o setor, e, mês a mês, observamos a consolidação da recuperação das vendas.Esse desempenho positivo se deve a alguns fatores econômicos, como taxa de juros menores e queda nos índices de inadimplência e de desemprego. Isso refletiu, diretamente no aumento da confiança do consumidor e também do empresário. Esse cenário impulsionou a oferta de crédito, o que deve continuar em 2020. Por isso, confiamos em um novo ciclo de crescimento, ainda que moderado.”

Alta nas vendas de caminhões em 2019 não se vê desde 2013

Desde 2013 não se via o mercado de caminhões tão aquecido. No ano passado, as vendas de caminhões cresceram 33,12% em relação às de 2018. Foram 101.735 caminhões emplacados ao longo dos 12 meses de 2019 ante os 76.428 em 2018.

As vendas de caminhões só não foram melhores que as de  2013, quando 154.554 unidades foram emplacadas no Brasil. Naquele ano, entrou em vigor o Proconve P7 (norma de emissão de poluentes equivalente ao Euro 5) e vários transportadores decidiram renovar suas frotas. Os caminhões ganharam novas tecnologias para atender a lei e também ficaram mais econômicos.

Ônibus se destacaram

A indústria também comemora o resultado do setor de ônibus. Foram 27.193 unidades vendidas ante as 19.572 unidades no acumulado de 2018, representando um crescimento na ordem de 38,94%.

No total foram vendidas 128.928 unidades entre caminhão e ônibus nos doze meses de 2019, enquanto que no ano inteiro de 2018 foram sido emplacados 95.998 veículos. Isso representa um crescimento de 34,35%.

Fenabrave prevê que 2020 será o melhor ano para as vendas de caminhões

Com a estabilidade econômica, a expectativa de crescimento do PIB, que devem gerar mais empregos e crédito, a Fenabrave acredita em um novo ciclo de crescimento das vendas de veículos para 2020. Por isso, projeta alta de 9,67% para o setor, ante os resultados obtidos em 2019. Se a previsão se concretizar, as vendas vão ultrapassar 4,3 milhões de unidades.

Para as vendas de caminhões, a entidade prevê crescimento de 22,32% ou seja, 157.701 unidades. Se isso se concretizar será o melhor ano da história da indústria no Brasil. Em relação aos ônibus, a Fenabrave vê potencial para crescer 16%, o que se traduz em 31.545 unidades.

Confira quais foram os modelos que mais colaboraram para o crescimento nas vendas de caminhões em 2019, por segmento.

Semileves – Mercedes-Benz Sprinter 415

Foram 2.381 unidades vendidas durante o ano passado. É o segundo ano consecutivo que a Mercedes-Benz Sprinter 415 se mantém na preferência do consumidor. Com participação de 43,47% no segmento, a versão chassi-cabine atrai pela segurança que oferece.

A nova Sprinter chega ao mercado neste mês e cheia de novas tecnologias

 

Neste ano, o modelo foi rebatizado de Sprinter 416. Isso significa que ganhou nova motorização e maior capacidade de carga.

Chegando este mês nas concessionárias, o veículo é equipado com motor Mercedes OM 651 de 163 cv a 3.800 rpm e 36,4 mkgf de 1.200 a 2.400 rpm. O motor é combinado a uma transmissão ZF manual de 6 machas.  Seus peso bruto total (PBT) passa de 3,8 t para 4,1 t, passando a ter cerca de 2 t de carga útil..

Essa nova geração também chega mais segura. Ganhou o Active Brake Assist (ABA), tecnologia exclusiva da Mercedes-Benz que identifica objetos estáticos e móveis na via e também pedestres e ciclistas.

De série, a Sprinter tem controle de tração (ASR), controle eletrônico de estabilidade (ESP) com nove funções. Outra novidade é o assistente para reduzir vento lateral (Crosswind Assist) que faz o acionamento unilateral dos freios para amenizar o efeito de ventos laterais. Com isso o veículo trafega mais estável, especialmente nas curvas.

No quesito conforto dispõe de ar-condicionado digital e rádio com entradas SDCard, USB, auxiliar e conexão Bluetooth é de série. Mas o cliente pode optar pela tela touch screen como item opcional. O volante multifunção e o piloto automático com limitador de velocidade estão na lista de opcionais da Sprinter.

Leves – Volkswagen Delivery 9.170

O Volkswagen Caminhões e Ônibus Delivery 9.170 somou em 2019 3.411 unidades. Isso representa 30,38% das vendas de caminhões com PBT superior a 6 t até 10 t. O Delivery 9.170 com sua nova identidade visual substitui desde 2017 o Delivery 8.160, caminhão que já foi o mais vendido do mercado.

O Delivery 9.170 ganhou mais capacidade de carga em relação ao seu antecessor

 

Desenvolto para atuar no segmento de coleta e distribuição urbana ou interurbana, seu PBT é de 8,5 t. O modelo conta com entre-eixos de 3.400 mm, 4.000 mm, 4.400 mm e 4.600 mm. E sua plataforma de carga é de até 6,5 m. Com isso ele pode trafegar no ambiente rodoviário de curtas distâncias.

De acordo com a VWCO, o modelo teve redução de peso em torno de 10% na comparação com seu antecessor. Com isso ganhou maior capacidade de carga útil que varia de 5.450 kg a 5.600 kg, dependendo do implemento.

O Delivery 9.170 é equipado com motor Cummins ISF de 3,8 litros que desenvolve potência de 165 cv e torque de 61,2 mkgf que trabalha em harmonia com a caixa manual ESO-6106 de 6 velocidades. Mas este ano o modelo ganhou a versão com transmissão automatizada V-Tronic que pode custar até R$ 20 mil a mais em relação a manual.

Médios – Volkswagen Delivery 11.180

O Volkswagen Delivery 11.180 foi lançado com a mesma proposta do Ford Cargo 1119. Ser um caminhão médio com atributos de um leve, mas com capacidade de carga acima das 10 t de PBT. Por essa razão ele ocupa o topo do ranking de vendas dos médios, com 55,46% de participação no segmento. Em 2019 as vendas de caminhões da VWCO somaram 4.642 unidades.

O Delivery de 11 t atua nas operações urbanas com mais capacidade de carga

 

Essa solução “inventada” pela Ford caiu como luva no segmento de médios. O Delivery 11.180 é direcionado às atividades de distribuição urbana, sobretudo para quem transporta cargas de maior densidade como distribuição de bebidas.

Com PBT de 10,7 t, o modelo dispõe de entre-eixos nas opções de 3.400 mm, 4.000 mm, 4.400 mm e 4.600 mm. Isso possibilita ao frotista configurar o veículo na versão mais adequada para sua operação. O Delivery pode ter capacidade de carga útil entre de 7.300 kg e 7.450 kg.

O caminhão 11.180 tem motor Cummins ISF de 3,8 litros, que desenvolve 175 cv de potência a 2.600 rpm e 61,2 mkgf de torque de 1.100 a 1.700 rpm.  Esse motor trabalha com o câmbio Eaton manual ESO 6106 de 6 velocidades, sendo a última overdrive – uma conveniência para quem utilizar trechos rodoviários. O modelo também ganhou esse ano a versão com transmissão automatizada V-Tronic. Trata-se de uma Eaton EAO-6106 de 6 velocidades e com embreagem 362 mm.

Semipesado – Volkswagen Constellation 24.280

O Volkswagen Constellation 24.280 é seguramente o caminhão mais popular do Brasil, pois ele está no topo de vendas da categoria há mais de uma década. O modelo, cujo PBT é de 23 t, atende operações rodoviárias de curtas a médias distâncias, o que lhe torna uma opção versátil para atuar em diversas aplicações.

Em 2019 foram vendidas 3.744 unidades o deixando com 14,98% do mercado entre os semipesados.

O Constellation de 24 t lidera as vendas do segmento há mais de uma década

 

Ele é equipado com motor MAN D08 de 6 cilindros em linha. Seu motor dispensa o Arla 32, já que possui tecnologia EGR de recirculação dos gases de escape. Essa é uma das razões de tamanho sucesso, já que o transportador economiza não precisando abastecer o caminhão com o Arla.

Esse motor desenvolve 275 cv a 2.300 rpm e seu torque é de 107 mkgf de 1.100 a 1.750 rpm. Completa o trem de força a transmissão manual de 9 marcas ou a automatizada V-Tronic de 6 velocidades, ambas da ZF.

Pesados – Volvo FH 540

A saída de cena do Scania R 440 e a maior procura no mercado por modelos com potências superiores a 500 cv deram vantagens para a Volvo FH 540 que ocupa o topo do ranking de vendas entre os pesados.

Em 2019, foram 7.219 unidades comercializadas, garantindo a participação de 13,99% no segmento de caminhões pesados.

O FH é equipado com motor D13C540 de 6 cilindros em linha, de 540 cv entre 1.450 e 1.900 rpm e torque de 265 mkgf de 1.050 a 1.450 rpm.

O Volvo FH 540 é o mais potente da marca com motor de 13 litros

 

Suas tecnologias em favor da redução de combustível é o que mais atrai o transportador. Exemplo é o I-See sistema que lê o trajeto por onde o caminhão passa e quando ele retorna ao mesmo local, por reconhecer o percurso, o faz com o propósito de economizar combustível.

Na sua versão mais completa, o FH é equipado com ferramentas de segurança como câmera de monitoramento da faixa de rodagem, sensor de chuva, sensor de ponto cego, piloto automático e frenagem ACC (sistema de radar que garante uma distância segura do caminhão com o veículo da frente).

A Volvo a primeira marca de caminhões a trazer essas soluções de segurança ativa para o Brasil, em 2009.

Notícias relacionadas