Notícias

Produção de caminhões cresce 6,2% em maio

A velocidade de recuperação da produção de caminhões está sendo maior do que o previsto e, se continuar, a estimativa para 2021 será revista

Aline Feltrin

08 de jun, 2021 · 5 minutos de leitura.

produção de caminhões" >
Produção de caminhões em alta
Crédito:Foto: Mercedes-Benz

A produção de caminhões continua em expansão no Brasil. Em maio, as fábricas entregaram 13,9 mil unidades. Ou seja, 800 a mais do que as 13,1 mil feitas em abril. Segundo dados divulgados pela Associação Nacional das Fabricantes de Veículos Automotores (Anfavea) nesta terça-feira (8), houve alta de 6,2%.

Da mesma forma, a produção de caminhões avançou na comparação com o mesmo mês do ano passado. Nesse sentido, a alta foi de 243%. Afinal, em maio de 2020 foram feitas só 4,1 mil unidades.

Você também vai gostar de


Inicialmente, é preciso contextualizar aquele momento. Ou seja, a produção de caminhões estava praticamente paralisada por causa da decretação da pandemia de covid-19.

Seja como for, o resultado é positivo também no acumulado de 2021. De acordo com a Anfavea, de janeiro a maio foram feitas 60,1 mil unidades. Ou seja, a produção de caminhões cresceu 106% na comparação com as 29,2 mil fabricadas em igual período de 2020.

Presidente da Anfavea, Luiz Carlos Moraes diz que a velocidade de recuperação da indústria de caminhões está sendo maior do que a de automóveis e ônibus. O que explica esse cenário é a alta  demanda por caminhões de setores aquecidos da economia.

É o caso agronegócio, da mineração e do comércio eletrônico. De acordo com Moraes, isso pode fazer, inclusive, com que a Anfavea revise para cima a previsão de vendas de caminhões no Brasil.

Por ora, a estimativa é de que a produção chegue a 135 mil veículos. Ou seja, a indústria prevê uma alta de 23% em relação aos números de 2020. Segundo a Anfavea, serão 116 mil caminhões.

Falta de semicondutores

No entanto, as fabricantes estão preocupadas com a falta de componentes. Sobretudo semicondutores. Segundo Moraes, o fornecimento deverá ser normalizado somente em 2022.

De acordo com o executivo, há risco de novas paradas das linhas de produção de caminhões até o fim do ano. ?Esse componente está presente em sistemas eletrônicos, de frenagem, conectividade e telemetria, entre outros", explica Moraes.

Produção de ônibus recua 11,6%

Diferentemente da produção de caminhões, o setor de ônibus continua sofrendo. Segundo a Anfavea, em maio a indústria produziu 1.654 chassis. Ou seja, 11.6% a menos que os 1.872 feitos em abril.

No entanto, esse ritmo foi 35,7% maior do que o registrado em maio de 2020. Ou seja, no mesmo mês do ano passado foram produzidas 1.219 unidades.

Continua depois do anúncio

Por segmento, os ônibus urbanos lideram o ranking de produção, com 1.391 unidades feitas em maio. Seja como for, houve redução de 13.6% ante as 1.610 fabricadas em abril. Por outro lado, houve alta de 59% na comparação com os 875 chassis fabricados em maio de 2020.

No acumulado do ano, a produção de urbanos foi de 8.702 unidades. Ou seja, um crescimento de 14,7% em relação aos 7.589 chassis feitos de janeiro a maio de 2020.

Por sua vez, a produção de rodoviários ficou estável em maio. Assim, foram feitas 263 unidades, apenas uma a menos que em abril.

Contudo, na comparação com as 344 feitas em maio do ano passado a retração foi de 23,5%. Da mesma forma, a indústria produziu menos urbanos nos cinco primeiros meses de 2021.

Ou seja, foram 922 unidades. Assim, houve queda de 42,5% em relação aos 1.604 chassis rodoviários fabricados de janeiro a maio de 2020.