Novo Mercedes-Benz Sprinter avança em tecnologia

Veículos passam a ser produzidos na Argentina um ano depois de lançados na Alemanha

Novos Mercedes-Benz Sprinter Crédito: Foto: Mercedes-Benz

Mercedes-Benz começa a oferecer no Brasil e países da América Latina a nova linha do Sprinter, apenas um ano depois de lançada no IAA 2018, o Salão Internacional de Veículos Comerciais de Hanover, Alemanha. As versões chegam em patamar de tecnologia inédito para o segmento no Brasil. Para a produção dos novos utilitários, a Mercedes-Benz investiu US$ 100 milhões da fábrica da Argentina, onde são fabricados.

Além das alterações visuais, o que inclui para-choques mais encorpados e conjunto ótico mais alto, toda a gama – furgões, vans e cabine-chassi passam trazer como item de série o ABA, o assistente de frenagem ativo.  A tecnologia semiautônoma baseada em radar identifica obstáculos e, caso o motorista não tome alguma atitude após ser alertado com sinais visuais e sonoros, realiza 100% da frenagem.

As inovações em equipamentos de fábrica ainda se estendem ainda com ignição por botão de partida no painel, direção elétrica, ar-condicionado digital mais potente, carregadores e suportes de celular nas versões para passageiros, assistente de partida em rampa, acionamento elétrico de travas e janelas com sistema anti-smagamento e rádio com conexão bluetooth.

A fabricante oferece como únicos opcionais a central multimídia em tela de 7 polegadas com capacidade de espalhamento com o smartphones, volante multifunção e câmera de ré.

Os novos Sprinter serão uma das atrações da Mercedes-Benz na Fenatran 2019, ocasião na qual também divulgará valores e início das entregas. Jefferson Ferrarez, diretor de vendas e marketing de vans da companhia, prefere não revelar o porcentual de aumento de preço em relação a linha atual. “Com todos os benefícios incorporados, posso adiantar que o salto no investimento inicial não será significativo. Estou certo que a percepção do cliente em relação ao valor entregue será maior.”

Ajustes no trem de força também permitiu aumentos de potência, torque e capacidades de carga, o que alterou a nomenclatura dos veículos. Os atuais Sprinter 313 CDI Street serão substituídos pelos 314 CDI, em versões chassi e furgão. No caso, o motor OM651 ganhou 11% a mais de potência, agora com 143 cv, e 8,5% mais torque, de 31,1 para 33,7 kgfm.

Nas opções superiores, os novos Sprinter 416 CDI e 516 CDI chegam para ocupar os 415 CDI e 515 CDI, em versões furgão, cabine-chassi e van. Nos modelos o mesmo motor gera 12% mais potência, agora cm 163 cv e os mesmos 8,5% de torque, para 36,4 kgfm. Com mais força, os 416 também passaram a ter 220 kg a mais de capacidade de carga útil, alcançando agora 4.100 kg de peso bruto total (PBT).

Mercado – A Mercedes-Benz estima para 2019 um crescimento de 55% sobre o ano passado no mercado denominado de large vans (de 3,5 a 5 toneladas de PBT), no qual os Sprinter. Caso se consolide a projeção, o ano encerrará com 31 mil unidades emplacadas. Do volume, a marca espera ter participação acima de 30%.

Segundo Ferrarez, diferentemente do que se observa nas categorias de caminhões semileves e leves, que ainda mostram uma recuperação mais lenta em virtude da fraca atividade econômica nos centros urbanos, os utilitários leves são impulsionados pelas aplicações com passageiros.

“Apesar da economia ainda andar de lado, os anos recentes foram marcados por muita substituição de veículo em frota”, avalia o diretor de vendas. “O mercado de turismo e fretamento vem contribuindo muito, como também o de ambulâncias em licitações públicas.”

O executivo prefere não fazer projeções em relação as vendas para os novos produtos, quer ainda sentir a reação do cliente na Fenatran.


Notícias relacionadas