Avaliação

Teste: DAF XF traz o trem de força mais moderno da categoria

Totalmente novo, o DAF XF traz o trem de força mais moderno da categoria no Brasil e, segundo informações da fabricante, tem consumo até 14% menor que o antecessor. O Estradão testou a versão 480 6x2 com pacote Exclusive, cuja tabela é de R$ 635 mil

Andrea Ramos

04 de dez, 2020 · 20 minutos de leitura.

Teste: Com o trem de força mais evoluído da categoria, novo DAF XF está preparado para a Euro 6" >
Crédito:Leo Souza/Estadão
Teste: Com o trem de força mais evoluído da categoria, novo DAF XF está preparado para a Euro 6

O novo DAF XF chegou a Brasil com trem de força para lá de moderno. O motor Paccar MX 13, um clássico do mundo dos caminhões pesados, foi totalmente renovado. Além do seis-cilindros, que já atende as normas previstas no Euro 6, o modelo traz transmissão ZF Traxon. O Estradão avaliou a versão 480 6x2 com pacote Exclusive, que tem preço sugerido de R$ 635 mil.

O Paccar MX13, utilizado também por marcas como Kenworth e Peterbilt, oferece mais potência e torque em velocidades baixas. Na versão de 480 cv, como a do DAF XF avaliado, o torque de 255 mkgf está disponível já a partir das 900 rpm.

Você também vai gostar de


Isso é resultado do donwspeeding (desacelerador, em tradução livre). O recurso permite que o motor de seis cilindros em linha trabalhe sempre na menor faixa de rotação possível. Mesmo em condições severas, como quando o implemento está totalmente carregado.

Motor do DAF XF tem sistema common rail

O Paccar MX 13 ganhou novos comandos de válvulas e sistema de injeção common rail (tubo comum, ou único). Na maior parte dos motores, a injeção de combustível é feita por meio de tubos separados. No common rail, o diesel é injetado com pressão muito mais alta. Independentemente do giro do motor. Isso melhora o desempenho.

Aliás, marcas de caminhões, incluindo Mercedes-Benz, Scania e Volvo, tinham seus próprios sistemas de injeção. Mas, para se adaptar ao Euro 6, nova norma de emissão de poluentes, optaram pelo common rail na Europa.

Outra novidade do conjunto mecânico do DAF XF é o módulo de arrefecimento com capacidade 30% maior. O objetivo é reduzir o consumo de combustível. O turbo de geometria variável (VGT) também é novo. E traz sistema de injeção multi-torque. Na prática, as respostas aos comandos do pedal do acelerador são mais rápidas.

Pronto para o Euro 6

Outro destaque do motor do DAF XF é a versatilidade. Para atender as normas de emissão de poluentes do Proconve P7 (equivalente a Euro 5), trabalha tanto com o sistema SCR quanto com o EGR. O primeiro diz respeito à redução catalítica. O outro atua na recirculação dos gases do escapamento.

Segundo informações da área de engenharia da DAF, isso traz várias vantagens. Sobretudo no caso de caminhões que circulam no interior do Brasil, onde a oferta de diesel com nível maior de enxofre (S500) ainda é alta. A marca informa ainda que esse sistema também ajuda a reduzir o consumo de Arla 32.

Com o motor de 480 cv, o ganho de torque garante bom desempenho até para composições com peso bruto total combinado (PBTC) de 53 e 74 toneladas. Mas, a procura tem sido maior pelo DAF XF com o motor de 530 cv.

Essa versão representa cerca de 60% das vendas. Trata-se de uma tendência que vem se consolidando no mercado brasileiro. As transportadoras estão buscando cada vez mais os caminhões que podem puxar bitrem e rodotrem.

Transmissão do DAF XF é a mais moderna da linha ZF Traxon

Completa o conjunto mecânico a transmissão Traxon, da ZF. A caixa automatizada tem 12 velocidades mais duas reduzidas. Esse câmbio também equipa caminhões como o Volkswagen Meteor.

Continua depois do anúncio

Mas a versão que está no DAF XF tem mais recursos eletrônicos que do modelo da VWCO. Esses sistemas melhoram a performance e ajudam a reduzir o consumo de combustível.

É o caso do Controle de Cruzeiro Preditivo (CCP). Essa solução utiliza o navegador GPS para saber a  exata localização do caminhão. Com isso, pode antecipar, de forma automática, as condições da via à frente, incluindo a topografia.

Eletrônica 'prevê' topografia com 2 km de antecedência

Na prática, o sistema ligado ao câmbio e ao motor "sabe", com antecedência de 2 km, se há um aclive ou declive à frente, por exemplo. Isso mesmo que caminhão nunca tenha passado pelo local.

Essa "inteligência eletrônica" escolhe, por conta própria, a marcha ideal após cruzar os dados de inúmeras variáveis. E gerencia também a velocidade do caminhão e a rotação do motor. Com isso, o consumo de combustível e a redução das emissões chegam a 3% em relação a veículos convencionais.

Há ainda diferentes modos de condução. No caso do "Eco", combinado ao CCP, as trocas de marcha são feitas de forma mais precisa. Justamente para ajustar a velocidade do caminhão ao tipo de relevo, por exemplo.

Cabine do DAF XF evolui em todos os aspectos

A cabine do DAF XF também foi totalmente renovada. Para se integrar ao desenho do chassi, motor e sistema de arrefecimento, há várias mudanças estruturais. Outra novidade é o sistema de segurança passiva batizado de "tin-can".

Em caso de colisão frontal, por exemplo, a cabine é projetada para atrás do chassi. O objetivo é reduzir os riscos de ferimentos aos ocupantes. Além disso, essa solução diminui a possibilidade de danos graves à estrutura do caminhão.

Agora, o desenho da cabine da linha DAF XF vendida no Brasil é igual ao dos caminhões europeus. Esse novo conceito também leva em conta a aerodinâmica. O objetivo é reduzir a resistência ao vento e, como isso, o consumo de combustível.

Redesenho é funcional e deixa a dianteira moderna

Para melhorar a eficiência, a grade frontal do caminhão foi redesenhada. E tem colmeias com aberturas maiores, para melhora a circulação do ar no sistema de arrefecimento. Há também aletas na laterais posicionadas na direção da grade, para direcionar o fluxo de ar.

O conjunto óptico ganhou contornos cromados. Os faróis são de Lexan (policarbonato), com luzes de uso diurno. Há também faróis de curva, opcional que faz parte do pacote segurança. O dispositivo ilumina mais intensamente a via do lado para o qual o caminhão está virando.  

Também chama a atenção na dianteira o painel entre a grade e o para-brisa. Esse espaço foi criado de propósito para que a transportadora possa colocar ali seu nome e/ou logomarca. Aliás, a sigla "DAF" está destacada na parte frontal. Na parte inferior, o para-choque recebeu detalhes de alumínio.

Sistema de segurança ativa é opcional

No centro da grade frontal também fica o radar que compõe o sistema de controle de velocidade cruzeiro adaptativo (ACC) e da frenagem de emergência (AEBS). Na parte superior do para-brisa está o sensor do sistema de aviso de saída involuntária de faixa de rolamento (LDSW).

Entre os opcionais, há aviso de risco de colisão dianteira (FCW). Esse recurso alerta o motorista sobre e iminência de acidente por meio de um sinal sonoro e de luzes de advertência no painel de instrumentos. Outro item extra é o controle eletrônico de estabilidade (VSC). Sua função é evitar a ocorrência de efeito canivete e capotamento.

O pacote segurança pode vir em qualquer das versões de acabamento do novo DAF XF. Os preços partem de R$ 9 mil. O air bag para o motorista vem de série na configuração Exclusive. E é vendido à parte nas demais.

Acabamento interno é para lá de caprichado

Testamos a versão de topo, Exclusive, do novo DAF XF. E, como o próprio nome sugere, nessa configuração a cabine reúne, além do bom acabamento, vários itens de conforto e segurança. Trata-se do mais completo pacote de equipamentos da linha. E tudo vem de série.

É o caso do banco com desenho esportivo, que lembra os da marca italiana Recaro. O revestimento é de couro nas cores cinza chumbo e conhaque. O volante multifuncional também é coberto de pele.

O painel manteve a forma curvada do modelo da geração anterior. Do lado direito do quadro de instrumentos, uma pequena haste, que lembra um joystick, faz as vezes de alavanca de câmbio. Mas à direita estão localizados os botões do sistema de ar-condicionado digital.

Botões do painel são intercambiáveis

A parte superior do painel é coberta por um material plástico macio ao toque. Esse revestimento, da mesma cor do banco, faz um belo contraste com as peças em tom cinza. Essa combinação agrada aos olhos e dá um aspecto refinado à cabine do novo DAF XF.

Todos os interruptores localizados no painel são intercambiáveis. Dessa forma, o frotista pode escolher a melhor posição para os botões de acordo com as características de suas operações.

Nessa versão de topo, Exclusive, o novo DAF XF vem com a Super Space Cab. Entre os destaques, a altura interna é de 2,10 m e qualquer ponto da cabine. O sistema de climatização também é série.

O único opcional é a beliche. E mesmo esse item estava presente no caminhão avaliado pelo Estradão. Somando todos os porta-objetos disponíveis a bordo, são 800 litros de capacidade. E a geladeira, que fica embaixo da cama, tem capacidade de de 43 litros.

Novo DAF XF pode avaliar o motorista o tempo todo

O painel de instrumentos tem bom grafismo, que facilita visualizar os dados do caminhão seja durante o dia ou à noite. Entre as novidades há o assistente de performance do condutor (DPA). Vários sensores colhem dados para indicar ao motorista a melhor forma de condução.

Trata-se de uma espécie de assistente eletrônico. E, no fim de cada viagem, o dispositivo pode avaliar o nível de eficiência e aproveitamento conforme a situação. São avaliados, por exemplo, frenagem, estilo de condução e consumo de combustível.

Essa ferramenta é novidade na DAF, mas já estava presente em outros modelos à venda no Brasil. Marcas como Scania e Volvo, por exemplo, oferecem o dispositivo em suas linhas de caminhões pesados disponíveis no mercado brasileiro.

Motor de 480 cv dá conta do recado

Gostamos bastante das respostas do DAF XF com motor Paccar de 480 cv. O cavalo mecânico com tração 6x2 estava implementado com um carreta de três eixos. O equipamento foi gentilmente cedido pela Costa Teixeira Logística, que retirou o caminhão da concessionária no mesmo dia da avaliação.

Com tantos recursos eletrônicos voltados à segurança disponíveis, resolvi encarar a experiência de guiar o novo caminhão. Nosso ponto de partida foi a concessionária MacPonta Caminhões, em Ponta Grossa (PR). Seguimos em direção à PR-151.

À bordo do novo DAF XF, tudo é muito intuitivo. Meu papel foi de apenas manter a atenção no trânsito e guiar o volante. Os sistemas eletrônicos fazem praticamente tudo sozinhos. A agilidade da transmissão Traxon faz toda a diferença para facilitar a condução.

Durante toda a avaliação, mantivemos o controle de velocidade de cruzeiro acionado. O sistema, conhecido popularmente como piloto automático, é de grande valia mesmo para motoristas bastante experientes. Ao "tomar várias decisões" por conta própria, alivia o desgaste do condutor.

O novo DAF XF auxilia o motorista

A 80 km/h com a 12ª marcha engatada, a rotação do motor permaneceu o tempo todo a 1.000 rpm. E não oscilou nem mesmo quando CCP "enxergou" que havia uma subida adiante. Rapidamente a transmissão engatou a 11ª marcha de forma tão suave que só percebi ao ver a indicação no painel.

O novo DAF XF manteve a velocidade e, com o motor na mesma faixa de rotação, teve fôlego para vencer o trecho íngreme sem titubear. O giro do Paccar só subiu a 1.100 rpm quase no fim da subida.

Em seguida havia uma descida. E, com isso, foi a vez de o freio-motor entrar em ação. Nessa nova geração, o sistema está mais potente. Os 490 cv de capacidade de frenagem são distribuídos em três níveis de atuação.

Sistema eletrônico simula roda livre

Como o caminhão disponível para avaliação não estava carregado, o primeiro estágio foi suficiente para garantir a segurança. Não foi preciso sequer tocar o pedal do freio.

Mais uma vez, a transmissão Traxon "entendeu" o que estava acontecendo. Como "sabia" que o trecho final da descida estava logo à frente, acionou a função EcoRoll por conta própria.

Ao aproveitar o embalo e rodar por alguns metros com a caixa desabilitada, reduziu o consumo de combustível. Essa função atua de forma parecida com o de uma roda livre. Mas é controlada eletronicamente.

O silêncio a bordo, independentemente do modo de condução, impressiona. Rodando a 80 km/h, com a 12ª marcha engatada e o motor a 1.100 rpm, decibelimetro marcou 68 dBA.

Veredicto

Graças ao bom conjunto, o novo DAF XF aposta no custo total de operação (TCO). De acordo com informações da marca, a redução do TCO chega a 6% em relação à geração anterior do caminhão. O conforto a bordo é outro destaque e contribui com o bem estar do motorista. Além disso, o trem de força é mais moderno que o oferecido pela concorrência e atende, inclusive, as normas do Euro 6. Com isso, o novo XF chega para ditar tendências. E mostra que a marca holandesa está preparada para a briga. .

Ficha Técnica
DAF XF 480 6x2

Preço sugerido R$ 635 mil (com pacote Exclusive)
Cabine Leito
Distância entre os eixos (mm) 3.600
Motor Paccar MX 13, 6 cilindros em linha
Potência (cv) 480 a 1.600 rpm
Torque (mkgf) 255 entre 900 e 1.365 rpm
Transmissão ZF Traxon, 12 velocidades + 2 reduzidas
Peso em ordem de marcha (kg) 7.560
PBT homologado (kg) 16.000
PBTC (kg) 53.000
CMT (kg) 60.000

Fonte: DAF