Você está lendo...
Movimento de caminhões nas estradas do Brasil fica estável
Notícias

Movimento de caminhões nas estradas do Brasil fica estável

O movimento de caminhões nas estradas ficou estável em abril na comparação com março. Mas na comparação com abril do ano passado cresceu 2,7%

Redação

16 de mai, 2022 · 3 minutos de leitura.

movimento de caminhões
Crédito:Divulgação ABCR

O movimento de caminhões nas estradas brasileiras ficou estável em abril. De acordo com o Índice da Associação Brasileira de Concessionárias de Rodovias (ABCR), o fluxo apresentou variação positiva de 0,1% em relação a março. O estudo é coordenado pela Tendências Consultoria.

Seja como for, em relação a abril de 2021, o movimento cresceu 2,7%. Da mesma forma, houve alta no acumulado dos últimos 12 meses de 4,2%. No mesmo sentido, de janeiro a abril de 2022 o crescimento foi de 1,7%.

Leia também: Volvo faz feirão de caminhão usado com preço a partir de R$ 185 mil


A estabilidade no tráfego de caminhões significa uma acomodação após o resultado positivo nos últimos dois meses. De acordo com a Tendências Consultoria, os bons resultados no acumulado de 2022 devem ser vistos com cuidado. Afinal, em 2021 o movimento foi menor que nos anteriores, antes ao início da pandemia de covid-19.

Seja como for, o avanço do fluxo de caminhões nas estradas nos últimos 12 meses confirma a alta do PIB do setor de transportes em 2021. Segundo a Confederação Nacional do Transporte (CNT), no ano passado o setor cresceu 11,4%. 

Rio de Janeiro e São Paulo

O fluxo de caminhões pesados nas estradas do Rio de Janeiro teve variação de 0,3% sobre março. Mas na comparação com abril de 2021, o avanço foi de 16%. Da mesma forma, em São Paulo os números de abril ficaram estáveis em relação aos de março. A variação positiva foi de 0,9%. Na comparação com abril de 2021, houve alta de 1,7%.


Veículos leves e pesados

Considerando o fluxo total de veículos, ou seja, leves e pesados, o número de abril também ficou estável . Ou seja, a variação foi de 0,2% ante março. Porém, na comparação com abril de 2021 a alta foi de 22%> No mesmo sentido, ao comparar o acumulado de janeiro a abril de 2022 com o mesmo período de 2021, o movimento cresceu 11%.

Deixe sua opinião