Licenciamentos de caminhões têm alta de 41% em novembro

Volume de vendas do ano já supera as estimativas iniciais de crescimento da indústria do segmento

Mercado de caminhões em alta Foto: Scania

As vendas de caminhões em novembro mais uma vez se mostraram em franca recuperação depois de quatro anos de quedas consecutivas. No mês passado, os emplacamentos de 7.758 unidades representaram um crescimento de 41,18% sobre o mesmo período do ano passado, quando foram negociados 5.495 caminhões. Os dados são da Fenabrave, a federação que reúne os distribuidores de veículos no Brasil, com base no Renavan, divulgados na segunda-feira, 3 de dezembro.

O desempenho positivo mensal reforça a trajetória de crescimento do segmento no ano. De janeiro a novembro, o mercado de caminhões absorveu 68.824 unidades, volume perto de 50% superior ao anotado nos dozes meses anteriores, de 45.894 licenciamentos.

O volume de vendas contabilizado até novembro supera expectativas anteriores. No início do ano, diversos representantes da indústria projetavam um crescimento de 30% sobre o obtido em 2017, para um mercado em torno de 68.000 unidades.

“O mercado se comporta com um viés otimista após o período eleitoral, indicando continuidade do crescimento”, observou Roberto Cortes, presidente e CEO da Volkswagen Caminhões e Ônibus na recente entrega do primeiro e-Delivery para Ambev, em outubro. “A economia do País está voltando e com ela o mercado de caminhões, que deve ter um crescimento em torno de 50% em 2018, seguindo a tendência mostrada até aqui.”

Para atender a demanda crescente que se espera, Cortes já anunciou 350 novas contratações para acelerar produção em Resende (RJ), com o início de um segundo turno parcial em dezembro. Também a Volvo, em Curitiba (PR), já decidiu aumentar as atividades no chão de fábrica. Resolve somente processo interno para determinar número de pessoas a serem absorvidas para completar o expediente integral de um segundo turno parcial, iniciado no começo do ano com a chegada de 250 colaboradores.

Na terça-feira, 4 de dezembro, a Mercedes-Benz também anunciou a contratação de mais 600 colaboradores temporários, dos quais 400 para início em janeiro e outros 200 chegam em abril, considerando expectativa de crescimento no mercado de caminhões em 2019. De acordo com Phillip Schiemer, presidente da fabricante no Brasil e CEO para a América Latina, depois de quatro anos a empresa volta a produzir caminhões em dois turnos e três turnos em algumas área de agregados (câmbio, motores e eixos). “Com essas novas vagas, a Mercedes-Benz terá criado mais de 1.400 postos de trabalho desde dezembro de 2017 em suas duas fábricas de veículos comerciais, São Bernardo do Campo (SP) e Juiz de Fora (MG).”

Ranking – Até novembro, a Mercedes-Benz segue na liderança das vendas de caminhões com 20.078 unidades ou 29,17% do total dos licenciamentos do segmento. Vem atrás a Volkswagen, com 17.135 veículos vendidos (24,9%), a Volvo, que somou 9.650 emplacamentos (14,02%), a Ford, com vendas de 8.265 caminhões (12,01%) e a Scania, que alcançou 11,03% de participação com 7.591 unidades vendidas. Vale lembrar que Volvo e Scania atuam no mercado somente nas categorias de semipesados e pesados.


Notícias relacionadas