Indústria de implementos mantém trajetória de recuperação

Balanço da Anfir apresenta crescimento de 52% no acumulado do ano até julho

Anfir: vendas ainda são 50% menores do que há cinco anos, pico do mercado. Foto: Volvo Trucks

O desempenho das entregas de implementos rodoviários reforça sua trajetória de recuperação, exibindo reflexo da retomada que experimenta o atual desempenho do mercado de caminhões.

De janeiro a julho, a indústria entregou 46.674 implementos, crescimento de 52% na comparação com o mesmo período do ano passado, quando as vendas somaram 30.707 produtos.

A Anfir, Associação Nacional dos Fabricantes de Implementos Rodoviários, no entanto, destaca que o volume acumulado até o momento está longe daquele registrado no passado. Ao considerar os números obtidos em 2013, período que marca um dos melhores do segmento, nos sete primeiros meses daquele ano as vendas somaram 100,4 mil unidades. Ou seja, o volume entregue em 2018 ainda representa menos da metade de cinco anos atrás.

“Devido às perdas acumuladas não se pode afirmar que estamos crescendo, mas iniciando a recuperação”, observa Mario Rinaldi, diretor executivo da associação.

Como ocorre no mercado de caminhões, é o segmento de implementos pesados que impulsiona a retomada. Nos sete primeiros meses do ano, as vendas de reboques e semirreboques cresceram 81,3%, para 23.411 produtos ante 12.912 apurados há um ano. O volume anotado participou com 50% das vendas totais de implementos.

Dentre reboques e semirreboques as maiores forças vêm dos porta-contêineres, em alta de 114,5%, com 918 unidades vendidas, e dos graneleiros, cujas vendas cresceram 109,8% de janeiro a julho, para 5.968 equipamentos.

No segmento de carrocerias sobre chassi, categoria classificada como leve, os negócios somaram 23.263 unidades, volume 30,7% superior ao apurado nos sete primeiros meses de 2017, de 17.795 implementos.


Notícias relacionadas