Mário Sérgio Venditti

19.06.2017 | 14:31 Atualizado: 05.07.2017 | 12:41

Fenatran acontece em outubro

Em clima de otimismo, evento espera marcar retomada do setor

21ª Fenatran será de 16 a 20 de outubro, em São Paulo Crédito: Crédito: Fenatran/divulgação

O principal evento voltado para o transporte rodoviário de cargas já tem data marcada. A 21ª edição da Fenatran acontecerá de 16 a 20 de outubro, no São Paulo Expo. Segundo Antonio Megale, presidente da Anfavea, a Associação Nacional de Fabricantes de Veículos Automotores, a mostra servirá para impulsionar o início da recuperação do setor, beneficiado por indicadores positivos, como o aumento da produção no agronegócio e o crescimento das exportações de caminhões e de implementos rodoviários.

A previsão dos organizadores é que 60 mil pessoas visitem o espaço, que apresentará o que há de mais moderno no transporte de carga. A Fenatran deverá contar com mais de 450 marcas expositoras, número bem superior ao de 2015, que teve a participação de 320 empresas.

Megale não disfarça o otimismo: “Identificamos diversos sinais positivos na economia e os produtos expostos serão extremamente modernos e tecnológicos. Tudo nos faz acreditar que teremos uma das melhores exposições da história”, afirma.

Segundo o dirigente, o setor estima aumento de 26% na produção de veículos pesados — o que representa 100 mil unidades –, além do crescimento de 10% nas exportações.

O presidente da Associação Nacional dos Fabricantes de Implementos Rodoviários (Anfir), Alcides Braga, compartilha o entusiasmo ao acreditar na evolução do segmento de implementos.

Ele atribui isso à estabilização da economia a partir do segundo semestre, a crescente produção de grãos e o maior grau de investimentos proporcionados pelo BNDES (Banco Nacional de Desenvolvimento Econômico e Social).

Outro dado que anima o setor é o convênio da Anfir com a Apex-Brasil (Agência Brasileira de Promoção de Exportações e Investimentos), com o objetivo incentivar as exportações da indústria produtora de implementos rodoviários por intermédio de ações estratégicas realizadas com a orientação da agência.

A estimativa neste ano é exportar US$ 35 milhões para compradores de países da América do Sul.

Notícias relacionadas