Notícias

Cinco dicas para o caminhoneiro cuidar da saúde nas estradas

Pequenas mudanças na rotina podem contribuir para que o caminhoneiro tenha mais saúde nas estradas

Aline Feltrin

09 de abr, 2021 · 6 minutos de leitura.

saúde nas estradas
Crédito:ABRAMET

A saúde dos caminhoneiros nas estradas é assunto que tem ganhado cada vez mais importância. Segundo a Organização Mundial da Saúde (OMS), problemas de saúde contribuem para ao menos 15% dos acidentes de trânsito. E isso também afeta a segurança.

Médico de Tráfego e diretor da Associação Brasileira de Medicina de Tráfego (ABRAMET), José Herverardo Montal  lista algumas doenças recorrentes em caminhoneiros. São elas: diabetes, hipertensão e cardiopatia.

Nesta semana do Dia Mundial da Saúde, Montal conversou com o Estradão. Segundo ele, com alguns cuidados simples é possível cuidar da saúde nas estradas. Confira:

1) Não exagere no tempo de jornada

A regra é simples. Quanto mais viagens, mais dinheiro no bolso. Mas cuidado para não exagerar na dose. Jornadas em excesso têm sido um fator de risco para a saúde dos caminhoneiros. Além disso, após 8 horas de direção ininterruptas, as chances de ocorrer um acidente praticamente dobram.

2) Paradas ajudam na circulação

Dirigir por muitas horas sem parar afeta a circulação. E há riscos de trombose venosa nos membros inferiores. Para evitar esse tipo de problema faça paradas a cada 1h30. E tente caminhar um pouco em volta do caminhão. Ou pelo local de parada. Essa atitude ajuda, portanto, a manter o cérebro mais descansado.E, desta forma, contribui para o reflexo ao dirigir.

3) Evite alimentos muito gordurosos

Os alimentos muitos gordurosos contribuem para o desenvolvimento de cardiopatias, diabetes, hipertensão e outras doenças. Além disso, esse tipo de comida exige muito esforço para a digestão. E isso, portanto, resulta em cansaço, prejudicando o reflexo na hora de dirigir.

4) Durma direito!

Tenha pelo menos oito horas de sono. Dormir direito possibilita que o cérebro processe informações de forma mais eficiente. E isso, portanto, o mantém seguro e saudável. E nem é preciso alertar que a falta de sono é responsável por grande parte dos acidentes. Quando um motorista está sonolento é como se estivesse sob efeito de álcool ou drogas. De acordo com o médico da ABRAMET, o período de sono deve se programado antes da viagem. Ou seja, a tendência de muitos motoristas é sair cedo para pegar a estrada logo. No entanto, só encare o volante quando estiver sem sono. Muitos acidentes ocorrem, portanto, por causa da privação do sono.

5) Reduza o stress programando melhor a viagem

Conhecer o caminho que percorrerá antes de iniciar a jornada não ajuda apenas a ter mais eficiência. Essa medida é também importante para se precaver de situações que podem colocar a saúde do caminhoneiro em risco. Ou seja, evita o envolvimento em acidentes por causa de pistas em condições precárias. Ou até mesmo trechos de chuvas e tempestades que podem reduzir a segurança. Informe-se, por fim, sobre essas condições com a Polícia Rodoviária Federal ou até mesmo em postos de parada.

Uma semana de combate ao Covid-19

De hoje (5) ao dia 9 de abril, o SEST SENAT está promovendo uma mobilização nacional de atenção à saúde dos trabalhadores do transporte. De forma presencial e online, ocorrerá a Semana Mundial da Saúde. A iniciativa é focada no combate à covid-19. Ou seja, busca intensificar a adoção de medidas que evitem a propagação do novo coronavírus. Além de cuidados preventivos com a saúde.

Assim, as ações de conscientização e de orientação serão feitas a trabalhadores de empresas de transporte. E em unidades operacionais do SEST SENAT. Eles estão localizados em pontos importantes de rodovias brasileiras e terminais.

Continua depois do anúncio

De acordo com o SEST SENAT, nas ações os profissionais darão instruções sobre cuidados contra a covid-19. E também sobre atenção à saúde física e emocional. Especialmente diante do atual momento da pandemia. Algumas medidas, se adotadas no dia a dia, portanto, são capazes de contribuir para prevenir consequências mais graves. Tanto para essa como para outras doenças.

Acesse aqui para saber a programação de cada unidade operacional.