Tecnologia

Carro-forte brasileiro ganha ar-condicionado a energia solar

Projeto desenvolvido para o carro-forte do Grupo Preserve pela startup Innovaklim envolve a Mercedes-Benz e reduz o consumo, as emissões e o nível de ruído

Redação

11 de set, 2021 · 4 minutos de leitura.

Carro-forte recebe o primeiro ar-condicionado a energia solar do mundo" >
Carro-forte recebe o primeiro ar-condicionado a energia solar do mundo
Crédito:Mercedes-Benz/Divulgação
Carro-forte recebe o primeiro ar-condicionado a energia solar do mundo

Um carro-forte do Grupo Preserve ganhou um ar-condicionado que funciona com eletricidade gerada por meio de energia solar. Conforme a transportadora, é o primeiro equipamento do tipo no mundo. Segundo a empresa, o sistema está ligado à bateria do veículo. Assim, utiliza a energia gerada por sistema fotovoltaico bem como pelo alternador.

Como resultado, há redução de cerca de 80% no consumo de combustível. Bem como diminuição de 7% a 19% nas emissões de poluentes. Ou seja, na comparação com os números de sistemas convencionais. Portanto, do ar-condicionado instalado em veículos com motor a diesel.

Você também vai gostar de


O projeto foi desenvolvido pela startup catarinense Innovaklim. Além disso, contou com a parceira da Mercedes-Benz. E também da transportadora de valores. O equipamento está em um carro-forte. Por sua vez, o veículo é feito sobre um chassi Mercedes-Benz 915 E.

Potencial para uso em outros veículos

A princípio, a tecnologia foca veículos do tipo carro-forte. No entanto, as empresas informam que há potencial de uso em outros tipos de modelos pesados.

Nesse sentido, colabora a redução dos impactos ao meio ambiente. Bem como com a diminuição dos custos operacionais. Além disso, há mais conforto para os ocupantes, uma vez que o sistema gera baixo nível de ruído durante a operação.

Segundo a Innovaklim, foram necessários dois anos para o desenvolvimento do sistema. Nesse meio tempo, a empresa fez estudos para definir até o tipo de gás refrigerante. Ou seja, tudo foi pensado para reduzir os impactos ambientais.

Chassi desenvolvido para carro-forte

Assim, a equipe escolheu o chamado 410A, produto que não contém derivados de cloro. O elemento químico é responsável por degradar a camada de ozônio. A opção pelo chassi 915 E também não foi feita de forma aleatória.

Ou seja, essa base deriva da utilizada nos ônibus Mercedes-Benz LO 916. Bem como no caminhão Accelo 1016. Como resultado, o carro-forte tem peso bruto total (PBT) de 9,4 toneladas. Além disso, a capacidade de carga no eixo dianteiro é de 3,2 toneladas.

Conforme a transportadora, isso garante maior robustez à estrutura. Bem como melhor distribuição de peso entre os eixos. No mesmo sentido, o chassi para carro-forte já sai da fábrica pronto para receber a blindagem. Portanto, isso facilita a tarefa do implementador.