Andrea Ramos

26/05/2020 - 8 minutos de leitura.

Caminhoneiros usam cada vez mais aplicativos de fretes

Caminhoneiros buscam aplicativos para garantir frete em meio à pandemia da covid-19, que vem ampliando o distanciamento social e causando o fechamento de vários terminais de carga em todo o País

Com o isolamento social, caminhoneiros recorrem à aplicativos de fretes
Crédito: TruckPad/Divulgação

Os caminhoneiros brasileiros estão recorrendo cada vez mais a aplicativos de frete. Essa solução vem ganhando espaço por causa das medidas de distanciamento social. Para coibir a disseminação do novo coronavírus, vários terminais de carga no País tiveram a atividade reduzida ou mesmo fecharam.

Na FreteBras, por exemplo, o número de usuários cresceu 118% de janeiro a abril na comparação com o mesmo período de 2019. Mais 80 mil novos motoristas foram registrados no período. Com isso o aplicativo já conta com 400 mil inscritos.

Apenas em março, quando a Organização Mundial da Saúde decretou situação de pandemia, o aumento do número de usuários do aplicativo foi de 130%. O dado compara o total de cadastros existentes em março do ano passado.

Caminhoneiros migram para ambiente online

Segundo o diretor de operações da FreteBras, Bruno Hacad, de janeiro a abril a plataforma teve mais de 10 milhões de buscas por fretes. Na comparação com o o mesmo período de 2019, o crescimento foi de cerca de 50%. Foram registradas buscas por fretes em 97% das cidades brasileiras.

Para Hacad, isso indica uma forte tendência de migração dos caminhoneiros para o ambiente online. O dado confirma uma  pesquisa feita pela Confederação Nacional do Transporte. Segundo a CNT, 87% dos caminhoneiros do Brasil estão conectados à Internet.

“A transformação digital é realidade nos mais variados setores”, afirma o diretor da FreteBras. “No de transportes, percebemos que as medidas adotadas no combate ao novo coronavírus contribuíram para acelerar esse processo.”

Crise traz mudança de comportamento

CEO e fundador do TruckPad, Carlos Mira concorda. Ele diz que a pandemia está causando uma digitalização “forçada” no setor de transportes. “A adoção de uma nova tecnologia não se dá quando o sistema está pronto. Ocorre quando existe uma mudança no comportamento do usuário”.

Mira lembra que a primeira versão do aplicativo TruckPad foi lançada em 2013. Na época, poucos caminhoneiros utilizavam smarthphones. Esse tipo de aparelho não era tão popular. Com a redução dos preços desses telefones, mais profissionais passaram a ter acesso e familiaridade com os aplicativos. É o caso dos sistemas ligados à busca por frete.

“Fomos mostrando os benefícios dessa ferramenta. O caminhoneiro não precisa se deslocar para encontrar carga. Ainda há os gostam de ir ao terminal por se sentem mais seguros”, afirma Mira. Segundo ele, isso mudou com a covid-19.

Avanço do número de usuários

Muitos terminais de carga foram fechados para cumprir as medidas de isolamento social. “Com isso os caminhoneiros tiveram de mudar o comportamento”, afirma o fundador do aplicativo..

O número de novos usuários do TruckPad crescia em média de 10% ao mês antes da pandemia. De 15 de março a 15 de maio, a alta no total de cadastrados foi de 40%.

A Fretefy também registrou aumento na procura pelos motoristas. A alta mais significativa ocorreu entre os meses de março e maio deste ano.

A empresa está acompanhando o comportamento do setor desde o dia 16 de março. Naquele mês, o aumento do número de usuários cadastrados foi de 43,19%.

Em abril, o número de novos motoristas cresceu 36,33%. E nos primeiros 20 dias de maio a alta foi de 20,38%. Segundo informações da Fretefy, o aumento também é reflexo também da redução da oferta de carga no mercado de transportes.

Levantamento feito pela Fretefy registrou que no período de 16 de março a 10 de maio a atividade de transporte havia sofrido retração média de 40,47%.

Plataformas facilitam primeiros passos

O CEO do TruckPad afirma que já foram feitos mais de 1,2 milhão de downloads do aplicativo. O potencial de crescimento é ainda maior. Segundo ele, ainda há quem não utilize a ferramenta por uma questão de insegurança.

Por isso, a empresa criou um canal de atendimento pelo WhatsApp. Por meio dessa ferramenta, os caminhoneiros podem tirar dúvidas e checar informações. A busca mais comum, segundo Mira, diz respeito à idoneidade da transportadora em relação ao pagamento do frete.

Ele diz que o objetivo da plataforma é garantir a segurança de todos os envolvidos no negócio. Por isso, há uma área dedicada a ouvir os caminhoneiros e as empresas de transporte.

Dicas importantes

Segundo Mira, não há nenhum registro de motorista que deixou de receber pelo serviço prestado. “Garantimos o pagamento ao profissional. E se alguma transportadora deixar de pagar pelo frete, será excluída do sistema.”

As empresas do setor listaram dicas para que o caminhoneiro evite riscos. O objetivo é garantir a eficácia nas plataformas dedicadas à oferta de frete.

-Verifique a seriedade do aplicativo com colegas ou em fóruns de discussão;
– Após baixar o aplicativo é preciso cadastrar o telefone celular e os dados dos documentos pessoais;
– O veículo e o implemento também devem ser cadastrados. E ter registro na Agência Nacional de Transporte Terrestre (ANTT) por meio do RNTRC. Com esse filtro o próprio sistema se encarrega de buscar o tipo de frete mais adequado ao veículo e implemento;
– É recomendável buscar previamente fretes na região de destino. Assim também é possível garantir o retorno;
– Dá para utilizar os filtros no aplicativo para segmentar os fretes de interesse. Entre as opções estão apenas lotação, apenas fretes sem agenciamento, apenas fretes próximos, etc.
– Evite aceitar de cara o preço anunciado. Sempre há alguma margem para negociação.

Notícias relacionadas