Caminhão elétrico e sem cabine inicia operação em via pública

T-Pod, da sueca Einride, faz estreia comercial de entregas de carga com a empresa logística DB Schenker

Einride T-Pod Crédito: Foto: Einride

Evento classificado como histórico pela Einride, empresa de tecnologia sueca, a estreia do T-Pod, primeiro caminhão elétrico sem cabine, em operação comercial por via pública, em Jönköping, na região central da Suécia, com a operadora logística alemã DB Schenker. O veículo fará entregas diárias de mercadorias entre um armazém e um terminal de carga dentro da zona industrial da cidade.

“Este dia (15 de maio) representa um marco importante na história da Einride e para nosso movimento de criar uma solução de transporte segura, eficiente e sustentável, baseada em veículos elétricos autônomos, com potencial de reduzir em até 90% as emissões de carbono do transporte de carga rodoviário”, disse me nota Robert Falck, CEO e fundador da Einride.

O T-Pod, com capacidade para 26 tonaledas, é um veículo de três eixos autônomo de Nível 4, uma escala abaixo do integralmente automatizado conforme definido da SAE, Sociedade de Engenharia Automotiva. Embora não tenha uma cabine de motorista, o caminhão desenvolvido pela Einride tem de ser controlado remotamente, a partir de uma central instalada nas dependências da DB Schenker.

Por monitores, um operador pode controlar até dez unidades de uma vez. Embarcado com um conjunto de radares e sensores, além de suportado por plataforma de inteligência artificial da Nvidia para processar dados visuais em tempo real, o T-Pod tem permissão para rotas curtas em velocidade de até 5 km/h. A licença, emitida pela autoridade de transporte da Suécia, é válida até 31 de dezembro de 2020.

“Os caminhões autônomos serão cada vez mais importantes para o setor logístico. Juntamente com a Einride, introduzimos caminhões autônomos totalmente elétricos em um fluxo contínuo em uma via pública – um marco na transição para o sistema de transporte de amanhã”, completa Jochen Thewes, CEO da DB Schenker.

Para a Einride, a oportunidade de levar o T-Pod para rua, em operação real, permite que o projeto atraia os olhares das fabricantes de veículos. Para o CEO da startup, como empresa de software precisa de parceria com a indústria da manufatura ter escala e rentabilidade.

O acordo da Einride e DB Schenker foi assinado em abril do ano passado. Em novembro as empresas iniciaram as instalações necessárias de controle, a primeira do gênero no mundo, no site da operadora logística em Jönköping. A parceira inclui opção de mais projetos do tipo em outros locais de atuação da empresa transportadora alemã.

Segundo informações apuradas pela Reuters, presente no evento de apresentação, além da Schenker, a Einride tem pedidos da rede de supermercados alemã Lidl, da empresa sueca de entregas Svenska Retursystem e de outras cinco companhias de varejo, o que sustenta sua ambição de fornecer 200 veículos em operação até o fim de 2020.

Por não precisar de motorista, a Einride estima que o T-Pod pode reduzir os custos operacionais de frete rodoviário em cerca de 60% se comparado a um caminhão convencional. Forte argumento para um setor sob pressão para abreviar prazos de entregas, cortar emissões de poluentes e ainda ter de enfrentar crescente escassez de motoristas.


Notícias relacionadas