Notícias

Scania fornece caminhão a gás para mineração da Gerdau

O caminhão a gás G410 é também o pioneiro da Scania globalmente a atuar em uma mina, o que marca um momento histórico para a fabricante

Redação

22 de dez, 2020 · 6 minutos de leitura.

Caminhão a gás" >
Crédito:Scania/Divulgação
Gerdau e Scania demonstram caminhão a gás na mineração

Na sexta-feira (18), a Gerdau passou a utilizar o primeiro caminhão a gás em operações de mineração no Brasil. Trata-se de Scania G410 6x4. O caminhão vai circular nas operações da fabricante de aço na mina Várzea do Lopes, em Itabirito (MG).

A Fagundes Construção e Mineração S.A vai operar o caminhão. A empresa contará com o suporte da Casa Scania WLM Itaipu. Todos os motoristas da Fagundes passarão por uma capacitação específica para operar o equipamento.

Você também vai gostar de


?Há cerca de 120 anos trabalhamos para conectar pessoas que constroem um futuro mais colaborativo. A parceria com a Scania, com a solução do caminhão a gás natural, é um exemplo de uma ação virtuosa", dizo gerente-geral de Suprimentos da Gerdau, Vinícius Fernandes de Moura.

Caminhão a gás e a menor emissão

Para a Scania, oferecer o caminhão a gás no Brasil visa a redução de consumo. E também de emissão de CO2 na comparação com modelos equivalentes com motor a diesel. Na operação rodoviária, a redução de emissões de CO2 chega a 15%. As informações são da fabricante.

?A Scania vem liderando a transição para um sistema de transporte menos poluente. O caminhão a gás vem sendo um sucesso no modal rodoviário. Agora, vamos inovar outra vez no mercado fora de estrada. Uma ação que também é inédita globalmente para a marca", diz o diretor de vendas de soluções da Scania no Brasil, Silvio Munhoz.

A fabricante iniciou as vendas de caminhões a gás no Brasil em outubro de 2019. A estreia ocorreu durante o Salão Internacional dos Transportes (Fenatran), em São Paulo.

As entregas começaram em maio de 2020. A Scania vendeu 70 unidades para diferentes  tipos de operação, como indústrias de cosméticos e alimentos.

Operação mais sustentável

O caminhão que será utilizado em mineração tem cabine "G". Essa solução é a mais adequada para operações no fora-de-estrada. O modelo tem tração 6x4 e caçamba com capacidade de 16 m³. O conjunto fará a transferência do minério de ferro e estéril franco.

O abastecimento do gás natural veicular (GNV) é de responsabilidade da Logás. A base de abastecimento ficará dentro da própria operação. E ocorrerá em uma estação compacta que está sendo construída pela Gerdau.

O reabastecimento é feito em cerca de 15 minutos. Isso, segundo as empresas, não compromete a disponibilidade do caminhão no dia a dia.

Autonomia de até 300 km

A operação é intensa - o caminhão vai rodar 24 horas por dia, sete dias por semana. A expectativa é que, com um cilindro de 10 m³, a autonomia seja de 250 a 300 km.

Continua depois do anúncio

O modelo contará com o Programa de Manutenção Scania Premium Flexível. "Trata-se do programa mais completo da marca no País e adaptado às características da operação de mineração, que são diferentes do modal rodoviário", diz o gerente de vendas de soluções para mineração da Scania no Brasil, Fabrício Vieira.

"A Gerdau e a Fagundes também vão acompanhar o desempenho a partir dos dados obtidos pelo sistema de conectividade, e aplicar melhorias onde for necessário?, diz Vieira.

Tecnicamente ajustado

Os caminhões pesados da Scania movidos a GNV, GNL e/ou biometano têm motores de ciclo Otto. Trata-se do mesmo tipo utilizado na maioria dos automóveis.

E podem utilizar a mistura dos com combustíveis em qualquer proporção. Esses motores são mais silenciosos e com desempenho e força semelhantes aos oferecidos por modelos a diesel.

Segundo informações da Scania, a segurança é total em caso de acidente. Os cilindros são feitos de metal de alta resistência e as válvulas são certificados pelo Inmetro. Há três tipos: de vazão, pressão e temperatura, que liberam o gás em caso de anomalia.