Turismo com sustentabilidade

Parceria público-privada busca ampliar a capacidade do turismo brasileiro com o objetivo de serviços e novos destinos

Viagens rodoviárias turísticas em alta Crédito: Foto: Marcopolo/Gibran Chequer

A ONU proclamou 2017 como o Ano Internacional do Turismo Sustentável. Com a declaração duas entidades já se adiantaram para atender ao reconhecimento da data. A Fresp, Federação das Empresas de Transportes de Passageiros por Fretamento do Estado de São Paulo, e a Aprecesp, Associação das Prefeituras das Cidades Estância do Estado de São Paulofirmaram convênio no fim de 2016 com o objetivo de promover ações conjuntas para o desenvolvimento do turismo rodoviário nas estâncias paulistas.

Mesmo em um momento crítico da economia brasileira, o turismo interno está em alta – e o rodoviário segue valorizado, por proporcionar lazer a custos menores para uma boa parcela da população. “Tomemos como base dados divulgados pela Abear, Associação Brasileira das Empresas Aéreas, que mostram uma queda de 8% no número de passageiros em voos domésticos em 2016 na comparação com 2015”, disse Regina Rocha, diretora executiva da Fresp.

Para representante da entidade, há um contingente de quase 8 milhões de pessoas que migraram para os ônibus rodoviários, especialmente por conta dos valores atrativos. “Confortos como climatização do ar e poltronas, não raro maiores do que as dos aviões, também pesam na escolha do passageiro que mudou de modal ano passado – e tende a continuar neste ano”, acredita.

Regina Rocha ressaltou que os destinos contemplados no convênio firmado com Aprecesp são as estâncias paulistas que, classificadas em Turísticas, Balneárias, Climáticas e Hidrominerais, têm programas para todas as idades e gostos.

Além do apoio mútuo, está prevista a criação de roteiros diferenciados nas estâncias participantes e foco em públicos específicos, como estudantes e idosos. De acordo com a Fresp, a acessibilidade também merece atenção, possibilitando passeios aos turistas com necessidades especiais.

A assinatura do termo já resultou no início de um estudo conjunto para o desenvolvimento de um prêmio destinado a estudantes de Turismo que contemplarem em seus projetos de conclusão de curso as estâncias do Estado de São Paulo e o turismo rodoviário.

“Esse tipo de ação enriquece o turismo e fortalece as iniciativas sustentáveis, visando o desenvolvimento individualizado das estâncias do estado de São Paulo, valorizando as peculiaridades de cada uma”, observa a diretora da Fresp.

“Diante do cenário atual, as viagens regionais têm crescido, bem como os fluxos de turistas dentro do próprio Estado de São Paulo, que utilizam as estradas paulistas como principal via de deslocamento”, reforça Fernando Zuppo, gerente executivo da Aprecesp, destacando que a parceria é uma oportunidade de divulgar as belezas das cidades turísticas.

Para a Fresp, a sustentabilidade está em toda a concepção das viagens idealizadas por ela e pela Aprecesp, tanto no trajeto feito coletivamente, via fretamento, onde os turistas dispõem de todo conforto do transporte profissional, quanto nos destinos, que são cidades com características naturais e culturais particulares. No estado de São Paulo são 70 as cidades estância: 15 Balneárias, 11 Climáticas, 12 Hidrominerais e 32 Turísticas.

A participação das agências de turismo é fundamental nesse projeto, como indica a diretora da Fresp. “Algumas empresas de fretamento têm suas próprias agências. Outras, são parcerias de longa data de agências especializadas. A ideia é de que o convênio encurte as distâncias entre transportadores e organizadores de roteiros, para alavancar ações de turismo rodoviário nas estâncias paulistas.”

Apesar da oficialização recente do convênio, ideias e ações conjuntas já vêm ocorrendo entre as associações há algum tempo, além de crescente apoio de todos os envolvidos, como transportadores, agentes de turismo, gestores públicos, empresários da hotelaria e restaurantes. “Há um espaço natural de tempo, que não ocorre de uma hora para outra. Mas o trabalho já foi iniciado, o que significa um grande e importante primeiro passo”, resume Regina Rocha.

Segundo a Fresp, os atrativos turísticos do estado de São Paulo estão sendo permanentemente mapeados e muita coisa nova surgiu e precisa ser divulgada e visitada.


Notícias relacionadas