Você está lendo...
Venda de consórcio de caminhões cresce 96% no Brasil
Mercado

Venda de consórcio de caminhões cresce 96% no Brasil

O número representa o acumulado da venda de consórcio de caminhões entre março de 2022 e março de 2021 na comparação com o mesmo período do ano anterior

Aline Feltrin

01 de jun, 2022 · 5 minutos de leitura.

Consórcio de caminhões
Crédito:Volvo/Divulgação
Consórcio tem prazos longos de entrega do bem, mas, por outro lado, alguns benefícios estão atraindo também os caminhoneiros autônomos

A venda de consórcio para caminhões dobrou em 12 meses. Segundo a Associação Brasileira da Administradoras de Consórcio (ABAC), a alta na procura foi de 96%. Ou seja, de março de 2021 a março de 2022, foram vendidas 137,6 mil novas cotas. Por sua vez, de março de 2020 a março de 2021 o número chegou a 70,09 mil. Assim, nos últimos 12 meses foram vendidas, em média, 11,4 mil cotas por mês.  

Leia também: Volkswagen Delivery 11.180 4x4 encara off-road e vai bem no trânsito urbano

Segundo a ABAC, um dos motivos para a disparada na procura é o alto custo dos financiamentos. Como resultado, o consórcio tem atraído cada vez mais caminhoneiros autônomos. Conforme o presidente da associação, Paulo Rossi, nos novos grupos tem havido equilíbrio entre o número de pessoas físicas e jurídicas. ?Seja como for, no passado os planos atraiam sobretudo os frotistas. Portanto, a venda de consórcio para autônomos era bastante reduzida.?


Em outras palavras, atualmente a venda de consórcio para pessoas jurídicas representa de 52,4% do total. Por sua vez, os autônomos já são 47,3% dos compradores. O grupo de "outros", que inclui cooperativas, por exemplo, responde por 0,3%.

Modalidade permite planejamento de longo prazo

Para comparação, em 2019 os números de empresas e autônomos eram de, respectivamente, 53% e 43%. Ou seja, a participação de pessoas jurídicas ficou estável. Porém, a de autônomos cresceu bastante. Segundo Rossi, a alta tem a ver com o aquecimento da procura pelo transporte de grãos. Assim como de insumos e combustíveis, entre outros produtos. 

Seja como for, uma das vantagens do consórcio é a possibilidade de o participante planejar a renovação da frota. Bem como o recebimento do caminhão novo. Sobretudo porque o prazo para a entrega do bem é de, em média, 92 meses. Porém, quem quiser retirar o caminhão antes disso pode oferecer lances em dinheiro ou contar com a sorte nos sorteios mensais.


Pesados lideram venda de consórcio

Segundo a ABAC, os caminhões pesados representam 37,6% da venda de consórcio no País. Enquanto isso, os médios têm 24,7% de participação e os leves, 23%. No caso dos extrapesados, a participação total nas vendas é de 14,7%.

De acordo com o presidente da ABAC, a alta na venda de consórcio vai impacta positivamente o setor de caminhões neste ano. Nesse sentido, ele diz que os veículos que serão entregues em 2022 vão turbinar ainda mais os números de emplacamentos.


Conforme as fabricantes, haverá avanço sustentável das vendas. Segundo a Associação Nacional das Fabricantes de Veículos Automotores (ANFVAEA), a projeção é de alta de 9% nas entregas em 2022.

Segundo a ABAC, no acumulado de janeiro a dezembro, a venda de consórcio de caminhões deve ficar estável. Ou seja, na comparação de 2022 com 2021. No ano passado, o resultado consolidado foi 68% maior que o registrado em 2020.

Deixe sua opinião